Resenha || O Papai é pop - Papai é pop #1 - Marcos Piangers

Editora: Belas Letras
Páginas: 112
Ano: 2015
*Recebido em parceria
Então, você vai ser pai. Você sabe que precisa comprar uma casa maior. Tem que ter mais espaço pra criança. Tem que ter mais um quarto no apartamento. Tem que ter um berço novo, não pode ser aquele que a vizinha se dispôs a emprestar. Então você sabe que tem que trocar de carro, com seis airbags, no mínimo, ar-condicionado de fábrica. O que o humorista Marcos Piangers descobriu ao ser pai jovem é que essas preocupações não fazem diferença nenhuma. O que vale mesmo não é pagar pela melhor creche, se você é o último a buscar seus filhos. Não é comprar os melhores brinquedos, porque as crianças gostam mesmo é das brincadeiras que não custam nada. No fundo, o que importa mesmo, como os textos divertidos e emocionantes de Papai é Pop mostram, é você estar com seus filhos, não pensando em outra coisa, mas estar lá. De verdade.
Olá Mixturados, aqui é a Karini e essa resenha não é minha apenas e sim impressões minhas e do meu esposo. Pasmem! Ele leu algo! Ele que nada lê! rsrsr

Vamos lá:

Esse é o primeiro livro que já tem uma sequência chamada Papai é Pop 2, bom.. O que o marido me contou sobre esse livro é que ele é incrível! Sim! Isso para mim é uma grande conquista, fazer ele ler algo. hahaha

O livro é escrito em crônicas com histórias do próprio autor, ou seja, coisas que realmente aconteceram ou sentimentos. Ele nos fala sobre a criação de suas filhas e com isso os sentimentos que ele teve ao se tornar pai e vivenciar cada momento que é único. E para muitos que pensam que apenas as mamães tem um laço gigantesco com seus filhos, aí que está, dependendo, o pai também pode ter algo assim! Basta querer e estar lá para isso! Marcos Piangers vem da sua maneira bem individual falar sobre a paternidade e tudo que vem com ela..

Como mãe, posso dizer que o autor me cativou muito e a ideia inicial é: "todos os pais deveriam ser assim! Pois filhos são bênçãos e merecem muito amor, não importa de onde vem" e eles precisam tanto de uma mãe dedicada, quanto de um pai fantástico e amoroso, disposto a aprender, sentir e se entregar!

Marcos Piangers é radialista e apresentador e muitos devem ter ouvido falar dele - confesso que sou meio alienada nesse mundo e eu não o conhecia, mas meu esposo sim! Ponto para ele!

Sabe, muitas vezes, e falo como mãe, penso que mãe e uma super heroína, estamos lá para tudo, desde o nascimento, até cuidar da casa, trabalhar, ser mulher, amorosa e etc.. e pensamos que ninguém no mundo é capaz de entender o quanto nos doamos aos nossos filhos desde que estamos gestando.. Mas a verdade é que cada um desenvolve um papel fundamental na vida dos filhos e não apenas as mães, mas pais e familiares tem papeis na vida desses pequenos seres que um dia irão para o mundo e se tornarão espelho daquilo que passamos diariamente para eles.

Pais em geral (mães e pais) hoje em dia tem um papel fundamenta em todo o ciclo familiar, já que não apenas os pais são provedores, enquanto a mãe cuida do lar e dos filhos. Aqui em casa essa tarefa é dividida mesmo após nove anos (temos dois filhos um de 15 e uma de 8), fiquei um tempo em casa me dedicando a eles integralmente, até que percebi a necessidade de ir trabalhar não apenas para acrescentar no orçamento mas para darmos maiores condições aos nossos filhos.. Então com negócio próprio que temos, torna o tempo do marido bem maleável.. enquanto eu sou escrava de plantões, regras e horários e atualmente muitas vezes sou eu quem passa a maior parte do tempo fora de casa, enquanto ele assumiu com o corpo e alma a dedicação de cuidar do lar e dos meninos nos dias livres durante a semana.. Na ausência dos dois contamos com minha mãe e avós, sempre presentes atualmente - o que seríamos sem eles?

Parando de divagar e voltando ao enredo do que lemos, o autor Marcos Piangers nos fala que não importa o tamanho do seu carro, ou o seu status o que importa é ter em seu braços o ser mais importante de sua vida que são nossos filhos e eu concordo! Ele como um homem criado sem pai, mesmo assim conseguiu surpreender a muitos que dizem: "damos o que temos e o que nos foi oferecido" - na verdade a minha política é que damos aquilo que queremos e nos propomos a cada dia. Claro que Marcos ficou muito confuso, quem não ficaria? Eu como mãe aos dezesseis anos era só confusão e dúvidas, e assim como Marcos desejou não ter uma criança eu sequer tinha noção do que estava acontecendo comigo.. Então óbvio que passa pela cabeça opções como aborto. Coisa que nem sempre é tão simples de sequer se imaginar.. Mas assim como a vida de Marcos deu um rumo a minha também e cá estamos nós com nossos filhos sãos e salvos e muito amados!

A verdade é que ser mãe ou pai não vem com um manual de informações do que é certo ou errado.. Simplesmente aprendemos na marra! Assim como foi com o autor.. Foi comigo.. Claro que cada um com sua caminha e jornada!

A maternidade foi uma das melhores coisas que já me aconteceu! Eu cresci, amadureci e percebi o que é amor incondicional! Amar acima de si mesmo, por as necessidades e desejos de um filho em primeiro lugar. Proteger com unhas e dentes seu ser mais preciso!

Sei que divaguei sobre mim mesma.. e misturei ao enredo do livro.. mas foi como mergulhar em um mar de lembranças através da experiência do autor!

Posso dizer com total convicção que meu marido abraçou a paternidade e é um pai excelente, participativo em todos os sentidos! E todos os pais deveriam ser!

Recomendo.

10 comentários:

  1. Bela divagação gostei bastante da sua resenha com a parceria do seu marido,parece ser um bom livro,uma leitura leve e gostosa.
    Parabéns e abraço.

    ResponderExcluir
  2. Só posso imaginar como é essa jornada de ser mãe ou pai. Entendo um pouco da loucura porque acompanhei muito da criação da minha irmã, ajudava a cuidar e todas aquelas coisas e dá pra ter uma leve noção de como isso é difícil e muito doido. Tem que ter cabeça,  muita paciência. Achei legal um livro que conte como foi essa experiência e pelo lado de um pai. Os sentimentos e as dificuldades, como pode ser recompensador e estressante ao mesmo tempo. É uma boa dica até pra quem  está iniciando essa jornada de ser um pai. Ou pra lembrar desses tempos pra quem já teve filho. Não existe um manual mesmo, mas é legal ver outras pessoas falando das experiências que tiveram

    ResponderExcluir
  3. Oi, Karini!!
    Gostei muito da resenha e por você dividir um pouco do seu dia a dia com a gente!! Sem dúvida e um excelente guia para papais e mamães!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Que legal ! Você conseguiu fazer seu marido ler algo hahaha..

    Parece ser um livro próprio para os pais e mães então por enquanto dispenso a leitura hahaha.

    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Gostei muito da premissa desse livro.
    Parece ser muito legal e divertido <3
    Com certeza é algo que quero ler quando for casada e ter filhos (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Adorei a ideia desse livro. Vi várias resenhas positivas dele e ele parece ser bem gostosinho pra presentear pais e futuros pais. Mas também acho que ele é uma boa dica de leitura para todos. Adorei a resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Karini!
    Bem bacana seu esposo ter lido o livro também, assim pode ver a importância da presença dele em relação aos filhos.
    Sempre achei que os pais são importantes e tem valores iguais para os filhos. A 'obrigação' na criação e na orientação dos filhos é de ambos e fico feliz em ver que o autor aborda essa linha de criação.
    Bom domingo!
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Eu vi esse livro na livraria, e adorei ele! Achei ele super interessante, e é ótimo para pais. Para mim, isso está longe de acontecer ainda, mas achei ele muito legal, e também é muito bacana o seu marido ter lido ele junto com você(e gostado).
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Que fofura de livro! Sempre nós pensamos que só mãe tem que ter cuidado com os filhos, criar laços mas também os pai pode muito bem cria isso, só estando em todos os momentos com ele. Gostei de como o autor abordo bem esse tema e mostra que o pai também ama os filhos incodicionalmente e também muito legal seu marido ler com você, muito difícil o meu namorado ler comigo, ele literalmente nem gosta!

    ResponderExcluir
  10. Oi, eu conhecia o autor e achei bem legal quando ele lançou esse livro. Infelizmente o pensamento dele não é o de todos os pais.
    É uma sensação tão boa né, quando alguém lê por sua causa, principalmente se ela não gostar.

    ResponderExcluir