Resenha || A Química - Stephenie Meyer

Editora: Intrínseca
Páginas: 496
Ano: 2016
*Acervo Pessoal
Ela trabalhava para o governo americano, mas poucas pessoas sabiam disso. Especialista em seu campo de atuação, era um dos segredos mais bem guardados de uma agência tão clandestina que nem sequer tinha nome. E quando perceberam que ela poderia ser um problema, passam a persegui-la. A única pessoa em quem ela confiava foi assassinada. Ela sabe demais, e eles a querem morta. Agora ela raramente fica em um mesmo lugar ou usa o mesmo nome por muito tempo.
Até que um antigo mentor lhe oferece uma saída — uma oportunidade de deixar de ser o alvo da vez. Será preciso aceitar um último trabalho, e a única informação que ela recebe a esse respeito só torna sua situação ainda mais perigosa. Ela decide enfrentar a ameaça e se prepara para a pior batalha de sua vida, mas uma paixão inesperada parece diminuir ainda mais suas chances de sobreviver. Enquanto vê suas escolhas se evaporarem rapidamente, ela vai usar seus talentos como nunca imaginou.
Uma trama repleta de tensão, na qual Meyer cria uma heroína poderosa e fascinante, com habilidades diferentes de todas as outras, e prova mais uma vez por que seus livros estão entre os mais vendidos do mundo.

"A química" é uma obra da autora Stephenie Meyer, que ficou mundialmente famosa por conta da Saga Crepúsculo.  Narrada em terceira pessoa, o livro traz o mundo dos espiões e agentes secretos do governo americano.

A protagonista desse livro é uma mulher que trabalhava para o governo e ficou conhecida como A Química, mas que está fugindo há três anos. Ela trabalhava em um setor secreto, daqueles que ninguém ouviu falar e que se algo der errado, o governo negará sua existência. Seu recrutamento aconteceu quando ela era uma estudante de graduação e graças a sua inteligência aguçada, chamou a atenção por suas habilidades.

Vocês devem estar se perguntando que habilidades são essas. A sua capacidade de criar quimicamente substâncias capazes de extrair informações dos homens mais bem treinados do mundo, ou seja, um tipo diferente de tortura.

Durante o período de fuga, ela assumiu inúmeras identidades, esteve em diversos lugares e realizou alguns trabalhos freelance para sobreviver. Mas ela precisa mais do que sobreviver.
"Estava viva, sim, e tinha batalhado arduamente para manter essa condição, mas, durante suas noites mais tenebrosas, às vezes ficava imaginando por que motivo continuava lutando. A qualidade de vida que mantinha valia tanto esforço? Não seria relaxante fechar os olhos e não ter mais que abri-los? Será que uma escuridão vazia não seria ligeiramente mais prazerosa do que o esforço constante e o terror inexorável?" (p. 12)
Quando recebe um e-mail de seu ex-chefe, informando que estão dispostos a dar uma nova chance a ela desde que ela conclua um trabalho, a protagonista fica desconfiada, mas sabe que precisa arriscar para ter uma chance de viver.

O seu alvo é Daniel Nebecker Beach, um professor de vinte e nove anos de idade que aparentemente tem laços com um um traficante mexicano conhecido como Serpente.
"-Tenho que conseguir essa informação. Não existe alternativa. E se precisar, Daniel, vou machucá-lo até você me contar o que preciso saber. Vou machucá-lo de verdade. Não necessariamente quero fazer isso, mas não me importo se tiver que fazer. Estou lhe dizendo isso para você tomar uma decisão agora, antes de eu começar. Diga o que quero saber, e vou soltá-lo. Simples assim". (p. 83)
Enquanto vai se aproximando do seu alvo, a Química descobre que foi envolvida em uma conspiração e que tornou-se peão em um jogo que nem ao menos sabia que existia.

A trama como um todo é bem interessante, mas existem alguns pontos que deixam a desejar. O início do livro é arrastado e temos muita dificuldade de continuar a leitura. Porém, ao avançarmos esse começo complicado, a trama torna-se atraente, com elementos dignos de um filme de espionagem. Apesar disso, outras situações como um romance desnecessário e totalmente miojo tiram um pouco do brilho do enredo principal.
Carol.

10 comentários:

  1. Oi Carol, tudo bem?
    A proposta do livro é bem interessante, mas esse romance miojo aí já me deixou um pouco desinteressada. Não li Crepúsculo, e por isso não conheço a escrita da autora, mas adoraria e estou pensando seriamente em começar por este livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oie, já pensou se isso realmente existisse?
    Eu com certeza usaria em uns par de gente pra descobrir a verdade.
    Eu conheço a escrita dela pelos livros do Crepúsculo, que na época - em que eu era adolescente - praticamente devorei. Estou curiosa para descobrir mais sobre esse mundo que ela criou no livro A Química.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Eu amo a escrita dessa autora, tanto que corpúsculo foi o primeiro livro que li, e o mais relido da minha estante.
    A autora reuniu duas coisas que amo, que é thriller e suspense, junto com personagens fortes pronto tem ai a receita para meu livro perfeito, ach que nem preciso dizer o quão ansiosa estou por esta leitura.
    Uma pena que o livro não foi tudo isso para você, mas eu espero gostar.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Ai Carol!
    Uma pena que o livro tenha se tornado arrastado com tantas explicações e que você não gostou tanto do livro, porque de minha parte estou na maior curiosidade para desvendar todos os segredos guardados dentro do enredo.
    “Não ganhe o mundo e perca sua alma; sabedoria é melhor que prata e ouro.” (Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Essa capa me lembrou muito as capas da autora dos livros Garota Exemplar. Achei bem semelhanças.
    Então... esse livro possui varias revivoltas bastante interessante, o que faz o livro ser daqueles que ficamos totalmente presso na historia. Espero que esse livro seja melhor que saga Crepúsculo, pois não gostei dos livros. Mas pela sua avaliação, parece ser bem regular

    ResponderExcluir
  6. Li esse livro por ser da Stephenie Meyer, que é uma autora que eu amo, não esperava muito do livro pelo fato dela ter escrito romances e esse ser um enredo que foge totalmente da zona de conforto dela, mas admito que amei, concordo que o começo foi um tanto arrastado, mas conforme a história ia se desenrolando, não conseguia mais largar o livro e adorei cada parte.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Achei que o livro iria fugir desses romances bobos, mas pelo jeito me enganei...
    A Química tem uma trama que eu gosto bastante, se tiver a oportunidade lerei, mas por conta desse romance desnecessário já fiquei com o pé atrás, por enquanto vou deixar passar haha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. HAHAHAHAH romance totalmente miojo, essa foi boa.
    Também li várias críticas em relação a esse romance desnecessário na obra, mas apesar disso ainda tenho curiosidade em conferir a obra - apesar de nunca ter nem chegado perto dos livros da Saga Crepúsculo. A premissa de A química tem algo que me agrada muito e como já estou acostumada com inícios mais lentos acho que sobreviveria até a parte em que a ação começa e o livro nos prende rs

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de Março você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Carol!!
    Adoro a Stephenie Meyer!! Fiquei bem surpresa com esse livro da dela. Gostei bastante da premissa da história e fiquei bem empolgada para ler o livro.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  10. confesso que eu fiquei curiosa para conhecer essa mundo da "quimica" eu achei bem legal que ela foi para um rumo totalmente diferente, sem falar que adoro uma boa história de espionagem... mas, é uma pena que ela tenta forçar um romance (rindo até agora do miojo) e acaba perdendo um pouco do brilho...
    vai para a minha lista do talvez

    ResponderExcluir