Resenha || A Tempestade - Manuela Titoto

6.2.17

Editora: Novo Conceito
Páginas: 258
*E-book Recebido em parceria com a Editora
Numa das costumeiras pescarias com o seu pai, no reservatório Bellamy, a jovem Margot é raptada. Ela acorda, mas ainda se vê dentro de um pesadelo que invoca os medos mais primitivos e viscerais do ser humano: está aprisionada dentro de um caixão fechado. O serial killer que agia dessa maneira já era bem conhecido nos jornais norte-americanos como Irony Joe, e Margot parece ser a sua mais nova vítima.
Após sua fuga, Margot e seu pai começam a receber e-mails ameaçadores. Por segurança, ela tem que deixar o país. Na cidade de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, Margot passa a morar com a mãe. A partir de então, a jovem precisa lidar com uma nova vida, que significa ter outro nome e um colégio bem diferente do que estava acostumada.
O único problema é que o passado de Margot parece não querer se distanciar tanto assim do seu futuro.

 "Sara abriu a porta do meu novo quarto, com a leveza de um passo de ballet. Ela estava tentando. Tentando. Tentando tanto que quase cheguei a ter dó. Quase."
Margot um dia foi uma menina normal, porém ela veio para o Brasil morar com sua mãe Sara que um dia a abandonou. Era necessário sua vinda, pois ela viveu um dos seus piores momentos, não vou usar a palavra pesadelo, pois acredito que ela sequer tinha sonhado com algo assim antes, o que ela passou foi no mínimo aterrorizante e deixa sequelas profundas em qualquer ser humano normal. 
"- Ah, e antes que eu esqueça, o seu nome agora é Margot Brandonni. 
- Por quê? É o seu sobrenome atual? - perguntei, num tom que mostrava meu inconformismo.
- Sim. Achei prudente mudar, para evitar que saibam quem você é e tudo o que aconteceu. O Google tiraria sua paz num segundo. Foi  melhor, não acha?
Tive que concordar, afinal um dos motivos de eu estar lá era para me esconder e ter um pouco de paz... Nada ali combinava comigo."
Agora Margot usa o sobrenome Brandonni e não mais Brown e isso é apenas uma pontinha de um iceberg imenso de mudanças em sua vida antes da vinda ao Brasil. Ela estava em Boston e veio para se esconder, pois durante uma viagem de pesca com seu pai ela foi sequestrada por um Serial Killer bastante conhecido por sua crueldade e manter suas vítimas sendo torturadas em um caixão rústico por vários dias, sendo encontradas apenas quando ele queria.. Mortas! Só tentem por um segundo imaginar a sensação de acordar presa viva em um caixão, não enterrada, mas com uma imensa sensação de que algo muito ruim está acontecendo e lembrar de ter visto na tv algo a respeito de vítimas em caixões sendo encontradas mortas.. Mas Margot foi a única vítima a sair viva desse pesadelo e por isso ela foi para o Brasil viver com sua mãe e deixando tudo que lhe era familiar para trás, pois afinal pensem mais uma vez, como deve ser difícil depois de tudo que ela passou, ter de mudar de vida, de nome e viver com uma mulher praticamente estranha que lhe abandonou em certo momento?

Parecia que enquanto esteve nos Estados Unidos ao invés de ser tratada como uma vítima, uma coitada, digamos assim.. Queriam muito que ela dissesse o motivo de ela ter sido a única a escapar com vida, uma resposta que ela não tinha e também queria muito saber. A mídia massacrava a história dia após dias em todos os lugares com fotos de Margot como se ela mesma fosse uma Serial Killer, pois ficou tão conhecida quanto seu agressor Irony Joe; sendo assim por mais que tentasse era praticamente impossível ter uma vida depois de Irony Joe e então teve início uma série de e-mails pavorosos com ameaças constantes e sua única saída foi o Brasil, sua mãe que a abanou ainda uma criança de dois anos e ir morar em Ribeirão Preto. Quem sabe assim as coisas melhorariam e ela pudesse enfim ter uma vida "normal" se podemos chamar assim, depois de tudo que ela passou. Com sua mudança os e-mails cessaram, mas os pesadelos passaram a ser constantes. Uma das regalias de morar com sua mãe era que dinheiro não era o problema, já que seu novo marido tem muito dinheiro.. Então Margot tem motorista particular e estuda em uma das melhores escolas, ela conhece pessoas novas, faz amizades e até parece estar caminhando para um romance. Mas o Serial Killer mais famosos dos Estados Unidos faz uma nova vítima e deixa um recado bastante pessoal, "que ninguém escapa com vida" e aí novas perguntas surgem.. Margot teve apenas sorte como pensou ou ele a quis viva? Essa história não acaba aqui.. Seu sequestrador está por aí e parece que tem  muito mais para lhe mostrar! O que está por vir?

Leiam! Pois vale muito a pena!
Fazia tempo que eu não pegava um nacional tão bom quanto esse. Tão intrigante e bem escrito. Recebi esse e-book com o pé atrás em parceria com a Novo Conceito, pois sim! Eu tenho alguns receios com nacionais, mas esse certamente me surpreendeu de maneira muito positiva Manuela Titoto tiro meu chapéu para você e espero ler muito mais histórias como esta.. Você fugiu do clichê dos autores nacionais que escrevem romances, eróticos, e mimimi e trouxe algo muito diferente do que estamos acostumados a ver escrito pelos brazucas. 

Menina, eu li seu livro em uma única sentada e fiquei sem fôlego querendo mais e mais! Infelizmente você não se aprofundou muito no quesito policial e na perseguição, mas ainda assim me conquistou trazendo subtramas que chamam a atenção após um sequestro seguido de quase morte como esse. O final da história parece previsível, mas não foi bem assim. A autora soube criar seus mistérios e deixar o leitor confuso em alguns momentos. Alguma coisa conseguimos entender e desvendar logo outras nem tanto.. Então com isso Manuela ganhou ainda mais pontos comigo que sou amante do gênero. Teve uma ou outra coisa que a meu ver gostaria que fosse diferente ou mais bem delineada, mas mesmo assim não impediu que eu me torna-se uma fã da autora nacional e gente, vindo de mim, isso é realmente muito raro, pois sempre leio  mais do mesmo em se tratando de obras nacionais!

Obrigada Manuela Titoto por essa leitura incrível!
Continue a nadar e desbravar esse mar infinito da literatura nos agraciando cada vez mais com sua escrita! 

E eu quero um livro físico desse com dedicatória! Please! Verifiquei que só tem formato e-book e estou aqui louquinha para ter ele físico na estante!

14 comentários

  1. Oi Karini, tudo bem?
    Que história chocante, eu não conseguiria ler pois sou aterrorizada por essa ideia de ficar presa em um caixão, cruzes. Que bom que o livro foi tão agradável, é muito legal ver os autores nacionais se dando cada vez melhor na escrita.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que história instigante!!!
    Não conhecia a obra ainda e fiquei bem interessada por tudo que acabei conhecendo aqui.
    A autora parece ter uma escrita que consegue prender o leitor e gosto bastante disso.
    Apesar de não ser um gênero que costuma aparecer muito nas minhas leituras, fiquei curiosa.
    Espero conhecer a obra em breve, ainda mais sendo uma nacional.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Oi Karini.
    Essa história parece ser bem intrigante e instigante. É ótimo quando nós lemos na resenha que o livro foi lido em uma sentada. Isso significa que o livro prende muita a atenção e ficamos com aquela coisa de "só mais um capítulo" rs
    Estou começando a ler mais nacionais e do gênero thriler, então A tempestade já vai pra minha lista =)
    Bjs
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Que enredo sensacional e diferente. Realmente os livros nacionais geralmente não fogem dos clichês bobos, faltando originalidade e algo que prenda o leitor, por isso as vezes prefiro um internacional. Porem nesse caso percebo que a criatividade da autora.
    Estou precisando de um livro que faça eu me apaixonar pelos nacionais, e irei arriscar ler esse.

    ResponderExcluir
  5. Essas subtramas me deixaram bem curiosa. Não concordo tanto que ela fugiu muito do estilo dos escritores brasileiros, só que o romance está mais em alta no wattpad. Tem vários autores maravilhosos que escrevem fantasia e suspense. Gostei da resenha e me arriscaria a ler o livro

    ResponderExcluir
  6. Karini!
    Fico bem orgulhosa em ver mais uma autora nacional em destaque ainda mais no estilo policial que é mais característico por homens.
    Menina, só em ler sua resenha já fiquei 'roendo as unhas' e quero poder ter a oportunidade de ler toda a trama da protagonista e saber como tudo vai terminar diante das ameaças do serial killer.
    Desejo uma semana alegre e feliz!
    “Um saber múltiplo não ensina a sabedoria.” (Heráclito)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, amei a resenha e estou super curiosa para ler o livro, eu amo ler nacionais, e esse é totalmente diferente de todos que li, essa coisa de ser a unica a sobreviver a um serial killer e tal, gente eu preciso ler.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  8. Karini,
    Como vai? Adorei a resenha, fiquei muito feliz que gostou do livro! Muito obrigada! Agradeço também p incentivo, espero que mais pessoas conheçam não só meu trabalho, como a literatura nacional em geral!
    Grande beijo,
    Manu

    Ps: se sair o físico, faço questão de te mandar com dedicatória sim hehe

    ResponderExcluir
  9. Não sou muito de ler policias, mas gosto do suspense que esses livros trazem e após ler uma resenha tão entusiasmada fica difícil não desejar conhecer a obra.
    Gostei do enredo do livro e gostei do fato de ser um nacional. Vou procurar por ele quando visitar as livrarias.

    ResponderExcluir
  10. Oi.
    Adoro romances policiais, e assim como você também tenho essa relutância com livros nacionais, mas eu adorei a premissa dese livro, parece ser algo que me agradaria, uma pena que não houve um certo aprofundamento mas ainda assim o fato de que te conquistou tanto é um ótimo sinal, adorei irei ler com certeza.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  11. Jesus cara, deve ter sido horrível ela ter passado por isso e ainda esperarem que ela diga o porque ter conseguido sobreviver e porque o cara não matou ela ... Só o pensamento de viver essa pesadelo já é o bastante pra fazer a pessoa sentir um arrepio na espinha e ainda vai ter que morar com a mãe que a abandonou em um outro país com o sobrenome mudado. Só posso dizer que estou muito curiosa em relação a história e já vou dar uma olhada no preço do ebook. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Margot vai precisar ser forte para passa por cima do passado
    já que ela tenta seguir em frente e ele não permite isso. O que gostei bastante foi
    a ligação do passado e futuro do livro. Já li livro que autor não soube ligar muito bem
    esses dois tempos, espero que no livro Tempestade não aconteça o mesmo

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Esse não é o tipo de livro que gosto de ler, mas depois de ler essa resenha estou muito curiosa sobre esse livro, parece ser uma historia muito envolvente, mesmo sendo pesada, fiquei muito interessada em saber mais e principalmente curiosa sobre o que ira acontecer, se tiver oportunidade quero muito ler !!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Karini!!
    Que história sensacional!! Não conhecia mais fiquei bem empolgada para ler esse livro que mistura mistério, suspense e romance policial!! Que indicação maravilhosa!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

© MIX LITERÁRIO- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por