Resenha Nacional || Cela sem portas - Marcel Trigueiro

Publicação independente
Páginas: 324 páginas
Ano: 2016
*Recebido em parceria com o autor
Portador de uma forma rara de esclerose, Miguel consegue mover apenas os olhos, pálpebras e parte da mão direita, o que lhe permite ter um mínimo de independência para portar-se normalmente no mundo cibernético e sair-se relativamente bem na escola. Como ontem foi dia dos professores, Miguel redigiu e sua mãe transcreveu de próprio punho uma pequena carta que pretendem entregar à professora preferida dele, numa singela homenagem, assim que ela chegar para dar aula. Nessa mesma manhã excepcionalmente quente de primavera, pouco mais de quinze pessoas são feitas reféns por dois homens armados dentro de um ônibus próximo à Lagoa Rodrigo de Freitas. Tirar as vítimas das garras daqueles sequestradores deveria ser competência exclusiva das forças policiais cariocas. Entretanto, depois que a Polícia Civil começa a agir e a imprensa monta seu aparato para que todo o país fique ciente do que está acontecendo, uma fatalidade faz com que o agente federal de Inteligência Matheus Erming entre na operação. A partir daí, a situação vai ficando cada vez mais desesperadora para todos os que acompanham o sequestro. Para Miguel e sua mãe, que assistem a tudo na escola, o desespero e a sensação de impotência são amplificados quando se deparam com uma dura realidade e uma possibilidade talvez não tão remota. A realidade: a professora não chegará a tempo para a aula. A possibilidade: que aquela carta jamais seja lida.
Em um dia quente de primavera no Rio de Janeiro, dois homens armados sequestram um ônibus e fazem várias pessoas como reféns. O pedido dos sequestradores? Que a polícia liberte Cartola, o líder do Quarto Comando, facção que controla o tráfico de drogas na cidade. E se a polícia não cumprir o pedido, uma pessoa morrerá a cada uma hora.

Ângela é uma professora de física em uma escola para alunos especiais. Uma mulher dedicada que se empenha diariamente em fornecer as ferramentas certas para seus estudantes e é recompensada pelo carinho deles e de seus pais, como seu aluno Miguel e sua mãe Giulia. Miguel é portador de uma forma rara de esclerose e tem seus movimentos bem limitados, mas possui certa independência com sua cadeira especial e aparelhos de comunicação.
"Todo professor sabe que mesmo que de cada mil alunos só um demonstre aquele interesse genuíno por aprender, aquela vontade de crescer, esse único aluno faz tudo valer a pena. Ângela não duvidava que Miguel tinha um futuro brilhante pela frente". (p. 15)
O que a professora não esperava é que em uma manhã ao pegar o ônibus para o trabalho, sua vida ganharia um novo rumo. O sequestro logo se torna a notícia do momento e em está em todas as redes sociais ao vivo. É quando Miguel e sua mãe Giulia descobrem que Ângela está no ônibus.

Após uma hora de espera, os sequestradores realizam a ameaça de forma inesperada. E é por conta disso que o agente federal Matheus Erming se envolve no caso. Matheus é um homem inteligente e determinado, que se depara com uma situação inesperada. Para ele, o grande questionamento é o descobrir qual é o verdadeiro objetivo dos sequestradores.

A narrativa é feita em terceira pessoa e vai alternando as perspectivas entre os personagens. Em um momento o leitor se encontra dentro do ônibus, rezando e esperando sair dessa situação com vida; em seguida está seguindo uma pista, tentando entender o que está acontecendo ou está como observador, sendo atualizado através do noticiário.

A escrita de Marcel Trigueiro é envolvente e a construção de seu enredo é complexa e muito bem desenvolvida. A forma como as respostas vão surgindo cria o clima ideal para o leitor sentir-se preso a história e só largar o livro quando chegar ao final.

O texto ainda faz algumas críticas sociais, como a forma como a mídia explora as tragédias, a violência na sociedade e a corrupção. É um livro que permite ao leitor refletir sobre a sociedade em que vive.
"Alvo visível? Sim. Vítima fora da linha de disparo? Sim. Eliminado o risco de alguém ficar entre ele e o alvo? Sim. Ordem recebida? Sim." (p. 262)
Os personagens são carismáticos, complexos e bem construídos. Suas características os tornam fácil de associá-los ao nosso cotidiano, identificando cada um deles em nosso dia a dia.

Em relação à revisão, diagramação e layout foi realizado um ótimo trabalho.
"Nada daquilo importava mais. Era como se ele estivesse vendo os créditos de um longo filme que acabara de chegar ao fim, estando perto do merecido descanso." (p. 33)

9 comentários:

  1. Oi Carol, tudo bem?
    Adorei a premissa deste livro, que enredo mais emocionante e cheio de adrenalina e tensão. Nunca tinha ouvido falar deste autor e nem do livro, mas com certeza já quero descobrir o que aconteceu com os reféns.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. A sinopse me prendeu de um jeito, que quero conferir pra já essa história rs
    A história parece ser muito bem desenvolvida e os personagens também, muito bem construídos.
    Fiquei super curiosa pra saber como termina toda essa aventura.
    Sua resenha me deixou interessadíssima :)
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Carolina!
    Acho interessante quando um autor nacional escreve um enredo tão crível que nos sentimos dentro da história, afinal, poderia acontecer com qualquer um de nós.
    Fiquei me perguntando o que os sequestradores realmente querem e qual o sentido de manter as pessoas reféns?
    “Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade.” (Georges Bernanos)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. OI Carol.
    Adorei a premissa do livro, meu deus que coisa mais interessante.
    já até me imaginei em uma situação parecida e deus me livre disso acontecer, gostei da critica com o livro faz é bom ver algo assim hoje em dia, essa vai para minha listinha com toda certeza.
    BJS.

    ResponderExcluir
  5. Fiquei bem surpresa com a presença do Miguel na história e se a carta chega ou não na professora, na minha cabeça já estou com mil ideais rsrs Não conheço o autor e espero gostar da escrita

    ResponderExcluir
  6. O autor para mim é desconhecido mas foi bom ver por meio de sua resenha qual o potencial que vem com ele. O livro tem uma premissa interessante e acho que daria uma chance ao livro, vai que ele se mostra uma leitura mais prazerosa do que o imaginado não é ? Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  7. E sempre bom ver que literatura brasileira não esta se perdendo com o tempo.
    Apesar de não ler muitos nacionais, eu tenho bastante curiosidade e interesse
    em começar a ler. Cela sem portas, contém mistérios e suspense duas coisas que
    adoro. Então estará na minha lista de nacionais para ler este ano, por causa do
    meu projeto de ler mais livros nacionais

    ResponderExcluir
  8. Oi, Carolina!!
    Gostei muito da premissa do livro sem dúvida é uma história bem interessante!! Estou adorando conhecer autores nacionais com talentos incríveis!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Essa historia me deixou bem interessada, pela resenha gostei muito da historia desse livro, ela me deixou curiosa para saber como ira acabar e parece ser uma historia bem envolvente, irei colocar esse livro na minha lista de leitura !!

    ResponderExcluir