Resenha || A Garota no Gelo - Detetive Erika Foster #1 - Robert Bryndza

15.2.17

Editora: Gutenberg
Páginas: 320
Ano: 2016
*Recebido em parceria com a Editora
Seus olhos estão arregalados... Seus lábios estão entreabertos... Seu corpo está congelado... Mas ela não é a única. Quando um jovem rapaz encontra o corpo de uma mulher debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres, a detetive Erika Foster é chamada para liderar a investigação de assassinato. A vítima, uma jovem e bela socialite, parecia ter a vida perfeita. Mas quando Erika começa a cavar mais fundo, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas, todas encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, em águas geladas nos arredores de Londres. Que segredos obscuros a garota no gelo esconde? Quanto mais Erika está perto de descobrir a verdade, mais o assassino se aproxima dela. Com a carreira pendurada por um fio depois da morte de seu marido em sua última investigação, Erika deve agora confrontar seus próprios demônios, bem como um assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes.
"A garota no gelo" é um livro composto de 83 capítulos curtos mais um epílogo e narrado em terceira pessoa. A narração gira em torno da detetive Erika Foster, que é a protagonista da série. É uma mulher de meia idade que perdeu o marido recentemente e está tendo problemas em sua vida pessoal. Isso não a impede de realizar o seu trabalho, e sua sagacidade é percebida desde o início.

Erika é uma mulher que se esforça para encontrar as respostas, mas também comete erros. Um desses erros mudou o curso de sua vida profundamente e afetou não apenas sua carreira profissional, como também sua vida pessoal.

Oito meses se passaram e Erika é chamada pelo Superintendente Marsh para conduzir a investigação de homicídio de Andrea.
"- Tenho que continuar, Mark. Continuar a trabalhar. Continuar a viver. Na maioria dos dias eu não acho que consigo continuar sem você, mas tenho que conseguir."
A trama se passa em Londres, quando Andrea Douglas Brown é encontrada morta em um lago próximo a um museu. Andrea é proveniente de uma família importante, então há uma grande repercussão a respeito de sua morte e a família realiza uma certa pressão por conta de sua influência para que o criminoso seja encontrado rapidamente.

Acontece que Andrea não é a única vítima desse criminoso. Outras mulheres foram assassinadas, mas por serem prostitutas ou mulheres pobres, seus casos não foram realmente investigados ou conectados com um único indivíduo.

Alguns capítulos são narrados pela perspectiva do assassino e dessa forma, o leitor consegue entender um pouco melhor como sua mente funciona.

Erika é uma boa detetive, mas quando começa a criar teorias que não são muito bem aceitas, começa a ser posta de lado. O fato de ser uma detetive mulher também é motivo de discussão no livro, pois em alguns momentos, fica perceptível que outros agentes da lei desdenham seus esforços por conta de seu gênero.

O enredo tem uma receita simples: uma moça rica e bonita é assassinada e a família usa o seu dinheiro e influência para manipular a investigação, enquanto que a detetive passa por problemas pessoais e não é totalmente levada a sério. Apesar de ter essa história meio clichê, a forma como o autor a descreveu faz com que o leitor leia do início ao fim.

O início do livro é um pouco arrastado, mas após passar pelos capítulos iniciais, a leitura é agradável e o leitor junta-se a Andrea para identificar o assassino.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa é simples, porém muito impactante.
“Ela inspirava e expirava, o batimento cardíaco foi ficando mais lento, a realidade voltava a apoderar-se de sua mente. Ela escutava vozes abafadas e passos; pessoas andando ao lado do carro. As vozes ficavam mais altas e depois se afastavam”.

10 comentários

  1. Humm estamos numa onde de livros com assassinatos não é mesmo ? Mas ao contrário da última resenha esse livro não me deu vontade de lê-lo, sim claro que fiquei um pouco curiosa em relação ao desfecho da história mas nada urgente, talvez um dia eu chegue a dar uma chance leitura mas neste momento não. Mas obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  2. Curti que alguns capítulos são narrados pelo assassino, fica tudo mais interessante.
    E legal também essa parte de o leitor conseguir se envolver na história, da detetive, para descobrir o desfecho da morte e o assassino.
    Confesso que por não curtir muito esse gênero, não leria o livro no momento.
    Mas já coloquei na listinha e quem sabe não confira em breve!?
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Oi Karini, tudo bem?
    Eu gosto bastante do gênero investigativo então sempre gosto de ler resenhas sobre estes tipos de livros. Gostei de conter alguns capítulos com o ponto de vista do assassino, mas não gostei da detetive ser posta de lado por ser uma mulher. Quando tem essas situações de machismo em livros eu costumo não gostar muito.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Karini!
    Achei que o livro seria mais empolgante e fosse mais voltado para o thriller psicológico, não que não goste dos policiais, mas tem de ser bem escrito e achei seria melhor, uma pena!
    “O saber é saber que nada se sabe. Este é a definição do verdadeiro conhecimento.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. OI.
    Eu adorei essa premissa, acho que nem preciso dizer o quão curiosa fiquei, amo esse senário de investigação e saber que há partes narradas pelo assassino me deixou muito animada, vou amar com certeza , uma pena ele não ser muito fluído mas infelizmente acontece.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  6. Oi Karini.
    A garota no lago parece ser um história OK. Não fiquei muito entusiasmada em ler.
    A trama parece ser bem clichê, como você descreveu.
    Talvez e leia mais para frente, mas não é uma prioridade.
    Achei a capa bem bonita.

    ResponderExcluir
  7. Uma das coisas que mais gosto é quando a versão do assassino aparece, e ser poucos capítulos me desanima um pouco, a esperança é que esse capítulos sejam bem trabalhados! O começo lento pode me incomodar um pouco

    ResponderExcluir
  8. Adoro historias de investigação, pois sempre me prende de uma forma surreal.
    E possui um suspense matador, o ultimo livro que li que possui essa característica
    foi Garota Exemplar, eu adorei muito. Já Garota do Gelo, o que me chamou atenção é curiosidade é descobrir o existe por trás da morte da jovem e das prostitutas

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Gosto muito dos livros policiais, gostei do modo que a autora utiliza essa historia para falar de temas importantes, fiquei curiosa para saber mais sobre a Erika, a escrita da leitura parece ser envolvente e nos trazer uma ótima historia, me deixando interessada nesse livro !!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Karini!!
    Já li esse livro é tive a mesmo problema o início do livro é muito arrastado!! Mas depois a coisa melhora!! Gostei do livro, mas já li livros policias bem melhores!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

© MIX LITERÁRIO- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por