Resenha || Desintegrados - Fragmentados #2 - Neal Shusterman

Editora: Novo Conceito
Páginas: 416
*Recebido em parceria com a Editora
A Fragmentação tornou-se um grande negócio com poderosos interesses políticos e corporativos em jogo. O governo não quer apenas continuar com ela, como também expandi-la. Cam foi feito inteiramente com as melhores partes de fragmentados e, tecnicamente, ele é um garoto que não existe. Um verdadeiro Frankstein do futuro, que luta para encontrar sua identidade e se questiona se um ser como ele pode ter alma. Quando as ações de um sádico caçador de recompensas ameaçam a causa de Connor, Lev e Risa, o destino de um deles é ligado ao de Cam. A aguardada sequência de Fragmentados desafia a suposição de onde começa e termina a vida e o que realmente significa viver.
Oi leitores queridos, como vão?
Hoje vim falar sobre Desintegrados da série Fragmentados volume 2 - cujo primeiro volume é Fragmentados resenha aqui no blog pela Carol.

Bom.... Vamos relembrar um pouco Fragmentados para aqueles que não leram. A história se passa em um pós-guerra e traz uma temática bem interessante sobre aborto, "em prol da vida", onde existe uma "Lei da vida" que proíbe o aborto, parece legal e tal, mas não se engane por palavras bonitas ou situações teoricamente bacanas; pois na verdade enquanto são contra o aborto, são a favor de pegar os jovens "desajustados" entre 13 e 18 anos a serem "fragmentados", ou seja, retirando todos os órgãos do adolescente sem consentimento do mesmo para pôr em outra pessoa (processo esse chamado fragmentação). Ou seja, seus pais não os querem mais, por motivos diversos, então doam os mesmo ao governo. Loucura certo? Existem locais onde você poderia entregar os jovens “desajustados”, porém a fragmentação é algo implantado pelo governo e os pais simplesmente doam os mesmos acreditando que é o melhor que tem para o momento. Além disso, tem os pais que engravidam e não querem a criança desde o começo e como existe a Lei da vida, eles criam essas crianças em igrejas onde aprendem desde sempre que seu objetivo no mundo é ser fragmentados, salvando vidas..., mas não é lá assim não é. pq não apenas salvam outras vidas, mas tiram vidas também, além de atenderem a pedidos fúteis como: Quero olhos assim ou assado...

Pois bem; no segundo volume Desintegrados a coisa continua, porém de uma maneira muito mais lucrativa, vamos colocar dessa maneira, pois a situação acaba tornando-se um negócio lucrativo para políticos e poderosos endinheirados ou influentes corporativos. O sistema não apenas vai ser mantido como já vinha acontecendo e sim ser expandido. Mas o foco está em desintegrados que são os jovens que acompanhamos em fuga, vivendo escondidos até que tenham idade o suficiente para não precisarem passar pelo processo de fragmentação.

E neste volume temos um "super-humano" ou sei lá como chamar, pois, pegam tudo que há de melhor em adolescentes fragmentados e criam uma espécie de "monstro" ou "humano superdotado" e aí neste volume acompanhamos o passo a passo dessas "expansão" que mencionei acima, onde eles iniciam o processo até que o ser seja em fim inserido na sociedade.

Tem muita coisa interessante na temática dessa trilogia e sinceramente a cada livro, quando penso que não tem nada novo para surgir, vem mais e Neal Shusterman me surpreende. Eu vejo que a leitura não é apenas mais uma distopia, mas "a distopia", pois eu sinceramente ainda não tinha encontrado nada parecido até então e gostei dessa pegada do autor. 
Estou completamente curiosa para ler a continuidade e ver o que mais vai nos ser apresentado e como vai ser essa coisa do "super-humano", desse "brincar de Deus".

A leitura é bastante reflexiva trazendo a questão do aborto, de estar insatisfeito com um filho por ele não ser aquilo que imaginamos e etc., do governo que acredita, talvez, estar fazendo o melhor, mas que na verdade está apenas dando direitos de um lado e tirando de outro, entre outras questões bastante interessantes. 

Recomendo a leitura para amantes ou não de distopias.

10 comentários:

  1. Oi Karini, tudo bem?
    Nossa que série intrigante, nunca li nada parecido e super gostei do que pude ver na resenha. Eu não sou a louca das distopias, mas gosto bastante e eu fiquei bem interessada por este livro. Esta questão de ser a favor da vida e fragmentar os jovens é uma hipocrisia que me lembra bastante aquela que tem na nossa sociedade, na qual as pessoas são contra o aborto mas dizem que bandido bom é bandido morto. Adorei a resenha e já vou adicionar a lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Kari.
    Adorei essa premissa a história é bem bizarra de uma maneira bem interessante e eu não poderia deixar de conferir, gostei de saber que o autor sabe criar as situações de maneira a surpreender o leitor, esse vai para minha lista com certeza.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Que tenso esse negócio da "fragmentação", perder uma vida para salvar outra.
    Não fazia ideia que a história se tratava disso.
    Curti bastante esse tema e fiquei curiosa pra conhecer um pouco mais da história.
    Gosto de distopias e essa série vai pra minha listinha, com certeza.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. Karini!
    Li Fragmentados e achei o tema bem diferente mesmo, embora não concordei com a história de fragmentar os 'párias', digamos assim...
    Aqui parece que o enredo ficou ainda mais absurdamente criativo, tornando realmente uma distopia única e claro que quero conferir e descobrir mais sobre esse ser criado...e o que ele pode fazer.
    “Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade.” (Georges Bernanos)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. É muita crueldade essa fragmentação. Mas mesmo sendo triste essa parte estou curiosa para conhecer esse super humano e como os jovens fugitivos vão lidar com essa arma

    ResponderExcluir
  6. Gente eu lembro que quando esse livro lançou eu fiquei " Jesus, que o governo não tenha ideia baseada nesse livro!". Eu tenho a intenção de ler essa série ainda e poso dizer que a vontade aumentou agora depois de ler a resenha do segundo livro porque se já não fosse ruim o suficiente o programa existir o governo quer expandir o programa. Isso pede uma leitura para poder entender bem melhor a leitura. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  7. O primeiro livro Fragmentação, eu fiquei bastante animada para ler. Achei bastante diferente a historia. Já segundo livro Desintegrados, li resenha que falaram que deixou a deseja, porque possui bastante enrolação. Mas apesar de tudo isso, eu ainda quero ler essa obra

    ResponderExcluir
  8. Oi, Karini!!
    Adorei conhecer esse livro, achei muito legal a premissa desse livro fiquei bem animada!! Mas primeiro tenho que ler o primeiro livro!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Estou muito curiosa sobre essa serie, vi muitas comentários positivos sobre o primeiro livro e lendo a resenha desse parece que o Neal Shusterman, consegue trazer ainda mais coisas para dentro dessa historia, se tiver oportunidade quero ler essa serie !!

    ResponderExcluir
  10. Menina, li Fragmentados em poucos dias, aliás concluí ele hoje de madrugada (não conseguia parar de ler) e amei, amei como o final foi fechado apesar de haver uma continuação, amei a forma como foi narrado, amei tudo
    Masssssssss como existe aquela velha maldição do segundo volume tô meio "assim" com Desintegrados. Medo de me decepcionar e acabar odiando a série toda.

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de Março você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir