Resenha || Paixão - Notorius #2 - Nicole Jordan

Editora: Planeta
Selo: Essência
Páginas: 400
A bela e sensual Aurora Demming acaba de perder o seu prometido e para garantir seu futuro, seu autoritário pai arranja-lhe um casamento de conveniência com um homem bem mais velho que ela. Com o fim de espantar a tristeza da sua vida, viaja às Ilhas Britânicas Ocidentais onde conhece Nicholas Sabine, um perigoso e sedutor americano condenado à forca por assassinato e pirataria com quem faz um estranho pacto. Aurora aceita se casar com o enigmático estrangeiro e tornar-se tutora de sua meia-irmã para fugir do acordo paterno. Há porém outra condição essencial, é preciso legitimar a união dos dois e para isso, a angelical donzela deverá realmente consumar a noite de núpcias, um breve espaço de tempo no qual o encantador Nicholas mostrará a Aurora parte dos segredos voluptuosos de dois corpos em um mesmo leito. Viúva, de volta à sociedade inglesa e com a irmã de Nicholas sob a sua responsabilidade, ela inicia uma uma nova vida, independente mas desprovida de amor.
"Paixão" é o segundo livro da série Notorius e tem como protagonistas Nicholas Sabine e Aurora Demming.
O prólogo é narrado em primeira pessoa e se trata de uma anotação em um diário datada de 16 de julho.

O livro é dividido em três partes narradas em terceira pessoa: Parte I - Laços do Desejo; Parte II - A dança da Paixão e Parte III - Uma paixão do coração.
Laços do Desejo se passa nas Índias Britânicas Ocidentais, em fevereiro de 1813. A lady Aurora Demming, filha do duque de Eversley é uma jovem de 21 anos que passou por muitas perdas em tão pouco tempo. Além de perder a mãe precocemente, oito meses antes seu noivo Geoffrey morreu afogado. Geoffrey e Aurora estavam comprometidos desde crianças e Aurora nutria muito carinho por ele, um rapaz tranquilo, gentil e apaixonado por livros. Pouco tempo depois do falecimento do seu noivo, o duque de Eversley faz um acordo para casar Aurora com um homem vinte anos mais velho do que ela; um homem opressor e rígido que já teve outras duas jovens esposas.

Quando Geoffrey faleceu, seu primo Percy e sua esposa lady Jane Osborne convidaram Aurora para passar um tempo com eles nas Índias Britânicas Ocidentais. É nesse momento que Aurora vai para lá e aproveita para estender seu tempo e evitar voltar para a Inglaterra e assumir o compromisso exigido por seu pai.
Aurora estava passeando um dia com Percy quando observa um homem sendo cruelmente machucado por soldados. Em um ímpeto, ela vai ao encontro do capitão Richard Gerrod exigir que trate o prisioneiro de forma mais humana.

"Era impossível explicar a afinidade que sentiu com ele. Seria mais difícil ainda negar. Ele era um corsário, e isso para dizer o mínimo. Um homem violento. Um homem com sangue nas mãos". (p. 32)
Algo nesse prisioneiro chama a atenção da jovem. Talvez seja seu andar altivo mesmo diante terríveis acontecimentos ou uma vaga semelhança com Geoffrey. Aurora não sabe explicar. Tudo o que consegue fazer é sentir...

O prisioneiro em questão é Nicholas Sabine, um americano com conexões com a Coroa. Porém o capitão Gerrod está determinado a enforcá-lo por pirataria e assassinato, independentemente de suas conexões.
Intrigada com o prisioneiro, Aurora vai procurar ajudá-lo e vai se ver envolvida em um romance espetacular. Nicholas não acredita na jovem que está tentando ajudá-lo. É uma jovem linda, de família proeminente e amável.
"Ela estremeceu ao pensar em como seu pai reagiria, a fúria que ela teria de enfrentar... Embora não fosse apenas lidar com a explosão inevitável de seu pai ou casar-se com um estranho o que tornava sua decisão tão difícil. Ela foi pedida em casamento por um homem morto. O que partia seu coração era pensar em Nicholas Sabine morrendo". (p. 61)
Sabendo que seus dias estão contados, Nicholas faz uma proposta a Aurora: casaram-se para que ela seja a tutora de sua meia-irmã Raven Kendrick, uma jovem de 19 anos. A missão de Aurora é levar Raven à Inglaterra e apresentá-la a sociedade. Em troca, Aurora receberia uma quantia considerável para viver e sua independência, graças ao seu status de viúva. A única condição de Nicholas é que o casamento seja consumado, para que o duque de Eversley não possa anulá-lo.
"- Não estou enganado, sereia - disse suavemente. - Já experimentei todo o doce fogo escondido debaixo da sua reserva de frieza. Há uma mulher sensual e ardente esperando para ser libertada. E tenho intenção de encontrá-la". (p. 201)
Intrigada com esse pirata carismático e com a ideia de ter liberdade, ela aceita a proposta e acaba tendo a noite de sua vida.
Em A dança da Paixão, Aurora está em Londres, apenas quatro meses após ao seu casamento com Nicholas, guiando Raven nos salões e aproveitando a sua viuvez. O que ela não espera é que Nicholas tenha conseguido fugir da morte e vai para Londres para reivindicar sua esposa.
"Seu famoso marido de uma noite só estava bem vivo. E ela não tinha a menor ideia do que fazer a respeito". (p. 137)
Em Uma paixão do coração temos o encerramento de todas as subtramas e o encerramento da história de Nicholas e Aurora.
Nicholas é carismático e rebelde. Desde cedo ele demonstrou um lado mais selvagem que o fez mergulhar em aventuras nos altos mares, tornando-se um pirata e trilhando o seu caminho por conta própria. Mas se engana quem pensa que ele é um homem sem coração; na maioria de suas aventuras ele acaba ajudando um estranho.

Aurora é uma jovem compassiva que passou toda a sua vida salvando os outros. A sua criação não foi fácil, pois seu pai é um homem de temperamento volátil que não hesita em usar os próprios punhos para conseguir o quer, inclusive dos empregados. Viver sob um teto autoritário e repleto de violência fez com que Aurora procurasse a tranquilidade e o sossego e ser casada com um homem aventureiro é tudo o que ela não precisa. Mas Nicholas não é apenas um aventureiro, ele é um sedutor, um homem que sabe como satisfazer as mulheres. E Aurora já teve um gostinho dessas habilidades e resistir é uma tarefa extremamente difícil. Além disso, existe um fogo interno na mocinha que arde de desejo pelo marido e pela possibilidade de quebrar as convenções.
"- Para você é fácil dizer. Não será a sua reputação que ficará em frangalhos se um homem desconhecido for encontrado na sua cama.- Se um homem for encontrado na minha cama, suponho que minha reputação será bastante abalada. Mas são poucas as chances de isso acontecer, uma vez que sou excessivamente inclinado a preferir as mulheres". (p. 157)
Além da história do casal, temos a história de Raven, a meia-irmã de Nicholas e de Harry March, o irmãozinho de dez anos de idade do Geoffrey.
A trama é uma sensual história de amor, com muitas cenas sexys e momentos românticos, mas também apresenta personagens que demonstram crescimento e amadurecimento durante a leitura. Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho.
"Ele tinha viajado para a Inglaterra para reclamar sua esposa, e não iria embora enquanto o seu objetivo não fosse alcançado". (p. 151)
Confiram a resenha de:
Sedução - livro 01

1 comentários:

  1. Carolina!
    Gostei foi muito da sua análise explicitada dos fatos que ocorrem no livro, ainda mais por passar no século XIX.
    E quando tem criança envolvida o enredo se torna ainda mais atraente aos meus olhos.
    Desejo uma ótima semana!
    “A parte que ignoramos é muito maior que tudo quanto sabemos.” (Platão)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir