Resenha || Novembro 9 - Colleen Hoover

1.12.16

Editora: Galera Record
Página: 352
*Livro recebido em parceria com a editora.
Autora número 1 da lista do New York Times retorna com uma história de amor inesquecível entre um aspirante a escritor e sua musa improvável.
Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos?
Mais uma vez, estamos aqui para falar dela, a destruidora de corações, aquela que te esmaga, te destrói, te põe no chão e te pisa sem piedade, sem a menor vergonha; sim, estou falando de Colleen Hoover.

Quem já tá aqui pelo Mix há algum tempo sabe da minha paixão pela Colleen e como sua escrita foi me conquistando. E estamos aqui novamente para falar de mais uma obra dela: Novembro 9.

O livro nos traz a história de Fallon, uma jovem que está de mudança de Los Angeles para Nova York, entretanto no dia da sua mudança, ela conhece Ben, um aspirante a escritor.
A química entre os dois é instantânea e isso faz com que os dois resolvam passar as últimas horas de Fallon em Los Angeles juntos. Em uma conversa mais que interessante, Ben percebe que a história de Fallon, sua tragédias, superações, visões para o futuro e se trona uma grande inspiração para o romance que ele pretende escrever.

Como a mudança de Fallon é inevitável, eles prometem se encontrar uma vez por ano, sempre no mesmo dia, mas há um acordo: durante o período em que não se veem, eles não poderão ter contato algum e nem podem se procurar pelas redes socais, além de ter que aproveitarem as oportunidades que surgirão em suas vidas.

Você pensa: "nossa esse sim, esse será um contemporâneo fofo de ler, feito para curtir a leitura..." Tenham em mente: estamos falando de Colleen Hoover.
“Se ela não tomar cuidado, eu posso me apaixonar por ela. Essa noite.”
“Não quero ser o seu primeiro, Fallon. Eu quero ser o seu último.”
Mas vamos lá, primeiramente ela nos introduzirá alguns momentos agradáveis. Os primeiros anos dos reencontros de Fallon e Ben, são fofos e únicos; Tudo continua caminhando bem e cada vez mais apaixonante.

Eis que então...

Temos o primeiro plot twist... É nesse momento que nosso coração começa a ser quebrado. E Hoover resolveu maltratar aqui em Novembro 9. Os acontecimentos vem uma escala de tapas na cara, em que os encontros entre eles passam a ficar tensos e começamos a ter dúvidas das reais intenções de Ben.

Mas eles não desistem; a cada ano os obstáculos ficam maiores, começam as desilusões. Temos uma antagonista que nos faz odiá-la mesmo sem merecer, porque nesse momento já estamos completamente solidários a Fallon.

Aí você pensa: "não pode piorar, ela não tem mais nenhuma carta na manga que possa fazer isso aqui desandar ainda mais, chegamos no limite". E é nesse momento que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fábula de Ben em nome do enredo perfeito.
“Foram precisos quatro anos para me apaixonar por ele. Foi preciso apenas quatro páginas para parar.”
Então... A coisa piora e o maior plot vem quase na reta final. E Colleen termina de quebrar nossos corações. 

Esse livro simplesmente bagunçou comigo, mexeu extremamente com minhas emoções. Foram vários picos entre o amor e o ódio; entre o apego e a desilusão. Os dois carregam traumas, desilusões e culpa, a dor de cada um é dilacerante. Novembro 9, é um verdadeiro jogo emocional, onde é possível vê-los lutar com unhas e dentes para não se entregarem, para não se perderem na dor.

Uma escrita sensível e envolvente, na qual somos arremessados a um universo único, cheio de perdas e superações. Uma obra tocante, que nos faz sentir tão profundamente as dores pela quais todos eles passam de uma forma tão viva e tão verdadeira.
“Ela “me amava” nas cotações
Ela me beijou em negrito
EU TENTEI MANTER SUAS LETRAS em maiúsculas
Ela saiu com reticências…”

10 comentários

  1. Gosto muito dessa autora, então estou empolgada para ler esse livro! Jpa vi muita gente falando bem dele.

    ResponderExcluir
  2. Patrícia!
    Nossa! Imagino o quanto deve ser difícil passar um ano inteiro sem se comunicar com alguém que se quer bem e ainda ter de esperar vários anos para poder ficar definitivamente com ela, acredito que enlouqueceria....
    Adoro a autora também e quero ler mais esse livro dela.
    “Que os sinos natalícios anunciem as boas novas e te tragam um natal abençoado. Boas Festas!”
    (Priscilla Rodighiero)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de DEZEMBRO ESPECIAL livros + BRINDES e 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Desde que eu conheci a escrita dessa autora em métrica eu estou apaixonada por ela. Aliás, inicialmente achei que esse livro em questão fosse de suspense, mas me enganei. Hoover prefere os romances dramáticos, e saber que ainda tem plot twist melhor ainda.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/
    Participe dos SORTEIOS de Natal que estão rolando lá no blog!

    ResponderExcluir
  4. Oi Patricia, resenha linda pra um livro lindo <3 Só amor por essa história, é impossível não criar uma ternura instantânea por Fallon e a escrita de Colleen é tão fluida que mesmo alternando tantos sentimentos (bons e ruins) durante a leitura desse livro não tive vontade largá-lo. Colleen e uma diva e acho que todo mundo deveria ler pelo menos um livro dela na vida rsr ;)

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Quero muito ler esse livro, faz um tempo que vi ele e ao ler a sinopse pensei que seria um livro triste, mas lendo a resenha realmente não pensei que seria tão triste, parece ser aquele tipo de livro cheio de surpresas e que torcemos bastante pelo casal principal. A Collen consegue mesmo mexer com a gente, de um jeito que ao acabar a leitura ainda ficamos uns momentos pensado, com certeza irei ler esse livro !!

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nada da Colleen Hoover por achar que seus livros não passavam dos romances de sempre. Hoje percebi o quão errada eu estava. Sua resenha me deixou muito curiosa para ler esse livro. Agora entendi o porque de estarem falando tanto nele, parece ser incrível! Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li nem um livro da autora Colleen Hoover, mas não são poucos os comentários positivos que leio sobre os livros dela, inclusive Novembro 9, lendo sua resenha fiquei super ansiosa para ler este livro, pois a história parece ser ótima, sem dúvidas pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
  8. Eu adoro esse plot de casais que impõem alguns pequenos (pequenos?) desafios para viverem um romance que, naturalmente, já seria árduo de mantê-lo... Essa premissa dos desafios autoimpostos me lembrou também "Aritmética", da Fernanda Young. Também nunca li nada da Colleen, mas depois tão forte argumentação, sou obrigado a reconsiderar!

    ResponderExcluir
  9. Curti muito a resenha desse livro, mesmo sendo um pouco adolescente, eu gostei muito. Tenho muita vontade de ler os livros da autora, parece sempre ser uma leitura fácil e agradável para ler.

    ResponderExcluir
  10. Mas eu vi tanta gente falando bem dele antes de sair aqui que quase tive um treco quando anunciaram o lançamento. Os livros dela vem me conquistando muito durante os anos. A primeira série que li não me deixou tãããão sensível e coisa e tal, mas depois fui lendo um atrás do outro e parecia que cada livro me destruía mais. Virou uma das minhas autoras favoritas. A mulher sabe mexer com o nosso emocional! Faz a gente se sentir na história, como se aquilo acontecesse contigo e quando começa um livro dela é um terror pra parar de ler porque não dá pra pausar, a gente tem que saber onde vai dar. Já vi que esse é outro que destrói corações e faz tudo isso. Bate até aquele medo do quanto vou chorar lendo. Porque pelo jeito esse tem carga emocional forte heim! Quero ler.

    ResponderExcluir

© MIX LITERÁRIO- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por