Resenha II A Princesa da Lapa - Danilo Barbosa

Editora: Universo dos Livros
Páginas: 304
*Recebido em parceria com a Editora*
Há tempos, entre os postes brilhantes e solitários da Lapa, houve um castelo feito de amores e ilusões perdidas. Nele, entre cortinas e brocados, existiu uma bela mulher, prisioneira de sentimentos perdidos e marcada pelo desejo dos homens. Uma mulher inesquecível, que foi chamada e ovacionada como a Princesa da Lapa. Jonas é um jovem escritor capaz de escrever as mais belas histórias de amor, mas não de vivenciá-las. Por ter sido abandonado por aquela que considerava a mulher da sua vida, ele não acredita mais em finais felizes. Até que, em uma noite, uma misteriosa senhora o encontra, disposta a lhe contar a sua história... A partir do momento em que a fantástica personagem começa a se revelar ao cético criador de histórias, um novo conto de fadas se revela aos olhos dos leitores, mostrando um mundo de paixões vorazes, sensualidade, poderes supremos e a eterna luta do bem contra o mal. Sejam bem-vindos à incrível e instigante história daquela que ficou conhecida para sempre como A Princesa da Lapa.

"Irei narrar esta história da forma como me lembro. Posso preencher alguns vazios com minha sutil imaginação, e não garanto que pontas soltas ou fios órfãos, carentes de explicação, não permaneçam. Contudo, quando eu terminar de contar tudo o que vivi, sei que acontecerá com vocês o que de fato ocorreu comigo. Nada mais será o mesmo". (p. 14)
A trama é narrada em primeira pessoa através da perspectiva dos protagonistas e dividida em três partes: Parte 1 - Breves despedidas, definitivos encontros; Parte 2 - A história de R; Parte 3 - As palavras de Jonas.

Conforme a sinopse explica, a história se inicia com Jonas, um escritor que sofre com desilusões amorosas em sua vida e com isso se torna um homem que não acredita no amor. A primeira parte do livro conta uma parte de sua história, até o encontro com a misteriosa R.
"“Eu tentei te amar, mas não consegui.”   Foi essa a frase que deu início a tudo." (p. 19)
Quando Jonas encontra R e essa passa a descrever sua história, o leitor é levado a um conto de fadas nada tradicional, que tem como pano de fundo a Casa dos Prazeres, um bordel que irá tirar o véu da inocência de R.
"Sem delongas, deixemos de lado as introduções teatrais e os subterfúgios. Seja bem-vindo à vida de R, a Princesa da Lapa! Melhor dizendo, sem demagogias: à minha história." (p. 74)
Como em uma peça de teatro, os capítulos vão avançando em forma de cenas, onde temos um longo caminho a ser percorrido. A Princesa da Lapa, uma jovem que vivia uma infância feliz e pura em meio a um antro do sexo, mas que ao se tornar mulher começa a enxergar a verdadeira face do local e das pessoas ao seu redor. Uma história repleta de altos e baixos, dores e desilusões, encontros e desencontros.
"Seria a devoradora de homens, a guardiã dos segredos de alcova, a rameira, a puta escancarada, aquela que seria enxovalhada nas ruas, mas desejada com voracidade entre quatro paredes. R seria a perda da razão, a mais amada e odiada entre as mulheres do Rio de Janeiro. Uma simples letra murmurada entre lábios nunca deteria tamanho poder como aquela associada a mim."
R é uma personagem forte, resiliente, prova de que é possível superar as adversidades com muito amor próprio. É uma trama que encontra beleza nos lugares improváveis, que mostra a felicidade e a maldade humana. É uma obra completa que apresenta o poder feminino, a garra e a determinação necessária para seguir em frente.
Uma obra impactante, apaixonante e totalmente inesquecível.

3 comentários:

  1. Oi, Carolina!
    Logo pela sinopse e pelos quotes já deu pra notar que o autor se preocupa bastante com a escolha das palavras, mas eu, particularmente, achei poético demais :/
    Não gostei de ser descrita semelhante a uma peça de teatro, e o pano de fundo da história também não me atraiu, apesar de imaginar a intensidade do amor que o Jonas sentiu por R (não entendi se é recíproco ou não).
    Por enquanto não leria.

    ResponderExcluir
  2. Carolina!
    Não conhecia o livro e fiquei intrigada pela protagonista não ter um nome e sim apenas uma letra R.
    Deve ser um livro carregado mesmo de emoção e de muitos outros sentimentos porque morar e ser criada em um antro de boemia não deve ser fácil e ainda assim, ela não trilhar o caminho onde viveu.
    Desejo um ótimo Halloween e um mês maravilhoso!
    "O conhecimento chega, mas a sabedoria demora."(Alfred Tennyson)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não sabia do livro, achei interessante a personagem não saber seu próprio nome e a narrativa ser impactante, imagino que causa diversas emoções ao leitor, despertando os mais diversos sentimentos, quero ler.

    ResponderExcluir