Resenha II Os Sombras - Irmandade da Adaga Negra #13 - J. R. Ward

7.10.16

Páginas: 638
*Recebido em parceria com a Editora
Dois irmãos, ligados por algo maior que o laço de sangue, lutam para evitar um destino brutal. Trez "Latimer" não existe de fato. E não só porque essa identidade foi criada para que o Sombra pudesse viver no mundo humano. Trez fugiu de sua prisão no palácio dos Sombras há anos, e agora vive em Caldwell como cafetão, sempre tentando evitar seu fatal destino como escravo sexual da rainha. Ele nunca teve em quem confiar de verdade... a não ser no irmão, iAm. O único objetivo de iAm sempre foi impedir que o irmão de autodestruísse, e ele sabe que fracassou nisso. Só depois que Selena, uma Escolhida, entra na vida de Trez, é que o macho começa a dar a volta por cima; porém, é tarde demais. Chegou a hora de cumprir a profecia de se compromissar com a filha da rainha, e Trez não poderá fugir ou se esconder, e não há como negociar. Encurralado entre o desejo de seu coração e um destino que nunca aceitou, Trez deve decidir se põe a si mesmo e aos outros em perigo, ou se esquece para sempre a fêmea amada. Após uma tragédia inimaginável, da beira do seu abismo emocional, Trez precisará encontrar um motivo para continuar ou se arriscará a perder tudo, inclusive a alma. Será que iAm, em nome do amor fraterno, aceitará realizar um derradeiro sacrifico em lugar do irmão?
"Os Sombras" é o 13º livro da série A Irmandade da Adaga Negra. Nos dois últimos livros, temos acompanhado a situação de iAm e Trez mais de perto. Os irmãos são da tribo s'Hisbe, uma tribo que acredita que o destino de cada cidadão é determinado pelos astros e que não devem fazer contato com os humanos, pois esses são indignos. Na verdade, os s'Hisbe são uma comunidade bem fechada e ficam confinada em seu território.

Quando os irmãos nasceram, foi determinado que Trez era o Ungido, ou seja, aquele escolhido pelos astros para ser o consorte da futura rainha e servi-la. A infância de Trez não foi fácil: viveu isolado, confinado com seus educadores e sem interações de amor e carinho, sua família praticamente o vendeu, pois assim que foi eleito o escolhido eles ganharam status na comunidade e não questionaram o bem-estar de Trez. O único que esteve ao seu lado foi iAm, que muitas vezes foi usado pela rainha para dobrar as vontades de Trez.

No preâmbulo desse livro, acompanhamos o momento que Trez realiza sua fuga. Uma cena arrepiante pelo excesso de mortes e um momento que definiu o personagem.

Na atualidade Trez ignora as cobranças do s'Ex, o executor, e continua seus negócios, abrindo agora uma nova boate: Shadows. Acostumado a presenciar a prostituição e as drogas, Trez tenta manter sua boate sob controle quando alguns redutores começam a traficar dentro dela. Tem também o fato de que ele não consegue deixar de pensar na Escolhida Selena e que graças a s'Ex, pode existir uma mudança entre os herdeiros do trono no território dos s'Hisbe.

Em paralelo à história de Trez, temos conflitos dentro do bando de Bastardos. Throe não está satisfeito com a liderança de Xcor, principalmente após ele ter abrandado os ânimos por causa da Escolhida Layla.

Um personagem que apareceu no livro anterior e vem ganhando espaço é Abalone. Após ter sido ameaçado pelos inimigos de Wrath, sua lealdade o tornou o primeiro conselheiro do rei e sua filha Paradise também começa a demonstrar suas ideias e sentimentos (ela será a protagonista do livro Beijo de Sangue - primeiro livro da série O legado da Irmandade da Adaga Negra).

Apesar de todas as subtramas, a que mais se destaca nesse livro é sem dúvida a que envolve diretamente os s'Hisbe. É uma nova cultura, com novos hábitos e que tem ainda muito conteúdo para desenvolver. Emocionalmente, a história da Escolhida Selena é até o momento, uma das mais tristes. Foi difícil chegar ao final do livro, pois o sentimento com esta história foi ambíguo: amor e raiva duelaram arduamente. É impossível acompanhar a história de Trez e iAm e não pensar na história de outra dupla de irmãos da Irmandade. Ambas as histórias são cheias de sacrifício, abnegação e muito amor fraternal.

Alguns personagens secundários, como Fritz, o constante mordomo que aparece em todos os livros e até Boo, o gato da rainha, causaram momentos de alegria nessa trama tão complexa e emocional. Isso sem mencionar um determinado anjo que sabe muito bem como causar cenas inapropriadas.

Se por um lado a história é triste, temos a reflexão dos outros irmãos sobre o assunto. Rhage passa boa parte do livro tentando compreender como foi abençoado com tantas coisas boas, enquanto outros irmãos perderam tudo.

5 comentários

  1. Carolina!
    Bom saber que apesar de triste esse exemplar da série, traz várias reflexões que devem melhorar os personagens nos próximos livros.
    “Buscamos, no outro, não a sabedoria do conselho, mas o silêncio da escuta; não a solidez do músculo, mas o colo que acolhe.” (Rubem Alves)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carolina!
    Nunca li nenhum livro dessa série e sei bem pouco sobre ela, então nem preciso falar que foi hiper confuso tentar entender do que se trata com a resenha do décimo terceiro livro, não é mesmo? Pelo pouco que entendi fiquei triste pelo Trez não poder opinar pelo próprio destino. Não sou muito fã de livros do gênero, e começar um série grande com livros imensos e caros não é prioridade pra mim no momento...

    ResponderExcluir
  3. Essa é uma das séries que namoro a distancia kkkk
    Sempre tive muita curiosidade em ler os livros desta série, porém a única coisa que me mantém longe é o número de livros lançados, confesso que fico intimidada. No momento estou fugindo de séries longas assim, pois tenho muitas ainda para pôr em dia. Mas essa com certeza ficará guardadinha na lista de espera, um dia eu tomo coragem e começo a lê-la.

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Sempre vejo muitos comentários positivos sobre a serie IAN e sempre acabo falando que irei ler mas por ser muitos livros acaba que passo outros leituras na frente, mas gostei muito dessa historia pois uma das coisas que me fascina nessa serie e esse sistema da irmandade e essa mitologia da serie que a autora cria, me deixando bem curiosa para conhecer !!

    ResponderExcluir
  5. Derramei rios nesse livro!!! Muita injustiça o que aconteceu com Selena e Trez!!! Me revoltei com a maneira como ele e iAm foram tratados pelo seu povo e pelos proprios pais!!! Também pensei em Z e Phury quando li esse livro!!! Torcendo por um proximo livro sobre esses irmãos e quem sabe um desfecho melhor para Trez!!!

    Bjssssss

    ResponderExcluir

© MIX LITERÁRIO- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por