Resenha || Six of Crows: Sangue e Mentiras - Six of Crows #1 - Leigh Bardugo

Editora: Gutenberg
Páginas: 376
*Recebido em parceria com a Editora
OESTE DE RAVKA, ONDE GRISHAS SÃO ESCRAVIZADOS E ENVOLVIDOS EM JOGOS DE CONTRABANDISTAS E MERCADORES…
…fica Ketterdam, capital de Kerch, um lugar agitado onde tudo pode ser conseguido pelo preço certo. Nas ruas e nos becos que fervilham de traições, mercadorias ilegais e assuntos escusos entre gangues, ninguém é melhor negociador que Kaz Brekker, a trapaça em pessoa e o dono do Clube do Corvo.
Por isso, Kaz é contratado para liderar um assalto improvável e evitar que uma terrível droga caia em mãos erradas, o que poderia instaurar um caos devastador. Apenas dois desfechos são possíveis para esse roubo: uma morte dolorosa ou uma fortuna muito maior que todos os seus sonhos de riqueza.
Apostando a própria vida, o dono do Clube do Corvo monta a sua equipe de elite para a missão: a espiã conhecida como Espectro; um fugitivo perito em explosivos e com um misterioso passado de privilégios; um atirador viciado em jogos de azar; uma grisha sangradora que está muito longe de casa; e um prisioneiro que quer se vingar do amor de sua vida.
O destino do mundo está nas mãos de seis foras da lei – isso se eles sobreviverem uns aos outros.
Quem não conhece Leigh Bardugo? Ela ficou bastante conhecida pela trilogia Grisha que eu amei e agora ela continua adentrando nesse universo, porém explorado por outros ângulos após a guerra civil.

Sangue e Mentiras é o primeiro livro da série Six of Crows e nela somos mais uma vez inseridos em um fantástico mundo recheado de Grishas, magia e personagens instigantes e complexos. 

Na primeira parte temos Joost um guarda que ficou encantado por Anya uma Grisha curandeira que se tornou propriedade de Hoede em um contrato de servidão infinito ao que parece; ele e Anya trocaram poucas palavras, mas ela acabou tornando-se a melhor parte de suas rondas nas noites de trabalho como guarda e ao ver ela sentada com o olhar sem foco e cercada de guardas algo o deixou em alerta percebendo que algo estava errado, muito errado. Estava sendo testada uma espécie de droga em Anya e isso era simplesmente assustador, descobrir o que ela poderia ser obrigada a fazer sob comando de Hoede ou o que a droga pode alterar na doce Anya.

O clima de Ketterdam é bem sombrio com os mercadores de fachada e gangues que permeiam as camadas que vão além da superfície com jogos e pessoas que vão atrás de satisfazer seus desejos mais sombrios. Kaz Brekker não precisa de um motivo. Essas são palavras bem comuns nas ruas de Ketterdam. Ele não precisa de motivo nem permissão para quebrar pernas, romper alianças ou mudar o jogo. Na verdade não motivos conhecidos por todos, apenas de seus próprios motivos que talvez possam ser meio dúbios. Kaz é líder dos Dregs e ele é implacável e faz o que for necessário para manter seu domínio. Ele é cruel e temível até mesmo em seu ciclo de Dregs. Quando ele recebe uma oferta de invadir a Corte de Gelo e resgatar um prisioneiro, vê no impossível um desafio talvez, e monta sua equipe composta por Inej - uma menina capaz de se fazer "invisível" e conhecida como "espectro", Wylan, Nina uma Grisha sangradora, Mathias um druskelle e Jesper especialista em armas.

Todos os seis jovens da equipe montada para a invasão, incluindo Kaz, têm seus problemas e personalidades bastante fortes e ao embarcarem nessa aventura à Corte de Gelo percebem que não irão apenas ter de lidar com a maior aventura de suas vidas, mas terão de aprender a conviver e confiar uns nos outros, pois todos possuem um motivo em comum; a sobrevivência!

A história é narrada em terceira pessoa em um mundo bem delineado com personagens incríveis e complexos e ao mesmo tempo palpáveis com suas vulnerabilidades e anseios, assim como seus desejos ocultos. Mais uma vez Leigh Bardugo dá um show e consegue me deixar muito ansiosa pela continuação!

A capa está perfeita, a diagramação e revisão também. 
Espero que a continuação não demore a sair!


Dani.

5 comentários:

  1. Tô vendo muito falar nesse livro, mas não sabia do que se tratava e nunca li nada da autora, mas já adorei da premissa aqui da sua resenha!
    Amo o gênero e saber que os personagens são bem reais, tanto na complexidade quanto nas vulnerabilidades!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  2. Ah gente, eu sou apaixonada por histórias contadas em terceira pessoa. Tudo parece mais completo, mais descrito, me sinto fazendo mais parte da cena. O enredo é bem interessante e como eu gosto desse tipo de literatura, com coisas complexas e tudo mais, com certeza me arriscaria sem medo.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente não conheço Leigh Bardugo pelo simples fato de não ter lido a Trilogia Grisha. Tá, tudo bem, sei que mereço uns cascudos por isso, mas fazer o que, né?
    Fato é que fiquei muito interessada pelo enredo do livro e quero ler.
    “A vida guarda a sabedoria do equilíbrio e nada acontece sem uma razão justa.” (Zíbia Gasparetto)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Quero muito ler esse livro!!! A capa é linda e o tema é um dos meus favoritos!! Ainda não li nada dessa autora, mas ouvi dizer que seus livros são muito bons!!! Vou ler primeira a Trilogia Grisha para depois ler essa, assim não fico boiando sem entender nada!!!

    Bjsssssss

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia esse livro e nem a autora. A história é legal, vale a pena ler.

    ResponderExcluir