Resenha II Conquistada por Um Visconde - Cynster Sisters Trilogy # 1 - Stephanie Laurens

Editora: Harper Collins 
Páginas: 368
*Recebido em parceria com a Editora*
Londres, 1829. Decidida a escolher seu próprio herói, um que a deixe completamente extasiada e pronta para a felicidade conjugal, Heather Cynster declina convites para os bailes conservadores da aristocracia londrina e busca aventuras fora de seu círculo social. Ao ultrapassar as fronteiras de seu mundo seguro e comparecer a um sarau oferecido por uma dama de reputação duvidosa, Heather acaba entrando na cova de leões. Mas seus planos de independência são arruinados quando encontra, no meio do salão, o enervante Visconde Breckenridge. Amigo dos Cynster e, principalmente, dos irmãos de Heather, ele a toma pelo braço e a leva até a carruagem. Mas seus esforços são inúteis. A poucos metros de entrar no carro, Heather é interceptada e sequestrada por inimigos ocultos que buscam vingança contra os Cynster. Agora, o arrojado Visconde terá de provar que é realmente o herói que Heather tanto almeja... Escrito com maestria, paixão e toques de humor, Conquistada por um visconde é uma trama inesquecível, que deixará o leitor querendo mais após a última página. Composta por Stephanie Laurens, considerada a sucessora de Georgette Heyer e a principal referência de muitas escritoras de sucesso, seus romances têm como cenário a alta sociedade de Londres do período regencial. Conquistada por um visconde é a escolha certa para os fãs de narrativas cujos personagens são damas audaciosas arrebatadas por nobres sedutores.
A trama é narrada em terceira pessoa e gira em torno de Heather e o Breckenridge. Heather é uma mulher de 25 anos que busca o seu príncipe encantado, mas que acredita que não irá encontrá-lo em meio aos nobres enfadonhos e arrogantes que perambulam pelos salões da alta sociedade.

Sabendo que essa provavelmente será sua última temporada antes de ser considerada uma solteirona, ela decide participar da festa de Lady Herford, em Wadhan Gardens, uma festa considerada "imprópria", mas que é frequentada pelos mais notórios nobres da sociedade Londrina. E eis que é nessa festa que ela encontra com seu arquiinimigo, o Visconde Breckenridge. Amigo dos primos de Heather, Breckenridge sempre age como um familiar mandão para cima da protagonista e dessa vez não é diferente. Ao perceber que Heather está nessa festa libertina, faz questão de escoltá-la até a porta e mandá-la para casa.

E é ao sair da festa que Heather é sequestrada por Martha, Cobbins e Fletcher. O sequestro é um pouco não convencional por alguns motivos. O primeiro é o fato de que o mandante enviou uma dama de companhia e criou um disfarce para não arruinar o nome de Heather. Mas o mais interessante de tudo é a informação que o alvo não é especificamente Heather e sim uma das "Irmãs Cynster", o que significa que tanto suas irmãs Eliza e Angélica, quanto suas primas Henrietta e Mary poderiam ser alvos. Determinada a conseguir informações sobre a identidade do mandante, Heather faz o papel de refém bobinha e colaborativa enquanto é seguida por Breckenridge, que age como seu protetor e a ajuda a montar as peças desse quebra-cabeças.

Breckenridge fica dividido entre carregar Heather à força de volta ao lar e ajudá-la a identificar o mandante. Ele fica impressionado pelo fato de que ela quer manter a família a salvo e pelo fato de que Heather é sagaz e não desmorona facilmente.

A trama se passa em diversos locais, saindo de Londres até chegar nas Terras Altas. Grande parte das revelações ocorre na estalagem Nutberry Moss inn, no vilarejo de Gretna. É engraçado observar Breckenridge disfarçando-se para passar despercebido e as atuações de Heather para convencer os sequestradores de que não passa de uma mocinha boba e sem noção.

Durante o trajeto, vamos conhecendo mais sobre Martha, Cobbins e Fletcher e percebemos a sagacidade deles em sobreviver golpe após golpe. Fletcher é o líder, com uma mente inquisitiva e grande poder de observação; Cobbins é calado e taciturno e Martha tem seus momentos generosos.
A identidade do mandante do sequestro é mantida em segredo durante toda a narrativa, mas temos capítulos que apresentam a perspectiva dele. Aparentemente, ele está sendo coagido por alguém obcecado pelos Cynster a arruinar as mulheres dessa família.
"Ele parecia anda mais poderoso da lembrança que tinham dele - tão alto quanto, com ombros largos, impressionantemente forte, com um rosto que parecia talhado em granito, todas as linhas do rosto ásperas e os pomos afiados, e os olhos pálidos, invernais, gélidos". (p. 135)
Heather é uma Cynster, o que significa que é teimosa, obstinada e decidida. Tais características enfurecem e fascinam Breckenridge, que começa a envolver-se com a jovem. Heather também começa a mudar de opinião em relação ao visconde, mas deixa claro que a sedução irá ocorrer de acordo com os seus termos...

A história do casal é envolvente, porém tem-se a impressão de que faltam informações. Acredito que esse não seja o primeiro livro sobre a família Cynster, pois os familiares citados e os presentes na obra tem uma história complexa e que não é totalmente contada nesse livro, como no caso de Catriona e Richard. Outro detalhe que fica sem muitas explicações é sobre a relação entre as mulheres Cynster e o casamento, situação que acredito ter sido esclarecida em outra obra.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa é bonita e chama a atenção.
"Fora muito mais fácil lidar com ele, e com a equivocada atração que sentia por ele, quando o achava um libertino demasiado-bonito-para-seu-próprio-bem, experiente-demais-para-olhar-na-direção-dela, arrogante, indolente e autoindulgente de primeira ordem". (p. 111)

6 comentários:

  1. Ultimamente tô querendo abrindo meus horizontes e lendo bastante romance de época, então adorei a dica desse, pois parece ser muito bom!
    Adoro esses personagens teimosos, sempre rende cenas engraçadas!
    Que pena que não foi tão completo e faltou informações, mas ainda sim quero conferir!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  2. Parece que só eu que estou por fora dessa moda de romance de época, e tenho que começar logo por algum lugar. Fiquei bem animada por ver uma resenha inicial da série, embora eu tenha corrido de livros que não sejam "únicos". Parece ser um romance bastante apaixonante além de dar a sensação de ser divertido em alguns momentos.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Carolina!
    romances do século XIX e ambientados em Londres, são um luxo e o enredo baseado em uma história totalmente improvável para a época, como um sequestro, deve apimentar ainda mais essa história.
    “A sabedoria só nos chega quando não precisamos mais dela.” (Che Guevara)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Amei esse livro, gosto muito de romance de época. Na realidade é o que eu mais leio. Apesar de ser uma história repetitiva, me amarrei nesse livro.

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito de livros de epoca e vou acrescentar mais um na minha lista!!!! Gostei muito da resenha!!!!

    Bjssssssss

    ResponderExcluir
  6. Oi Carolina, se não me engano essa série é derivada de outra e acho que isso deve ter contribuído pra você achar que faltam algumas informações. Essa é a primeira resenha que leio que apresenta o livro como não sendo tão mal rsrs, as outras descrevem uma história um tanto "chata", mas eu amei a capa e como gosto de ler pra crer, apesar de não estar com tanta pressa de lê-lo vou querer acompanhar a história em algum momento e ver se gosto. Sua resenha é positiva e vi partes da história que podem me agradar :)

    ResponderExcluir