Resenha || A ilha Perdida - As Crônicas da Tulipa Negra #1 - Barry Wolverton

Editora: Agir Now
Páginas: 288
*Livro recebido em parceria com a Editora*
'1599, a Era dos Descobrimentos na Europa. Para Bren Owen, porém, crescer na cidadezinha de Map na costa da Bretanha, significa tudo menos aventura. Enfeitiçado pelas histórias que os marinheiros trazem de suas viagens, e inspirado pelos mapas enigmáticos criados pelo pai cartógrafo para o cruel e carismático navegador Rand McNally, Bren está convencido de que a fama e a fortuna esperam mundo afora. O problema é que suas repetidas tentativas de fuga lhe trazem uma punição pior que a morte: limpar o vômito dos aventureiros que frequentam o Clube dos Exploradores.
É lá que Bren conhece um marinheiro moribundo, que dá a ele um estranho presente que esconde uma mensagem secreta. Aliando-se a um misterioso almirante holandês, obcecado há anos por uma lenda chinesa sobre uma ilha que desapareceu dos mapas, Bren descobre que a mensagem secreta parece levar a um fabuloso tesouro perdido, capaz de mudar sua vida e a do pai viúvo para sempre.
Em pouco tempo, o menino se vê em meio a um perigo maior do que jamais poderia ter imaginado, e precisa da ajuda de um amigo inusitado, Mouse, para sobreviver. A aventura eletrizante de Barry Wolverton percorre os sete mares e muitas culturas, unindo os folclores ocidental e oriental, e prova que, no mar, a sorte é sempre uma faca de dois gumes.'

Esta leitura tem o poder de transportar o leitor para um mundo de aventuras inimagináveis onde iremos acompanhar Bren Owen um menino de apenas doze anos que vive se metendo em confusão na cidade de Map onde vive com seu pai, um cartógrafo bastante talentoso, porém apesar de imenso talento eles não possuem muitos recursos e vivem beirando a miséria; sua mãe morreu faz uns dois anos e isso ainda mexe muito com Bren, enquanto seu pai parece ter se recolhido em sua própria tristeza.

A história se passa em 1599 e o maior desejo de Bren é ir embora de Map para conquistar riqueza e viver aventuras retornando posteriormente em condições de dar uma vida melhor ao seu pai. Com isso o menino se envolve em situações que chega a explodir um navio, além de roubos, mentiras e indo parar em um tribunal. Ele não parece ter muita sorte quando tenta escapar de Map, sempre acaba sendo pego, além de chegar a arruinar navios por acidente. Todos os navios acabam meio que "amaldiçoados" pois somem, ou talvez seja Bren que tenha muita sorte de ser pego antes de embarcar em uma grande furada!

Bren parece condenado a viver uma vida medíocre em Map apesar de todos os seus esforços, mas as coisas começam a mudar quando ganha uma moeda e a mesma parece ter magia e acaba levando-o a descobrir a Ordem da Tulipa Negra e depois finalmente para dentro de um navio que iria mudar sua vida para sempre e garantir muitas aventuras além de sua imaginação!

A Ilha Perdida tem uma pegada fantástica diferente com muito humor, mistérios e adrenalina embutidos; fiquei fascinada por Bren e outros personagens, é desses livros que nos pegamos torcendo e agitados pela continuação!

3 comentários:

  1. Esse lançamento tava passando "batido" por mim, não como ainda não tinha ouvido falar dele, a história parece ser ótima e Ben um protagonista incrível, apesar de só ter 12 anos e espero ter a oportunidade de lê-lo ;)
    P.S: A punição é realmente pior que a morte (argh) rsr

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, parece que tem todos os ingredientes de uma história incrível. Já foi pra minha lista :)

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Achei essa historia interessante por se passar em 1599 e gostei de saber que temos humor no livro, me deixando curiosa para saber mais sobre as aventuras do Bren !!

    ResponderExcluir