Resenha || Respire - Ten Tiny Breaths #1 - K.A. Tucker

21.7.16

Editora : Fábrica231
Páginas: 320
*Recebido em parceria com a Editora
Kacey Cleary não chora, não suporta o toque das pessoas e canaliza sua energia para treinos intensos de kickboxing. Tudo isso depois de um ano de reabilitação física e de mergulhar num mundo de drogas e álcool para tentar lidar com a perda dos pais, da melhor amiga e do namorado, num acidente de carro do qual ela foi a única sobrevivente. Protagonista de Respire, primeiro livro da série Ten Tiny Breaths, sucesso de K.A. Tucker que chega ao Brasil pelo selo Fábrica 231, Kacey chegou ao fundo do poço, mas resolve lutar para sair de lá por Livie, a irmã caçula. Depois de irem morar com uma tia religiosa fanática e seu marido alcoólatra, as duas fogem para Miami para tentar recomeçar, e Kacey terá que enfrentar seus fantasmas para derrubar o muro que ergueu ao seu redor. Às vezes, respirar torna-se uma missão quase impossível, mas K.A. Tucker mostra que é preciso neste romance sobre perdas, amizade, amor e superação.


A primeira vez que li esse livro foi em janeiro de 2014, uma tradução muito boa, e foi intenso, viciante, e meados da leitura falava pra mim mesma: pqp que livro f*da!
"Apenas respire. Dez respirações curtinhas... Prenda o ar. Sinta-o. Ame-o"
Nesta releitura, tradução oficial, lançamento, editora respeitável, essas coisas, me vi meio entediada, não pela repetição dos acontecimentos, mas pelo excesso...

Trauma, trama e trauma...

K. A. Tucker usou de extrema habilidade ao escrever "RESPIRE", já falei que o livro é intenso? Intrincado, como um labirinto, surpreendente, obscuro, temível...

Primeiro temos Kacey, a única sobrevivente de um terrível acidente que matou seus pais, a melhor amiga e o namorado. Kacey usou de pura força e gênio para se recuperar, intolerante e grosseira, demonstra um bem querer apenas pela única pessoa que restou, a inocente irmãzinha caçula Livie.

E o que seria de um intrincado romance-drama sem um misterioso cara?

Trent...
"... covinhas fundas e os olhos mais azuis que já vi - anéis de cobalto com azul-claro por dentro ... Não consigo formar palavras. Não enquanto estou boquiaberta diante dos braços musculosos, sinto o calor se espalhar pelo meu baixo-ventre. Ele veste uma camisa com as mangas enroladas e os primeiros botões abertos, expondo o início de um peitoral incrível..."
Não se sabe nada de Trent, apenas a inexplicável atração física entre Kacey e Trent.

Temos uma mocinha, um mocinho e um trauma, agora vamos ligar tudo e inserir uns personagens secundários engraçados, leais e opiniosos, uma boa dose se sexo, uma boate de stripper como plano de fundo e pronto!

Mas não é só isso, ou seria muito clichê, e posso dizer pelo meu currículo de dezenas de New adults que essa estória é mais, muito mais que clichê.
"Torpor agradável, Negação, Resistência, Aceitação, Dependência, Abstinência, Rompimento, Recuperação, Perdão."
Há aqueles que perguntam se recomendo. A resposta é SIM! Recomendo, me agradou bastante, achei exagerado sim, mas muito bom.

Então... LEIAM! ;)
Escrito por:
Nice Santos

4 comentários

  1. Ainda não enjoei de traumas na literatura new adult pra falar a verdade gosto muito e com certeza quero muito ler este livro.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. fiquei com gostinho de quero mais! parece ser um livro mto bom e adorei. estou ansiosa para ler

    ResponderExcluir
  3. Já li coisas traduzidas assim e depois li o mesmo livro saído da editora e...é meio louco isso. Mas ele parece ser bom de qualquer forma. A história me passou uma ideia de ser intensa mesmo, mas aí só lendo pra ver o que acho. Pretendia, o tenso agora é conseguir. Já tem tantos na lista pra ler xD

    ResponderExcluir
  4. Eu tô bem curiosa sobre esse livro, a capa é linda e a sinopse interessante e por mais que nessa sua releitura vc tenha achado que há muito trauma espero gostar, já que há ingredientes que me agradam. ;)

    ResponderExcluir

© MIX LITERÁRIO- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por