Resenha || Menina Má - William March

24.5.16

Editora: Darkside
Páginas: 272
*Livro do meu acervo pessoal*
Publicado originalmente em 1954, MENINA MÁ se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro apavorantemente bom. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, MENINA MÁ ganharia uma montagem nos palcos da Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark.
Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.
MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.

Gente que livro é esse? Eu ganhei de Dia das Mães do marido e assim que chegou (comprado na pré- venda) eu corri para ler e não me arrependi nem um pouco. 

Bom, em Menina Má conheceremos Christine e Rhoda Penmark, mãe e filha que vivem em um apartamento novo enquanto o pai e marido está viajando a trabalho. Ambas são automaticamente acolhidas por seus vizinhos e Rhoda matriculada em uma ótima escola, bastante seletiva, mas que com a indicação de uma de suas vizinhas e o status de seu falecido pai, Christine conseguiu uma vaga.

Rhoda é uma menina de apenas oito anos, mas completamente independente e bastante diferente das demais crianças de sua idade. Ela não é bagunceira, ou chorona, ou carente e necessitada por atenção; pelo contrário, Rhoda é uma menina séria, observadora, inteligente, sagaz e manipuladora. Mas até aí ok. Afinal, cada um tem uma personalidade diferente do outro e talvez Rhoda seja assim por ter um QI elevado quem sabe?

As coisas iam aparentemente normal até que um colega de escola de Rhoda morre afogado (aparentemente) e isso começa a perturbar Christine já que Rhoda foi a única criança que não contribuiu para a coroa de flores (as professoras não quiseram a participação) ou mesmo parece se incomodar com o ocorrido. Sem contar que ela foi quem apontou a direção do corpo para os responsáveis do piquenique que estava participando. Christina esperava uma Rhoda perturbada e chorosa pelo ocorrido e encontra sua filha completamente alheia e indiferente!
"Ela é tão fria, tão impessoal em relação a coisas que incomodam os outros.."
Aos poucos Christine se depara com dúvidas e questões do passado que a fazem sentir inclusive medo da própria filha. Em meio a isso sente-se completamente solitária com seu marido longe e sempre escreve longas cartas sinceras e apaixonadas sobre tudo que está acontecendo, mas nunca tem coragem de enviar as cartas.  
"Então Rhoda, com se sentisse, ainda que de forma mínima, que tinha cometido algum tipo de erro, tomado alguma atitude que, embora incompreensível para ela, desagradara profundamente a mãe, abandonou o quebra-cabeça, e, aproximando-se da poltrona onde estava Christine, exibiu seu lindo e hesitante sorriso, fazendo despontar sua covinha unilateral. Ela pressionou a bochecha da mãe contra a sua, numa calculada demonstração de afeição, deu um risinho coquete e se afastou."
Rhoda sempre tentou mostrar o que sua mãe e as pessoas queriam ver, porém não tem uma habilidade tão profunda no quesito manipulação, então acaba dando mole e demonstrando seu verdadeiro lado diversas vezes. Ela é desprovida de amor ou sentimento de culpa. Ela é movida apenas pelo desejo e ambição. Detesta ser tocada e logo percebemos um lado sombrio e bastante intrigante na menina. 
"Ela não é uma dessas crianças afetadas e neuróticas, que acreditam em tudo que ouvem e nunca têm um pensamento original na cabeça. Rhoda é senhora dos seus passos, e digo mais: toma as próprias decisões. Ela é um ser humano completo. Perto dela, os outros parecem burros e toscos.."
Conforme Christine vai descobrindo mais sobre a personalidade da filha e seu próprio passado oculto ela vai ficando mais depressiva e pensativa no que possa estar acontecendo, o que desencadeou os acontecimentos e inclusive se culpa. 
"Eu devia ter deixado tudo aquilo em paz. Não precisava fuçar o passado tentando descobrir esse segredo... Estavam certos em me proteger de um passado sobre o qual eu não podia fazer nada - muito menos mudá-lo.." 
Depois de muito sofrer, Christine toma uma decisão e segue com seu plano deixando o leitor enlouquecido por saber como será o desfecho. Seria Rhoda fria? Seria Rhoda uma "Menina má?".

A história é perturbadora! Intrínseca! Fantástica! Capaz de deixar o leitor perplexo com a grandeza da escrita e detalhes! E muito perturbado com os fatos que são apresentados sobre passado e presente das personagens, bem como o final que me deixou louca de agonia!

Este não é um livro "novidade" já que foi lançado em 1954 com um grande "estardalhaço" e logo adaptado para o cinema. O livro traz uma história macabra, afinal livros com criancinhas sinistras sempre me incomodam e me fascinam! (não sei o que isso diz sobre minha pessoa ahaha).

A Darkside como sempre arrasou na capa e diagramação!  livro está MARAVILHOSO!

7 comentários

  1. Oi Karini,
    Nunca que vou ler esse livro! Podem me pagar que não leio (acima de 10.000, posso até pensar, rs). Não é que eu tenha medo da capa ou sinopse, é precaução! Vai que eu leio e essa garotinha se materializa em minha casa?! Não, obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Igual às edições da Darkside não existem, né? Essa semana chegou The kiss of deception p mim, estava louca p lê-lo e já vou começar logo logo. Esse é outro livro que me chamou muito a atenção. Essa capa é simplismente maravilhosa. Confesso que sou um pouco medrosa e livros de terror não são muito a minha vibe, mas esse eu fiquei com vontade de ler :)

    ResponderExcluir
  3. Nossa fiquei com medo deste livro parece mesmo perturbador ainda mais com crianças,ai meu Deus acho que não tenho coragem pra ler.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Ka, que resenha fantástica! Fiquei com ainda mais vontade de ler o livro! Já comecei a pensar em traços de psicopatia, já me vem em mente uma pequena sociopata aprontando por aí. Assim que acabar o The Kiss pego esse em seguida.

    Beijos e obrigada pela dica ;)

    https://revelandosentimentos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. nao consigo nem falar o quanto quero ler esse livro! hahah parece ser mto bom. a dark esta lançando livros excelentes! haja bolsoooo hahah

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Gostei muito da diagramação e da capa que estão maravilhosas, a historia pareceu interessante mas infelizmente esse não é um gênero que gosto de ler !!

    ResponderExcluir
  7. Apesar de amar o gênero, sou extremamente medrosa, e se há crianças no meio entro em pânico. Toda a frieza, o controle da criança, relatados pela mãe, é de arrepiar.

    ResponderExcluir

© MIX LITERÁRIO- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por