Resenha II O Reino Selvagem - Um Romance Animal - Simon David Eden


Editora: Planeta
Páginas: 320
*Recebido em parceria com a Editora
Quando Will-C, o gato de estimação da adolescente Drue, desaparece, ela não imagina que seu sumiço tenha a ver com uma iminente revolução, tramada nos recônditos das florestas de todo o mundo. O reino animal declara guerra aos humanos que, por séculos, destroçaram o que lhes é mais caro: o meio ambiente, o seu habitat, a sua casa. Nesse imenso e intenso conflito de proporções globais, os pets ficam numa encruzilhada quando precisam escolher o lado a apoiar: se o dos seus donos, dos homens, ou dos seus colegas naturais, os animais. Se o peludo e simpático Will-C tem dúvidas de que partido tomar, sua devotada e amorosa dona sabe muito bem o que precisa fazer: resgatar seu querido amigo e companheiro. Reino Selvagem vai além de uma aventura animal de proporções épicas e fantásticas, é a história de um amor verdadeiro, que irá emocionar, alertar e inspirar humanos, donos ou não de animais de estimação.
A história é narrada em terceira pessoa e gira em torno da garotinha Drue e o relacionamento com o seu gato Will-C.

Já no Prólogo da trama nós observamos que algo está muito errado. Drue está escondida a pedido de seu pai, e dentro de casa, barulhos estranhos estão ocorrendo. A jovem está assustada e tudo o que precisa é da companhia do seu gatinho de estimação.
"Drue Beltane estava sentada no escuro, sozinha, enrolada em seu edredom de penas de ganso. O coração batia acelerado. Ela engoliu em seco o ar mofado, segurou a respiração e contou até cinco em silêncio antes de expirar lentamente, um truque que havia aprendido e que servia para acalmar os nervos ao fazer as provas na escola." (p. 05)
Will-C não é simplesmente o gato de três patas que Drue ama incondicionalmente. Ele é um escriturário do Conselho Felino, graças à sua ótima memória e seus laços familiares. Will-C é um gato menosprezado pela maioria, por não ter uma pata, mas também é visto com bons olhos por aqueles animais que sofrem com os valentões e são injustiçados. É justo, honrado e leal.

Acontece que os animalis estão muito preocupados com o destino do planeta, principalmente por conta dos seres humanos. Afinal de contas, eles estão constantemente perturbando o equilíbrio até que chegou a um ponto em que é necessário uma declaração de guerra.
"O início do fim do mundo como o conhecíamos começou com o desaparecimento de um gato de três patas e pelo curto chamado Will-C. Pelo menos, olhando em perspectiva, era isso que Drue Beltane pensava." (p. 12)
Acontece que tal declaração não é algo tão fácil para alguns animais, principalmente os domésticos, pois eles observaram atentamente que seus humanos são boas pessoas. E nesse grupo está Will-C.

E aqui começa o grande dilema: que lado esse gato irá apoiar? Será que ele conseguirá deixar de lado Drue, a garotinha de 12 anos que perdeu a mãe precocemente e sempre o tratou com tanto amor?

Apesar da trama ser leve e ter uma linguagem simples e dinâmica, o enredo faz grandes críticas sociais, principalmente em relação a forma como tratamos o nosso planeta e como os recursos naturais estão ficando escassos.

O livro é tão gostoso e leve de ler que é voltado para um público mais jovem, possibilitando a eles a reflexão sobre o nosso planeta. Temos também a visão desse belo vínculo entre a garotinha e seu gato, que torna a obra mais terna e emocionante.

O fato de que o autor possibilitou ao leitor espiar o reino animal em primeira mão, lendo seus diálogos, observando seus pensamentos e sentimentos tornou a obra ainda mais especial.

Drue é muito jovem, mas traz em seu coração uma alma velha. Seja por conta da perda precoce da mãe ou do amor incondicional por Will-C, a garotinha consegue conquistar o leitor a cada página virada. Seu pai também ganha destaque apesar de não aparecer com muita frequência. Seus momentos são raros e preciosos e trazem lições valiosas.

"O Reino Selvagem" é uma aventura inédita, que deixa o leitor com um gostinho de quero mais. Pelo final que esse livro apresentou, provavelmente teremos uma continuação, pois não houve um término propriamente dito.
"Na verdade, os eventos catastróficos que mudariam os rumos da vida na Terra no início do século XXI remontavam a uma época muito anterior: o alvorecer da industrialização, um salto evolucionário que semeou o medo no coração de todas as criaturas que compartilhavam o planeta com os seres humanos - aves, feras, peixes e répteis do mundo selvagem ou os animalis." (p. 12)

6 comentários:

  1. Já estou com esse livro na estante para ser lido. Achei a premissa dele bem diferente dos livros que ando vendo e lendo. Acho que vou gostar bastante. Gostei de saber que nele encontrarei críticas sociais. Porém, até então não sabia que o livro teria uma continuação. Vou ler em breve para saber o que vou achar :)

    ResponderExcluir
  2. Achei a história deste livro bastante original,e nos que gostamos destes felinos com certeza vamos adorar.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. adorei a historia simplesmente amei.. amo os animais e achi que todos deveriam pensar no mal que os humanos lhes causam!

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Gostei da estória, não querendo repetir os outros comentários (mas já repetindo) é bem original. Interessante pois mesmo falando de problemas sérios é um livro leve e tranquilo. O amor da criança com seu gatinho deixa tudo mais tranquilo e puro.

    ResponderExcluir
  5. Ta aí uma coisa que eu gostaria que acontecesse, uma revolução no mundo animal. Algumas pessoas não dão bola, mas o assunto meio ambiente é sério.

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro, mas achei uma historia diferente e interessante, fiquei curiosa sobre a escrito do autor pois mesmo tendo uma forte critica social, ele consegue deixar o livro leve e dinâmico, se tiver oportunidade quero ler !!

    ResponderExcluir