Resenha || O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman

Editora: José Olympo
Páginas: 112
*Recebido em parceria*
Este clássico da literatura feminista foi publicado originalmente em 1892, mas continua atual em suas questões. Escrito pela norte-americana Charlotte Perkins Gilman, ele narra, em primeira pessoa, a história de uma mulher forçada ao confinamento por seu marido e médico, que pretende curá-la de uma depressão nervosa passageira. Proibida de fazer qualquer esforço físico e mental, a protagonista fica obcecada pela estampa do papel de parede do seu quarto e acaba enlouquecendo de vez. Charlotte Perkins Gilman participou ativamente da luta pelos direitos das mulheres em sua época e é a autora do clássico tratado Women and Economics, uma das bíblias no movimento feminista. Esta edição de O papel de parede amarelo, que chega às livrarias pela José Olympio, traz prefácio da filósofa Marcia Tiburi. 

Um livro rápido de ser lido, não apenas pelas poucas páginas, mas também pela escrita, porém com um assunto forte e que nos faz pensar e repensar!

Gosto de ler livros feministas, e o conteúdo de O Papel de Parede Amarelo é impressionante e bastante esclarecedor.
Ao ler papel de parede amarelo me deparei com uma leitura onde a protagonista é de certa forma humilhada por seu marido médico e sofre com o machismo sendo desmerecida e diminuida. 
A protagonista parece sofrer de depressão nervosa e é levada a crer que a "cura" para sua situação venha a ser isolar-se em uma casa de campo.. Em um quarto que tem um papel de parede amarelo que mexe completamente com a cabeça da protagonista e a deixa ainda mais perturbada mentalmente. 

Ela fica lá.. Isolada e enlouquecendo. As vezes o marido a visita e acaba piorando ainda mais a história sempre que não dá ouvidos ou vistas ao que realmente a personagem está passando e apenas diz que aquilo vai passar, sempre deixando de dar real importância aos sentimentos da personagem e minimizando toda a situação, deixando a entender como ela é pequena e "coitada".

Percebemos o desespero da personagem em se ver longe daquele papel de parede amarelo e tudo que está sentindo, porém seu esposo sempre insiste que a cura para sua situação é estar ali, isolada.. O que percebemos que a enlouquece gradativamente..

A autora consegue nos transportar para o enredo de sua história que é como um espelho de sua própria vida. A autora Charlotte Perkins foi ativa na luta em prol das mulheres e de seus direitos. E sua obra é vista como um clássico!

Quem nunca se deparou com situações em que nós mulheres somos diminuídas, taxadas de frescas quando sentimos algo, ou mesmo vistas como um "pedaço de carne"? Pois bem.. a autora nos traz um mundo descrito de forma impactante e até perturbadora.

9 comentários:

  1. Um livro que trata de machismo e feminismo, muito triste viver presa em um quarto, sendo presa pelo marido, gosto de fato da autora ter vivenciado o período, assim espero uma obra bem mais rica, quero conferir a obra

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Acho muito importante da atual conjuntura e principalmente depois de algumas coisas que tem saído na mídia livro como essa temática que nos faz refletir sobre o machismo e a violência contra a mulher em vários níveis não só no físico, mas tbm no psicológico.

    ResponderExcluir
  3. Ooi!
    Li há não muito tempo uma resenha sobre este livro e achei bem interessante a história o fato da pressão psicológicas e todo o significa que a autora quis passar. Estou com muita vontade de ler esse livro.

    Ah, se puder dar uma passadinha no meu blog, postei resenha sobre o filme "Sobre meninos e lobos" http://lendocomela.blogspot.com.br/2016/04/sobre-meninos-e-lobos.html?m=0 bjs xx

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia este livro mais gostei do tema que ele aborda que pena que este assunto ainda continua atual.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro mas gostei muito da historia principalmente sobre o tema que a autora nos presenta, parece ser do tipo de livro que ao longo da leitura nos faz refletir e fique interessada !!

    ResponderExcluir
  6. Oi!!!
    Nossa, confesso Que se visse esse livro em alguma livraria passaria sem nem olhar, por que essa capa e esse nome não me conquistou.
    Porém a narrativa sim, eu durante a resenha sentir a opressão que essa mulher sofre, é como se o leitor estivesse no seu lugar.
    A narrativa parece ser muito boa, essa obra ja me conquistou, vou com certeza garantir meu exemplar.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  7. Oi! Respeito a opinião de quem é, mas não sou, nem concordo com as feministas e não tenho nenhuma vontade de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  8. Amo livros de época, mas esse eu não conhecia esse clàssico, na realidade nunca li um livro que relatasse o feminismo. Gostei!

    ResponderExcluir
  9. nossa nao conhecia e adorei parece ser mto bom mto diferente. e relata um tema bem complicado! gostei mto

    ResponderExcluir