Resenha II O Rouxinol - Kristin Hannah


Editora: Arqueiro
Páginas: 432
“Neste épico passado na França da Segunda Guerra, duas irmãs se afastam por discordarem sobre a ameaça de ocupação nazista. Com temperamentos e princípios divergentes, cada uma delas precisa encontrar o próprio caminho e enfrentar questões morais e escolhas de vida ou morte.” - Christina Baker Kline, autora de O trem dos órfãos França, 1939: No pequeno vilarejo de Carriveau, Vianne Mauriac se despede do marido, que ruma para o fronte. Ela não acredita que os nazistas invadirão o país, mas logo chegam hordas de soldados em marcha, caravanas de caminhões e tanques, aviões que escurecem os céus e despejam bombas sobre inocentes. Quando o país é tomado, um oficial das tropas de Hitler requisita a casa de Vianne, e ela e a filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente, todos os seus movimentos passam a ser vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis, uma após a outra, e colaborar com os invasores para manter sua família viva. Isabelle, irmã de Vianne, é uma garota contestadora que leva a vida com o furor e a paixão típicos da juventude. Enquanto milhares de parisienses fogem dos terrores da guerra, ela se apaixona por um guerrilheiro e decide se juntar à Resistência, arriscando a vida para salvar os outros e libertar seu país.

Como fã da autora Kristin Hannah, devo dizer que ao saber desse lançamento não consegui evitar a expectativa pela obra. E devo confessar que fiquei feliz em comprovar que mais uma vez a autora trouxe um enredo que me emocionou profundamente.
A obra se passa em dois tempos: 1995 e entre o período de agosto de 1939 e maio de 1945. 

Em 1995 acompanhamos uma senhora, que por insistência do filho, aceita vender a casa e se mudar para um lugar mais "apropriado", porém não quer abrir mão de um velho baú, que contêm as preciosidades de sua vida. É através desse baú que o leitor é transportado para a Segunda Guerra Mundial.
“Se há uma coisa que aprendi nesta minha longa vida foi o seguinte: no amor, nós descobrimos quem desejamos ser; na guerra, descobrimos quem somos.”
Nesse novo cenário, somos apresentados a duas irmãs: Vianne e Isabelle. Elas não tiveram uma infância fácil e seu relacionamento sempre foi um pouco conturbado, mas quando Vianne forma sua própria família e envia Isabelle para um internato, as duas se distanciam ainda mais.

A personalidade de ambas é bem contraditória. Enquanto Vianne é prática, caseira e acredita que os homens é que devem defender seu país, Isabelle é impulsiva, rebelde e não aceita ficar de braços cruzados enquanto observa a Guerra chegar.
“Naquela manhã fria de outubro sua vida iria mudar. Assim que embarcou no trem, pela manhã … ela não seria mais a garota da livraria …
Durante a Guerra, Vianne precisa hospedar um soldado nazista enquanto seu marido está em combate e Isabelle se associa a um grupo revolucionário.
A partir de agora, ela era Juliette Gervaise, codinome Nightingale.”
A autora descreve a vida dessas duas mulheres fortes em meio a um cenário tão trágico. Apesar da distância, existem laços inquebráveis que unem as duas.
“No silêncio entre eles, ela ouviu um sapo coaxar e a vibração das folhas em uma brisa com aroma de jasmim acima de suas cabeças. Um rouxinol cantou uma música triste e solitária.”
A história é repleta de reviravoltas, reflexões e emoções. Dificilmente o leitor irá terminar o livro sem se comover com pelo menos uma passagem da obra.
Uma história forte com protagonistas femininas marcantes em um cenário devastador. 
“Não sei mais qual é a coisa certa a fazer. Quero proteger e manter Sophie segura, mas de que adianta a segurança para crescer em um mundo onde as pessoas desaparecem sem deixar vestígios por rezarem a um Deus diferente?”

11 comentários:

  1. Oi, a capa do livro é linda mas sinceramente lendo a sinopse e a resenha o livro não me chamou a atenção, bjs.

    ResponderExcluir
  2. Adoro livros que passam mensagens e marcam nossa vida, esse parece cumprir com isso. Muita gente fala bem de O Rouxinol, acho que vou amar essa história linda. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Sempre ouço falar dos livros da Kristin que são muito emocionantes,sinceramente apesar da história ser belíssima e parecer um livro emocionante acho que no momento não leria por achar que não estou preparada pra ele.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Ja ouvi elogios sobre este livro e realmente quero le-lo! Parece ser incrivel!
    Gosto de tramas que passam e falam sobre as guerras!
    Bjão

    ResponderExcluir
  5. Livros dela são certeza de boa leitura. Ao menos pra mim. Já li alguns e não decepcionaram, são sempre bem emocionais e verdadeiros, você se identifica e acaba amando as histórias.
    E com esse não parece ser diferente. O que mais gostei é o fato de ter guerra como tema, gosto muito de livros assim e são sempre bons de conferir. Ela parece ter conseguido passar o clima tenso desses tempos, além de criar uma trama bonita e cheia de contratempos e reviravoltas. Acho que iria adorar também.

    ResponderExcluir
  6. Ainda nao li nenhum livro da autora, mas ja vi que se eu for ler Rouxinol irei me emocionar, sem duvida alguma. Ja esta na minha lista desde o lançamento.

    ResponderExcluir
  7. Oiieee, tudo bom?
    Eu ainda não li nenhum livro da autora, mas tenho muita curiosidade, amei a resenha e fiquei super interessada em ler, acho super bacana quando temos dois períodos diferentes, no qual somos transportadas para o passado, espero ter a oportunidade de ler Rouxinol em breve.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  8. Gostei bastante da resenha do livro, nunca li nenhum livro da autora e por isso me interessei em O Rouxinol sem contar que o livro se passa na segunda guerra, tema de meu interesse.

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Ainda não li nada da Kristin mas estou curiosa para conhecer sua escrita, gostei do contexto histórico do livro e fiquei principalmente temos a visão da guerra através de duas irmas tão diferentes !!

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito da resenha.
    Gosto de muito de livro que retratam guerras, além de fazer meu gênero e ter uma capa linda, eu amei a sinopse, e fiquei bem curiosa a respeito, espero conferir essa obra em breve.

    ResponderExcluir
  11. Ainda não li nenhum livro da Kristin Hannah, apesar de ter alguns livros dela na minha lista. E este me despertou bastante curiosidade, adoro livros que se passam em tempos de guerra e já ouvi muitas resenhas positivas em relação a ele, incluindo a sua. Já está na lista, espero gostar!!

    ResponderExcluir