Resenha || Traição do Destino - Marylu Tyndall

Editora: Fundamento
Páginas: 368
*Livro recebido em parceria com a Editora*
Charleston, 1812. Na fervilhante cidade movida por ricos fazendeiros, comerciantes e escravos, a recém-chegada Adália Winston tenta manter seu segredo: por trás da pele branca e dos bons modos, esconde-se uma escrava fugitiva. Nem mesmo sua fé inabalável ou o doce sabor da liberdade conseguem aplacar o medo de que, de repente, seu antigo dono a encontre e a arraste de volta para um mundo de sofrimento. Por isso, quando o jovem Morgan Rutledge, filho de uma das famílias mais influentes de Charleston, se encanta por Adália, ela resolve ignorá-lo. Mas o desejo de ser amada e protegida é mais forte e ela acaba se apaixonando pelo rapaz. Só que é ela quem acaba sendo levada para um mundo ao qual não pertence: a alta sociedade, onde o esplendor e a ambição traçam suas teias de intrigas, ciúmes e vingança, colocando em risco o destino do jovem casal. E agora: o amor entre Adália e Morgan será a salvação ou a ruína de ambos? Se seu terrível segredo de ex-escrava for revelado, Morgan abrirá mão de seu status e fortuna por um amor proibido e cheio de privações? Quando o passado bate à porta, o futuro pode não chegar..

Traição do Destino é uma história de lutas e preconceito em uma época que a cor da pele ditava onde você merecia estar! Mesmo assim Althea não desistiu jamais de ter um destino diferente daquele que se desenrolava a sua frente. 

Ainda quando criança, os pais de Althea morreram em um furacão deixado ela e sua irmã Delphia a própria sorte; logo o vizinho sir Walter, foi resgatá-las com promessas de cuidados e uma vida agora que não tinham mais ninguém para cuidar delas; porém logo perceberam que seu maior e pior pesadelo estava prestes a dar as caras, marcando a vida de ambas com um terror inimaginável. Tudo que sir Walter reservava para as irmãs era uma vida de escravidão e abusos. Com apenas nove anos Delphia morreu deixando Althea sozinha no mundo, sem ninguém a quem amar ou que a ame.. Mas mesmo assim e com os horrores e abusos vividos, Althea jamais perdeu a esperança em dias melhores e liberdade. 

As jovens eram mestiças, filhas da mistura racial de negro e branco, com isso a pele de Althea é clara e ela pode muito bem se passar por uma pessoa comum e não uma escrava. E quando tem a oportunidade ela escapa para um futuro incerto, mas que promete ser melhor do que o que vive na fazenda de sir Walter. Ela embarca em um navio para Charleston com a ajuda do capitão, que mesmo ao perceber que ela é uma escrava, tira seus grilhões e a leva rumo ao futuro.. Althea logo assume um novo nome e uma nova vida. Como seu pai sempre fez questão de educar suas filhas, ela possui base suficiente para se passar por uma pessoa comum e é exatamente isso que ela faz!

Recomeçar nem sempre é fácil, mesmo Althea , agora Adália, batendo de porta em porta atrás de um emprego, as coisas não acontecem imediatamente, então ela começa ajudando o padre Mulligan com os órfãos negros. Quando suas economias estão terminando e ela já está sem opções do que fazer, surge o Dr. Willaby oferecendo um emprego, comida e moradia.. em troca de suas habilidades com ervas e sua assistência com os escravos nas fazendas. Claro que ela aceita e tudo começa a mudar em sua vida. Terá o destino dado uma trégua no sofrimento e lhe reservado um futuro tranquilo, diferente do terror vivido com sir Walter? Ela está muito grata e mesmo no maior dos seus sofrimentos jamais perdeu a fé em dias melhores!

Mas o destino não lhe poupa surpresas e ela conhecerá o amor e todo uma sociedade elitista e preconceituosa de perto ao começar a ser assediada pelo jovem Morgan Rotledge. Claro que Adália tenta se desvencilhar dele, porém não é possível fugir do amor e das promessas de um futuro com o qual sequer teve coragem de sonhar.

Aos poucos os jovens vão percebendo cada vez mais estarem envolvidos um pelo outro. A família de Morgan é a mais influente em Charleston. Seu pai é severo e muito decidido a controlar tudo ao seu redor para preservar a boa imagem que construiu e a fortuna que fez ao longo dos anos. Morgan é mulherengo, porém um jovem que sempre se viu preso em um lugar ao qual não queria estar, em uma sociedade a qual não gostaria de pertencer, apesar de apreciar a vida de luxo que leva! 
Seu irmão Hadley não vale nada e se encaixa perfeitamente no mundo de luxo e preconceitos que vive, estando disposto a unir-se a outros para acabar com a chance de amor sincero que Morgan possa vir a ter. 
A mãe dos jovens Rotledge apesar de viver nesse mundo, é uma mulher bondosa e preocupada com o bem estar de seus escravos, e sua filha caçula é um sopro de luz e serenidade na vida da família Rotledge!

O começo não foi fácil engrenar, pois não estou acostumada com romances históricos, porém uma vez que eu entrei nesse mundo, me vi completamente absorta em todo um enredo muito bem escrito e que flui tão rápido que quando percebi, já tinha virado a última página!

O romance improvável vivido em 1812 é encantador e proibido e isso certamente irá conquistar muitos corações, assim como a força, determinação e fé de Althea (Adália).. O sentimento verdadeiro e avassalador dos sentimentos de Morgan por uma mulher tão diferente de todas que já encontrou! Poderá o amor verdadeiro transpor as barreiras dos preconceitos em uma época em que a cor da pele e os bens determinavam quem você era e onde deveria estar na sociedade?

Recomendo a leitura de Traição do Destino para aqueles que amam um bom romance!



12 comentários:

  1. Oi Karini!!! Adoro livros de época, foram eles que despertaram minha paixão pela leitura na adolescência, então sempre tenho uma atenção especial por esse tipo de leitura!! Gostei muito da resenha, pois não conhecia este livro e esta autora, vai pra minha lista de leitura com certeza!!! Que bom que voce gostou mesmo não sendo seu estilo de leitura habitual!!

    Bjsssssssss

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito de romances de época e esta história parece ser belíssima,me fez lembrar um pouquinho do filme Belle,já esta na lista dos meus desejados para este ano.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Karini!
    Sou totalmente fascinada pelos romances históricos, principalmente os do século XIX, parece um tempo mágico.
    Ver todo sofrimento de 'Adália' me deixou bem curiosa por saber como será o final, se finalmente terá uma trégua e viverá feliz.
    Quero ler sim.
    “O homem comum fala, o sábio escuta, o tolo discute.” (Sabedoria oriental)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas fiquei muito curiosa! Gosto de romances históricos e fiquei bem curiosa sobre esse, porque a escravidão não foi um tema abordado nos outros livros que li desse estilo...
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. já vi esse livro por ai, na blogsfera mais nunca tunha lido uma resenha dele, por sinal gostei bastante. Adoro ler romances históricos que não é só o romance em si , mas com algo a mais, que me ensina um pouco mais sobre os costumes da época.

    ResponderExcluir
  6. Oi Karini, nossa a historia parece ter um pouco de drama e romance o livro parece te prender do começo ao fim, eu amo livros que se passam em outro seculo, já coloquei na minha lista de leitura e você fez uma resenha incrível bjs.

    ResponderExcluir
  7. gosto mto de romances de epoca e penso que este nao seria diferente. parece ser dramatico e um pouco cliche mas mesmo assimadorei tua resenha. mto obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro, mais a historia me conquistou, gostei muito da Althea principalmente de sua determinação e força e já na resenha estava torcendo para que ela encontre um final feliz e se tiver oportunidade quero muito ler esse livro!!

    ResponderExcluir
  9. Oieee,
    Eu ainda não conhecia o livro, mas me interessei muito por ele, pois eu amo romances de épocas hahahaha, fico feliz em saber que a leitura flui facilmente e gostei muito dessa temática, uma mulher que já viveu como escrava, uma época em que a cor da pessoa determinava muita coisa, irei dar uma chance ao livro sim.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  10. Pensei que Traição do Destino seria um simples romance de época, mas me surpreendeu bastante devido a enorme carga de emoções e surpresas que acontece nesse enredo. Gostei bastante da narrativa do livro, expondo pontos importantes na história.

    ResponderExcluir
  11. Eu fiquei tocada por esta história. Só de imaginar personagens sofrendo desde cedo com o preconceito, as perdas, o abuso e a escravidão. MaryLu Tyndall conseguiu reunir uma densidade de assuntos em um simples romance para os olhos de personagens de fora do foco da narrativa, mas atentos ao leitor. Ótimo!

    ResponderExcluir
  12. Fiquei enormemente surpreso com este livro, ele me pareceu tão doce pela capa, mas muito afiado com sua história. O preconceito ainda deve ser muito tratado para exterminá-lo e esse livro o trata de uma forma surpreendente, gostei bastante.

    ResponderExcluir