Resenha II A Irmã da Tempestade - As Sete Irmãs #2 - Lucinda Riley

2.1.16

Editora: Arqueiro
Páginas: 528
Em "A irmã da tempestade", segundo volume da série As Sete Irmãs, as vidas de duas grandes mulheres separadas por gerações se entrelaçam numa história sobre amor, ambição, família, perda e o incrível poder de se reinventar quando o destino destrói todas as suas certezas.
Ally D’Aplièse é uma grande velejadora e está se preparando para uma importante regata, mas a notícia da morte do pai faz com que ela abandone seus planos e volte para casa, para se reunir com as cinco irmãs. Lá, elas descobrem que Pa Salt – como era carinhosamente chamado pelas filhas adotivas – deixou, para cada uma delas, uma pista sobre suas verdadeiras origens.
Apesar do choque, Ally encontra apoio em um grande amor. Porém mais uma vez seu mundo vira de cabeça para baixo, então ela decide seguir as pistas deixadas por Pa Salt e ir em busca do próprio passado.
Nessa jornada, ela chega à Noruega, onde descobre que sua história está ligada à da jovem cantora Anna Landvik, que viveu há mais de cem anos e participou da estreia de uma das obras mais famosas do grande compositor Edvard Grieg. E, à medida que mergulha na vida de Anna, Ally começa a se perguntar quem realmente era seu pai adotivo.
Em "A Irmã da Tempestade" temos duas histórias sendo contada: a história de Ally no presente e a história de uma jovem chamada Anna Landvik.
Ally é uma das filhas adotivas de Pa Salt. Quem teve a oportunidade de ler o primeiro livro, sabe que ele nomeou as filhas de acordo com uma constelação e que suas adoções são um mistério. Nenhuma das jovens sabe a sua origem ou como acabou sendo adotada por Pa.

Ally é a segunda filha mais velha, a centrada. Ela é objetiva e determinada e dividia com o seu pai o amor pelo mar. Por conta disso, ela se tornou uma atleta, uma competidora de regatas muito boa e independente. Até que um dia ela conhece Theo, o "Rei dos Mares", um homem que se destaca pela sua ética de trabalho e forma como age. Os dois sentem-se atraídos um pelo outro imediatamente, porém não se envolvem logo de cara. Há um certo ritual, onde os dois vão se conhecendo e se aproximando aos poucos. Ally nunca esteve mais feliz em sua vida! Até que recebe a notícia da morte de seu pai...

A partir desse momento, a vida da protagonista é uma série de infelicidades sem fim e ela resolve ler a carta deixada por Pa e procurar a sua origem, para aliviar a dor no coração.
É quando o leitor conhece a história de Anna Landvik, uma jovem proveniente de uma família de "camponeses" que possui uma voz angelical. Logo, ganha um tutor e vai para a cidade grande onde precisa se encaixar. Só que sua ingenuidade a coloca em algumas situações complicadas que acabam gerando resultados inesperados. 

É impossível ler algo da Lucinda Riley e não se apaixonar pela escrita da autora. Existe uma emoção transmitida em suas palavras que chega ao coração do leitor. Nesse segundo livro da série As Sete Irmãs, vemos duas mulheres fortes que tem uma boa dose de desilusão com a vida, deixando-nos observar de perto suas vulnerabilidades e dores. 
As histórias são contadas em capítulos intercalados e conforme avançamos na leitura, conseguimos observar os pontos em comum nessas duas narrativas. Talvez fosse necessário que Anna fosse uma personagem um pouquinho mais carismática, para ganhar mais empatia do leitor. Por outro lado, Ally desde o primeiro parágrafo consegue chamar a atenção.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa chama a atenção e possui vários elementos da trama.



17 comentários

  1. Ola,feliz 2016.
    Ainda não li nenhum livro da autora mais quero muito acho histórias que tem presente e passado bastante interessantes,espero poder ler.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Carol, concordo plenamente contigo, é difícil ler algo da Lucinda e não gostar de sua escrita. Gostei bem mais ddeste livro do que de seu anterior, não que o anterior tenha sido ruim.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. parece ser uma mocinha bem quietinha. e ainda nao tive a oportunidade de ler nada desta autora mas com toda a ctz esta na minha lista de quero ler!!!! obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  4. Carolina!
    Tive oportunidade de ler o primeiro livro da série e fiquei totalmente encantada. Preciso com urgência ler esse segundo e acompanhar a saga de Ally.
    Adoro quando a autora volta ao passado para contar uma história que chegará até o presente.
    “O homem comum fala, o sábio escuta, o tolo discute.” (Sabedoria oriental)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. Li,primeiramente,A Roda de meia Noite e, me apaixonei pela literatura de Riley.Comprei mais quatro e a cada obra lida percebi o quanto a autora é excepcional. Já Li muitos outros autores e posso garantir q Lucinda Riley é extremamente peculiar.

    ResponderExcluir
  6. Li,primeiramente,A Roda de meia Noite e, me apaixonei pela literatura de Riley.Comprei mais quatro e a cada obra lida percebi o quanto a autora é excepcional. Já Li muitos outros autores e posso garantir q Lucinda Riley é extremamente peculiar.

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Eu estou lendo meu primeiro livro da Lucinda Riley e até agora gostando bastante! Estou curiosa sobre As sete irmãs porque o primeiro livro se passa no Rio de Janeiro e depois de ler ele provavelmente vou querer conhecer toda a série :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Nunca li nenhum livro da autora ainda, mas gostei de saber que sua escrita é bem diferenciada, acho tão bom quando o autor do livro consegue passar para nós, leitores, as emoções que os personagens transmitem, e compreendemos um pouco como cada personagem se sente. Eu gostei da resenha e não resta dúvidas de que lerei esse livro, mas antes tenho que ler o primeiro livro dessa serie.

    ResponderExcluir
  9. Oi Carolina, desde o lançamento desse livro que eu estou doida para poder le-lo e com a sua resenhas fiquei mais animada ainda bjs.

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Ainda não conhecia essa serie da Lucinda Riley mas gostei da historia, principalmente porque parece que a autora trabalha o romance não é algo rápido e também pela reviravolta na historia trazendo a busca de Ally !!

    ResponderExcluir
  11. Oiiiee, tudo bom?
    Eu ainda não li nenhum livro da Lucinda Riley e confesso que ainda não encontrei um que me chamasse realmente a atenção, gostei muito do enredo de Irmã da tempestade, mas ainda não estou convencida quanto a leitura, gosto muito de livros com capítulos intercalados entre os personagens, quem sabe futuramente eu venha a dar uma chance aos livros dela, já que é impossível não se apaixonar pela escrita dela né.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  12. Eu conheci o livro recentemente, confesso que de primeira impressão o livro não me interessou, mas sua resenha foi bem explicativa e fez-me interessar pelo livro. As personalidades das garotas são bem diferentes, o que dá um "quê" a mais no livro.

    ResponderExcluir
  13. Lucinda Riley escreveu uma história muito boa em A Irmã da Tempestade, gostei muito das características que ela colocou aos personagens, principalmente a principal com grande relação ao mar. O momento de morte do pai me deixou chocada e intrigada pelos próximos acontecimentos.

    ResponderExcluir
  14. A Irmã da Tempestade não me despertou nenhuma curiosidade. Fiquei todo momento esperando por uma história com mais ação, mais envolvimento, mas não surgiu, apenas no momento da morte do pai da protagonista. A Anna é realmente apagada na história e foge um pouco do ritmo de leitura.

    ResponderExcluir
  15. Li, As Sete irmãs e estou terminando o livro A irmã da Tempestade. O primeiro foi maravilhoso, esse atual, estou fascinada!!

    ResponderExcluir

© MIX LITERÁRIO- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por