Resenha II A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff

Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.

Sabe quando você lê uma sinopse e se enche de expectativas, pergunta as pessoas leram o que acharam do livro e todas dizem que é muito bom, aí toda a sua expectativa passa a ser dobrada e quando finalmente você lê o livro, ele não é tudo aquilo que deveria ser. Pois bem, é assim que me sinto depois de ler a Playlist de Hayden, esperava uma leitura inesquecível e não foi bem isso que aconteceu.

Sam é o melhor amigo de Hayden, são inseparáveis, estudam juntos, jogam online juntos e sofrem bullying juntos. A amizade ia bem ate que uma noite Hayden decide ir a uma festa e convence o amigo a ir junto. Sam se afasta de Hayden e quando percebe o amigo esta sendo atacado pela Trifeta do Bullying, que era composto por Ryan, irmão do Hayden e mais dois amigos dele. Sam tenta ajudar e Hayden acaba brigando com ele. No dia seguinte Sam vai procurar o amigo para saber o que realmente tinha acontecido na noite anterior, porém Sam acha Hayden desacordado e descobre que o amigo se matou. Junto ao corpo Sam acha a Playlist com o seguinte recado: "Para Sam. Ouça. Você vai entender."

A partir desse ponto que o livro se desenrola, pois Sam procura a todo o momento os motivos que fizeram Hayden se matar, fica pensando e repensando em todos os acontecimentos que antecederam a morte de Hayden, mas ele não encontra nem motivos para a briga que eles tiveram no dia. Utilizando a playlist como ponto principal da sua busca.

Astrid, amiga de Hayden, que Sam não conhecia, passa a ajuda-lo nas buscas por pistas, e alguém usando o nick de Hayden no jogo, Arquimago_Ged, passa a se comunicar com Sam, e a falar sobre os atentados que os membros da Trifeta do Bullying estão sofrendo. Sam fica em dúvida se é o próprio Hayden ou outra pessoa que está se comunicando com ele através do chat. 

Não quero dar spoilers, mas a impressão que tive durante a leitura é de que o livro não trata diretamente sobre o suicídio, mas da culpa que os outros personagens sentem por não ter conseguido impedir o Hayden. Confesso que sentia muita raiva do Hayden, por ele conseguir fazer com que tantas pessoas se sentissem culpadas. Em outros livros que li sobre o tema, são mostrados meios de ajudar as pessoas que estavam envolvidas, nesse livro, o Sam se recusa a receber ajuda o que acho errado, acho que foi um ponto falho do livro.

Se você tem vontade de ler, mas não está com tantas expectativas, recomendo a leitura de A Playlist de Hayden.

Bjs

5 comentários:

  1. Nossa eu estava com expectativa em relação a este livro mais agora não vou com tanta sede ao pote,que pena porque este tema sempre rende ótimas histórias.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu imaginava que o livro fosse diferente, nao imaginava que seria assim não. E uma pena a historia ser diferente do que esperamos.

    ResponderExcluir
  3. Nunca me interessei muito, pela leitura desse livro. Mas talvez um dia eu leia.

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Acho que quando criamos muita expectativa sobre um livro na maioria das vezes acaba nos decepcionando mas esse livro não é um gênero que gosto muito de ler mas gostei da ideia de musicas em cada capitulo e o sentido de cada !!

    ResponderExcluir
  5. nossa que historia triste!!! não é um genero que me agrada... e o livro em si nao me chamou atenção...

    ResponderExcluir