Resenha || Vejo o Mundo Nos Seus Olhos - Loredana Frescura & Marco T.

Editora: Onyria (Fundamento)
Páginas: 152
*Livro do meu acervo pessoal
Quando a rotina parece definida e quase chega a causar tédio, a vida pode nos fazer levar um belo tombo. E é desse jeito mesmo – levando um tombo em público! – que Constância e Ângelo se conheceram e se apaixonaram, tão rapidamente que parecia mágica.
Porém, quando já estavam se acostumando com a felicidade, mudanças surgiram novamente, a calmaria se tornou tempestade e a vida dos dois virou de cabeça para baixo.
Será que o amor de Constância e Ângelo vai ser mais forte que as reviravoltas do dia a dia? Ou essa vai ser mais uma história que vai sobreviver apenas na memória?
Acompanhe os dois lados dessa narrativa única, verdadeira, cheia de energia e força. Uma história de amor onde cabe o mundo: amizade, escola, traição, o esforço para entender o outro e ser entendido. Porque é no amor adolescente que o mundo se abre diante dos seus olhos.

"Quando você se vê nos olhos dos outros, começa a se conhecer de verdade."
Vejo O Mundo Nos Seus Olhos fala de muitas coisas, entre elas: paixão, amor, amizade, imaturidade, amadurecimento; idas e vindas.. Erros e acertos e tantas outras coisas que só você lendo para entender. Trata-se de descobertas, de uma idade onde estamos de fato em transição daquilo que éramos, ao que somos e ao que nos tornaremos!
"Mentem quando dizem que 17 anos é a idade. Mentem quando dizem que o tempo cura tudo. Mentem quando dizem que o pior já passou e mentem quando sustentam com tanta convicção que o amor não morre nunca. Até mesmo as músicas afirmam essas mentiras."
A história é narrada pelo ponto de vista dos dois personagens principais da história: Constância e Ângelo.
"Eu o vejo como uma estação não muito cheia de gente onde a dor vai e vem como bem entender e não se preocupa em qual terminal deve ou não parar."

Hoje:

O início se dá com ambos os personagens, nos dias atuais, em uma estação de trem; aparentemente ressentidos um do outro, mas nitidamente apaixonados. Porém parece que nenhum dos dois está disposto a ceder.

"Vocês não entendem? A passagem é do meu amor, que está indo embora daqui. Que está indo embora de mim. Respeitem um pouco este momento. No fim das contas, um amor nunca é igual ao outro. É algo que pega você de surpresa, que espreme e cria... O Caos. Agora ele quer a passagem. Isso também é amor. Ele precisa ir.
Por minha culpa. Constância que cria caso. Caos."

Por mais que seja Ângelo que sempre vai atrás e luta quando há algum desentendimento; Constância é aquela que desliga o telefone na cara , que ignora o máximo.. Mesmo sofrendo e desejando Ângelo mais que tudo! Ambos estão um de cada lado da estação se encarando, cada qual com seu pensamento a respeito do outro; até que sem que se dê conta a passagem de Ângelo vai parar nos trilhos.
"Tonta! Estou vendo você. Você está lá. Está olhando pra mim. Mas o que você quer? Está bem. Olhe o quanto você quiser. Mas eu não vou falar nada. Não vou mover um músculo. Se você quiser falar comigo, então venha até aqui. Grite o meu nome, faça um sinal com a mão, assobie, mande mensagem ou me chame no celular, mande um sinal de fumaça, abane uma bandeirinha.
Faça o que quiser, mas se apresse. O meu trem já foi anunciado três vezes."
Dois meses atrás: 
"Se eu estivesse verdadeiramente apaixonada, estaria feliz, veria coraçõezinhos cor-de-rosa nas paredes da sala de aula e uivaria para a lua. 
Então, o que é isso? Um lobo feroz que galopa dentro do estômago e faz um massacre nas vilosidades intestinais e nas outras coisas que se movem."
Temos um retorno no tempo para que possamos entender como tudo começou.
Constância está na aula ansiando por uma ligação. Sabe aquela ansiedade, aquele frio na barriga?
É disso que estamos falando, Constância e Eu! 
"O amor deve ser outra coisa, tenho certeza disso. E, além disso, não é possível se apaixonar por alguém que você viu na estação, quase perdido entre as plataformas, com a mochila pendurada e um dos ombros e com os olhos quase fechados."
Ela conhece Ângelo na mesma estação de trem dos dias atuais.. Foi instantâneo; era para ser; desde que o viu nada mais fez sentido! Constância vem deixando sua amiga Clara louca com sua falta de atenção no mundo exterior, nas aulas e no dia a dia; tudo que Constância consegue pensar é na ligação que Ângelo ainda não fez! (seu guincho lindo de três olhos  - foi quando ele a levantou de uma queda na estação que Constância o viu e se sentiu atraída).
"O amor que está chegando é devastador. Não é um temporal. É uma bamba que ensurdece, que cega, que anula a dimensão do tempo. Tudo desaparece. Desaparecem as cores, os cheiros e os sabores. Desaparecem todos os outros seres humanos e você fica assim, contemplando o nada. É terrível. O amor que está chegando. Não existe o presente... Eu imploro, guincho, telefone! Eu quero ouvir a sua voz de pistache."
Ângelo sente-se tocado principalmente por Constância ter escrito seu número de telefone ao contrário com facilidade no vidro do trem. Parece bobagem, mas ele já a tinha visto antes, mas naquele momento tornou-se paixão e não apenas uma atração. No passado, Ângelo passou por situações difíceis com a perda da avó e um certo regresso em seu estado natural onde além de muitas coisas lia tudo na rua ao contrário; era como estar em um mundo particular, um mundo só seu!
"- Nosso professor de italiano já explicou isso. Uma vez, Pavese, um escritor, esperou durante horas , debaixo de chuva, pela garota pela qual estava apaixonado.
Oh, meu Deus! Eu disse isso!
Apaixonado.
Como seu eu estivesse escrito em negrito..
Mas eu já sabia disso. Nunca havia me sentido assim antes. Posso até dizer com precisão o momento que isso aconteceu. Quando Constância escreveu na janela do trem, ao contrário..."
Apesar de sentir-se atraído por Constância ele não tem coragem de ligar, mesmo que a iniciativa de trocar telefones tenha partido dela e com isso ela tenha deixado claro seu interesse; o que deixa Roberto (seu melhor amigo) indignado.
"...só sei que, para mim, tudo é como um sonho. As coisas acontecem assim.
- Assim como?
- Assim... Em momentos pelos quais você não esperava, e que são momentos perfeitos; em lugares que você frequenta todos os dias e que, de repente, parecem diferentes, mágicos."
E assim surge o amor entre Ângelo e Constância. Duas pessoas se apaixonando e toda a insegurança de ser rejeitado, não ser correspondido, de entender o que é aquilo que revira nossa cabeça e nos deixa completamente alheios ao mundo!
"E, então, o toque, o beijo, tornam-se as coisas mais simples e naturais do mundo. Parece até que as mãos sabem, sozinhas, por onde devem andar. As suas e as dela. Não é preciso guiá-las.
Então isso é estar apaixonado? É o mundo que gira em perfeita harmonia com você.."
Se quiserem conhecer mais sobre essa história encantadora, terão de ler!

Minha opinião:

Estou encantada com a história do casal! O começo de tudo, os sentimentos .. É como uma viagem no tempo; nostálgico e com uma magia que muitas vezes esquecemos ao longo dos anos!

Claro que nem tudo são flores e amores; assim como amamos, nos apaixonamos; com essa entrega também conhecemos os desencontros, desenganos e sofrimento. Mas o que posso deixar claro sobre o amor, ou sobre Ângelo e Constância é: "o que é para ser, será!". Sentimentos estão além de nossos esforços para evitar ou não algumas situações.. É o destino agindo; simples assim!

O amor acontece e entre idas e vindas; erros e acertos nos vemos nessa enorme roda gigante que nunca para de girar!

Estive diante de um romance encantador e muito próximo a realidade!

"Fecho os olhos e desfruto este momento em que alguém que não é qualquer um tem a coragem de chamar de amor aquilo que o amor é."

7 comentários:

  1. Adoro romances principalmente estes que mostram os altos e baixos do casal e o amadurecimento ao longo da relação,fiquei curiosa em conhecer a história de Angelo e Constância.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Confesso que raramente eu leio romance, mas acabei ficando interessado por esse. O que eu mais gostei, além da história em si, foram os personagens e o fato de que a história acaba abordando vários temas. Além disso, pude perceber que o livro é carregado de sentimentos! hahahah

    ResponderExcluir
  3. Karini, Vejo O Mundo Nos Seus Olhos me encantou assim que o vi e não preciso falar nada sobre a sua resenha, não é? Surpreendente. Não imaginava uma história repleta de sentimentos neste livro que aparentava ser apenas fofo. Gostei muito da história entre Constância e Ângelo e as concepções do passado e do presente. Quero ler!

    ResponderExcluir
  4. Achei a história simples, mas extremamente meiga e tocante! Acho que eu me apaixonaria fácil pelo casal protagonista, e ficaria torcendo para que eles deixassem o orgulho de lado e resolvessem assumir o amor logo. Adorei a quebra no tempo que a autora faz, isso nos permite conhecer os personagens mais à fundo, bem como sua história juntos. A capa do livro é linda!

    ResponderExcluir
  5. Antes de comentar da história do livro, adorei saber que ele intercala o tempo da história, gosto muito quando isso acontece porque nos deixa curiosos.
    Quanto à história, me parece interessante e emocionante. Uma boa história de amor tem esse poder de nos tocar profundamente. Ah, sem contar essa capa... Achei linda.

    ResponderExcluir
  6. Dois lados que me fizeram entender o porque das intrigas, esse livro parece ser levinho mais com um amor intenso e difícil por de trás, logo que vi a capa fui capais de distinguir que eu precisava ler.

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito da sua resenha e me interessei pelo livro. Parece um romance previsivel mas com questoes fortes . vou ler.

    ResponderExcluir