Resenha || Escola de Vilões - Jen Calonita

Editora: Única
Páginas:192
*Livro recebido em parceria com a Editora.
Será que um vilão pode se recuperar? Gilly não se considera exatamente uma garota má... Porém, quando se tem cinco irmãos e irmãs mais novos, é preciso ser criativo para ajudar nas despesas. Ela é uma ladra muito boa, e disso tem certeza e pode se gabar. Até ser pega. Depois de roubar uma presilha, é sentenciada a passar três meses no Reformatório de Contos de Fadas – no qual os professores são aqueles antigos vilões que já conhecemos, como o grande Lobo Mau e a malvada Madrasta da Cinderela. Quando, porém, ela faz amizade com alguns estudantes, como Jax e Kayla, aprende que esse reformatório vai muito além de sua missão heroica. Há uma batalha ganhando forma e Gilly precisa descobrir: os vilões podem realmente mudar? Descubra o Lado B dos contos de fadas.
"Você mandaria um vilão fazer o trabalho de um herói?"

Flora foi uma madrasta muito malvada como todos nós sabemos; para quem não sabe, ela é a madrasta de Cinderela e todos sabemos o quanto ela quase arruinou tudo para a pobre princesa. Mas ela simplesmente percebeu que não fava mais para continuar a ser uma vilã rejeitada; ela sabia que precisava mudar e foi então que não viu outra saída a não ser procurar redenção e perdão e foi assim que surgiu a RCF - Reformatório de Contos de Fadas, tendo como objetivo restaurar os vilões transformando-os em cidadãos produtivos da sociedade. O Reformatório vêm fazendo grande diferença, já que o índice de criminalidade atual é um dos mais baixos. São cinco anos de sucesso!
"Nos dias após o casamento de Cinderela. Ninguém me venderia um pão', conta Flora, a madrasta da princesa. Sim, essa Flora mesma. A madrasta que usava Cinderela como escrava e tentou enganar o príncipe para que se casasse com uma de suas outras filhas."
Gilly é a filha de um sapateiro que se viu em uma situação difícil quando as fadas madrinhas entraram para o ramo, fabricando sapatinhos de cristal para as princesas; isso fez com que os pedidos na sapataria de seu pai caísse e com tantos irmãos ficou complicado alimentar a todos como deveria. Com isso Gilly passou a cometer alguns furtos no intuito de ajudar a família.
"O negócio de sapateiro não é mais como antes, e o dinheiro é escasso. Temos três refeições, claro, se você considerar caldo de galinha uma refeição. Se não fosse pelas minhas últimas surrupiadas no mercado, meus irmãos já teriam definhado... Faço o que posso para ajudar. E isso inclui garantir que meus irmãos sejam alimentados e ganhem um presente de aniversário."
Ao ser pega pela terceira vez , Gilly vai parar no reformatório de Contos de Fadas, um lugar que de cara parece ser bacana mas que esconde coisas estranhas e  um perigo que se aproxima. Seu último furto foi uma presilha para dar a Ana de presente, sua irmã, já que ela fazia aniversário; além de roubar um saco de pães do padeiro. Dessa vez não teve jeito e seus pais prontamente concordaram com a ida de Gilly para o reformatório, o que a deixou bastante chateada; claro! A intenção era nobre, mas claro, que roubar não é correto e Gilly tem uma certa tendência a repudiar a nobreza e as princesas!
"Maçãs envenenadas, a maldição do adormecimento, tornar-se o jantar do lobo - cinco anos atrás os cidadãos de encatadópolis tremiam de medo com tanta maldade. Bem, não mais! Graças a um vilão desprezado, a malvadeza e o comportamento criminoso estão sendo varridos do mapa."
Ao chegar ao RCF Gilly percebe que precisa de alguma forma se enquadrar para que sua estadia não seja longa ou indeterminada como prometeu a Diretora Flora. Então logo ela começa a observar mais ao redor e perceber que o RCF pode até ser um lugar legal. Um quarto dividido com apenas uma pessoa; refeições decentes, todo o castelo parece bem confortável.. Mas pouco a pouco irá perceber que as coisas andam meio esquisitas por lá..
"Mentira constante. Sim!
Faltas inexplicadas e frequentes. Sim!
Raiva pela classe social de alguém.
Bem... os privilégios dos nobres me irritam, às vezes, então, eu acho que tenho de dizer sim pra essa.
Bullying. Não. Nunca implequei com ninguém na minha vida.
Transformar amigos em sapos. Não. (Credo, mas que maldade!).
Roubo. O quarto sim. 
Dou uma olhada na minha pontuação.
'Três ou mais respostas sim: sinaliza que seu filho deve ser matriculado imediatamente no RCF.'
Droga! O que a diretora sabe sobre a minha vida? Eu tive bons motivos para roubar."
O RFC tem um misto interessante de tutores para quem não sabe..
"Um Lobo que se tornou professor, uma bruxa do mar que ensina etiqueta, uma fada delinquente que ainda usa mágica e uma torta de maçã que é de matar, mas no bom sentido?"
De cara no Reformatório Gilly faz amizade com pessoas peculiares alguns deles Jax que vivia tentando escapar até que ela chega na escola e o ajuda a sair de uma enrascada, já no primeiro dia. Kayla, que estava ouvindo toda sua conversa com a Diretora Flora e acaba se tornando sua colega de quarto - a propósito a última colega de quarto de Kayla desapareceu misteriosamente. 
"- O RCF foi divertido por um tempo, mas coisas estranhas começaram a acontecer e eu não quero estar aqui quando vier algo ruim.
Coisas estranhas? Que tipo de coisas estranhas? Por que Kayla parece subitamente pálida?
- Ele está exagerando - Kayla me diz, porém, ela não parece convincente."
Coisas estranhas vem acontecendo no RCF e Gilly obviamente não consegue se manter de fora e começa a investigar Flora e todo o resto.. Descobre que Gárgulas são de verdade e outras coisas que prometem prender o leitor e o levar diretamente para um conto de fadas moderno e interessante!
A história flui rapidamente e eu que amo fantasia e contos modernos não poderia deixar de gostar do enredo que foi muito bem escrito e desenvolvido!

A capa está linda, diagramação perfeita! Sou só elogios para essa edição! A Única arrasou!
Eu amei!


7 comentários:

  1. Olá, Karini. Eu imaginava uma estória totalmente diferente para este livro. Escola de Vilões me encanta desde o anúncio de seu lançamento, tal encanto que ainda permanece. Estou bem ansioso para a leitura, principalmente agora ao descobrir que o livro não trata exatamente de vilões, mas sim, da reforma dos vilões, a sua melhoria e a sua disposição ao mundo, risos.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a sinopse e estou muito ansiosa para ler este livro achei o enredo bem diferente e interessante parece ser uma leitura muito prazerosa,quero muito descobrir o mistério que envolve a escola de vilões.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Eu fiquei bem curiosa com o livro desde que eu vi que ele seria lançado pela editora. Amo o universo dos contos de fadas, e quando vi a possibilidade de conhecer um pouco do mundo dos vilões, não me contive de ansiedade. Acho essa capa linda, e depois de todos os elogios que tu fez ao enredo, destacando as peculiaridades dos personagens e os segredos que o Reformatório esconde, ficou difícil não querer ler pra ontem!

    ResponderExcluir
  4. Eu já estava com vontade de ler esse livro quando ele foi lançado, e minha vontade só aumentou quando eu li sua resenha! A história que foi criada parece ter sido espetacular. Além disso, os personagens aparentam ser bem marcantes, principalmente por ser vilões. Gostei bastante do enredo!

    ResponderExcluir
  5. Adorei a história do livro e também sou super fã de fantasia, além de contos modernos que dá uma pegada bem original à obra. Essa capa está bem chamativa e perfeita. Sem dúvida, respondendo ao quote, acredito que pediria sim para um vilão fazer o papel do bonzinho. O que será que daria? Fiquei bem curiosa.

    ResponderExcluir
  6. Só a intenção do reformatório já valeria minha leitura kkkk
    Já pensou? Nossos vilões em reabilitação? Não vejo a hora de ler.
    Bjs,Rose.

    ResponderExcluir
  7. Essas protagonistas que repudiam as patricinhas e metidas! Gilly tinha uma intenção tão nobre que até parece incorreto coloca-la no reformatório, mais é o jeito né! Eu amei a capa e a historia que o livro nos propõe e fico mega empolgada para ler a este livro.

    ResponderExcluir