Resenha || O que eu quero pra mim - Lycia Barros


Editora: Arqueiro
Páginas: 208
Alice é independente, bem-sucedida profissionalmente e muito ambiciosa. Além do sucesso no trabalho, tem um namorado que é o sonho de qualquer mulher: lindo, apaixonado, louco para se casar e ter filhos. Mas ela não é qualquer mulher, e acha que a carreira vem antes de tudo. Então, quando Casseano a coloca contra a parede e exige mais espaço em sua vida, os dois entram em um impasse e acabam se separando. Em poucos dias, Alice sente que o fim do relacionamento está sendo mais duro do que esperava. Para piorar, o trabalho entra em crise e sua sócia, preocupada com a saúde da amiga, a obriga a se afastar por um tempo. As férias a ajudarão a arejar a cabeça e voltar mais produtiva.
Com tudo dando errado ao mesmo tempo, Alice aceita a sugestão e compra uma passagem para Londres. Chegando lá, mergulha numa profunda jornada de autodescobrimento e percebe o que realmente importa para ela. O que eu quero pra mim é um romance inspirador, que fala sobre a importância de conhecer a si mesmo e descobrir as próprias necessidades antes de trilhar de forma plena o caminho do amor.
O que eu quero pra mim? Quais são as coisas mais importantes e as que são dispensáveis? As vezes essa é uma pergunta que fica pipocando no fundo da mente e não vem a superfície. Uma questão que se bem colocada e bem respondida pode mover pedras, retirar pessoas e trazer outras. O que eu quero é o mais importante. O que eu realmente desejo, sem influências externas. Aquilo que meu coração me pede. Aquilo que agradará a mim em primeiro lugar e somente depois o outro. Aquilo que eu quero livre de amarras. Sem pensar no que deu errado no passado e o que pode vir no futuro. Aquilo que eu quero no presente, quem eu quero na minha vida, quem me fará bem.

"Preferiria lhe dizer que lhe escrevo para matar a saudade (o que não seria mentira), mas a dura - e triste - realidade é que, desde que seguimos caminhos diferentes, ainda não encontrei outra pessoa com quem possa me abrir de verdade, sem máscaras."

Alice é uma mulher bem sucedida profissionalmente, totalmente independente e aparentemente feliz. Quando seu namorado de vários anos lhe pede para dar um passo maior no relacionamento, para ficarem mais próximos, Alice se desespera e recusa veementemente. Ao mesmo tempo, Camilla, sua sócia lhe obriga a tirar férias, devido a seus aparentes problemas de saúde e perturbação devido ao fim do relacionamento.
Alice, sem rumo e abalada, resolve tomar novos ares, indo visitar sua antiga amiga Luana, em Londres.

"- Mas vou ficar fora por um mês. - A voz dela agora estava ficando embargada. - E você pode me esquecer durante esse tempo. - Ou você pode me esquecer. É um risco que nós dois precisamos correr."

Ao reencontrar Luana também reencontra uma parte de si já perdida. Despreocupação, calmaria, poder ser ela mesma por algum tempo. E ao mesmo tempo pode auxiliar sua amiga em alguns problemas e ajudar-se a si mesma a se redescobrir e reinventar.

" Nem todo mundo consegue seguir em frente com rapidez, ela percebeu. O mundo queria que eles superassem, os amigos também, mas era como se, dentro deles, houvesse sempre uma música melancólica que lhes lembrasse a tristeza que tocava bem lá no fundo. Às vezes, esse som ressoava baixinho, mas em outras, rugia de forma ensurdecedora."

Lycia Barros é uma autora que me causa muitas expectativas, devido a seu primeiro livro, A bandeja, ter sido tão positivo quando o li. E com o que eu quero pra mim não foi diferente, embora a obra demore para entrar em um ritmo interessante. Vários pontos foram completamente irritantes. As personagens femininas, Alice e Luana, fazem muitas coisas impensadas e em alguns momentos surge a vontade de entrar dentro do livro e sacudi-las para que mudem suas atitudes. Já os personagens masculinos, Casseano, o namorado de Alice no início do livro e e Eamon, alguém que surge no decorrer do livro, são muito meigos, e dá vontade de ter ambos. São do tipo de homens apaixonados, românticos na medida certa, são daqueles personagens que todas desejam secretamente ter. Outro ponto perturbador é o fato de que o livro começa chegar a seu objetivo e lição que quer nos mostrar mais ou menos na metade, e isso me deixou bastante impaciente, e quando eu acreditava que o livro não teria como ficar bom ele ficou, portanto aqueles que desejarem ler, não desistam já no início, ele vale a pena.

A narração é em terceira pessoa, dando um foco em boa parte dos personagens importantes embora a principal seja Alice. É dividido em 27 capítulos que não são tão grandes e deixam um tom de ansiedade para a descoberta do próximo. Lycia destaca bastante o Rio de Janeiro, lugar onde a história é ambientada e com isso deixa um gostinho de "quero conhecer" esse lugar cheio de sol e calor. Também mostra muito bem Londres, para onde Alice viaja, sem exageros, mostrando apenas a realidade de como é a cidade. O principal ponto que me atrai é a ótima escrita da autora, sem muitas gírias e sem erros.
Há ainda o título, O que eu quero pra mim, que transmite de forma intensa toda a lição do livro sobre sabermos o que queremos para nós mesmos, nos colocando acima de tudo.

Lycia é conhecida por ser uma autora de romances cristãos, porém, independente de qualquer religião deve ser lida. Ela fala de Deus de uma forma sutil, porém em toda sua plenitude. Não tenta fazer o leitor engolir a força um tipo específico de fé, deixando, assim como deixa para suas personagens, a liberdade de um caminho a seguir e a acreditar.
Recomendo para todos aqueles que gostam de livros sensíveis e ao mesmo tempo fortes. Livros sem grandes dramas, mas que ao final sentimos que nos marcou de alguma maneira.


12 comentários:

  1. Olá gostei bastante da resenha comprei este livro esta semana e estou super ansiosa para ler já tinha lido outros livro da autora Uma herança de amor e gostei muito,espero gostar deste também.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, realmente, a Lycia é ótima. Já estou querendo ler várias outras coisas dela.
      Espero que você goste tanto quanto eu do livro.

      Excluir
  2. Oi Tamara, apesar de conhecer a autora, não conheço ainda o trabalho dela, apesar de ter interesse em alguns livros. Não me importo com a parte que fala sobre religião, mas sei que isso não agrada muita gente.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Rose.
      Verdade, várias pessoas não gostam do quesito mais religioso, mas talvez por isso que a Lycia aborde tudo tão sutilmente. É fantástica, você não se arrependerá de conhecer melhor os livros.
      Boa leitura!

      Excluir
  3. nao li nada da autora ainda apesar de já achar o livro um grande sucesso pois conheço pessoas que lerem e gostaram, e fiquei mais curiosa ainda por ser um livro nacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie. Indico ler, tenho certeza de que não se arrependerá. Já estou querendo muito outros enredos dela.

      Excluir
  4. Tamara!
    Os livros que trazem uma mensagem com elevação espiritual é sempre uma boa leitura, independente de religião.
    Tenho A bandeja aqui e espero lê-lo em breve.
    Feliz dia dos pais!
    “As pessoas entram em nossa vida por acaso, mas não é por acaso que elas permanecem.”
    (Lilian Tonet)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rudy.
      A bandeja é daqueles livros que levam cinco estrelinhas, sem sombra de dúvidas. É um ótimo livro para começar a ler Lycia.
      Boa leitura!

      Excluir
  5. Ainda bem que o livro melhorou, não conheço a escrita da autora mais fiquei feliz em saber que ela é autora de romance cristão e dela escrever uma história tão delicada. Acho que apesar das meninas protagonistas darem nos nervos...kkkk acho que eu gostaria desse livro. Ainda mais os protagonistas homens sendo uns fofos. :)

    bju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, fico feliz que o livro tenha características que você goste. Espero que possa lê-lo e apreciar muito a leitura.

      Excluir
  6. O que eu quero pra mim da Lycia Barros estou bem interessada em ler.
    Desde que a Arqueiro lançou e li a sinopse, achei bem interesssante e a escrita da Lycia é bem elogiada, o que me deixou mais animada ainda a conhecer.
    Essa de enatrar no livro e dar um sacode nos personagens eu tb tenho essa vontade tb...hahaha. Gostei da ideia da protagonista buscar pelo autoconhecimento e tudo mais.
    Esse livro quero ler mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Oi Tamara!
    Eu já tinha ouvido falar deste livro e confesso que através da capa me senti muito empolgada para ler a história. Eu gosto de livros que tragam leves cargas de dramas e ainda mais daqueles que tratam um pouco sobre fé.
    E outra coisa que me chamou bastante atenção foi na narrativa ser em terceira pessoa, pois assim nós temos uma real noção dos pensamentos dos personagens.
    Beijos!!
    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir