Resenha || A Acústica Perfeita - Daria Bignardi




Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 210
A Acústica Perfeita - Ainda muito jovens, Arno e Sara se conhecem e rapidamente se apaixonam. Até que, numa tarde de verão, ela o deixa de forma inesperada. Dezesseis anos depois, no entanto, eles se reencontram e decidem se casar: são um casal alegre, se amam, parecem felizes. Arno se dedica por inteiro ao relacionamento e não entende as tristezas e as mentiras que começam a surgir no caminho deles.
Certa manhã, porém, um evento inimaginável o obriga a se questionar sobre a pessoa com quem viveu por treze anos, a mulher que sempre amou. Temeroso, começa a seguir pistas de mágoas da juventude e paixões sufocadas e, com crescente pesar, encontra o fio da meada de histórias insuspeitáveis.
Daria Bignardi dá voz a um extraordinário protagonista masculino, cujas palavras compõem, pouco a pouco, o retrato de uma mulher inquieta e vibrante. Um percurso em busca das verdades encobertas no íntimo de todo relacionamento, rumo ao coração sombrio que cada um de nós esconde até das pessoas amadas.

Algumas vezes somos egoístas. Provavelmente não algumas. Com certeza somos egoístas muitas vezes. Egoístas ao pensar no outro. Ao amá-lo não da forma como ele precisa. Ao idealizar algo encima deste. Desejando que seus defeitos sumam, que suas características mudem, que seus hábitos se transformem, tudo para nossa própria satisfação. Somos egoístas ao esperar que o outro aguente tudo em silêncio. Que lide com seus problemas. O vemos como alguém forte e que não precisa de nós. Que o simplesmente estar ao lado basta. Mas não basta. As palavras geralmente são essenciais, descobrir o passado também, fazer parte de tudo que diz respeito ao outro, mesmo aquilo que existiu antes de nós.

"Só amei na vida uma mulher: quando ela me deixou, não a revi por dezesseis anos."

Sara e Arno são apenas dois adolescentes quando se conhecem durante um verão. Arno imediatamente se sente apaixonado e Sara aparentemente sente o mesmo. Os dois começam um namoro mas logo Sara precisa ir embora e deixa Arno para trás, sendo que seus caminhos seguiram rumos diferentes.

"Jamais esperaria reencontrá-la naquele aeroporto cinzento, numa noite de chuva. No entanto, o que eu nunca poderia imaginar não foi aquilo que aconteceu - aquilo que estava escrito -, mas o que sucedeu treze anos depois. Se alguém tivesse predito isso para mim, eu riria em sua cara."

Dezesseis anos depois, os dois se reencontram de forma inesperada. Em pouco tempo estão casados e acabam construindo uma família que parece ser muito feliz. Porém treze anos depois essa felicidade é quebrada de forma abrupta. Sara deixa a casa, os filhos e Arno para trás e desaparece.
É então que começam a surgir segredos jamais revelados. Segredos que tem a capacidade de fazer Arno pensar em tudo o que se passou. E perceber que talvez nunca foi o suficiente.

"Por que, naquele momento, eu não disse que o sonho da minha vida, desde quando a conhecera, era ela? Por que não contei a você sempre a verdade, imediatamente, como quando éramos garotos, Sara?"

Assim que fiquei sabendo sobre esse lançamento minhas expectativas eram altíssimas, porém imaginava algo um pouco diferente. De qualquer forma acabei gostando durante a leitura e o livro me fez refletir muito profundamente sobre os relacionamentos durante noites a fio. Sara não falava. Arno não perguntava. E na falta de palavras houve um desencontro imenso, um desencontro capaz de destruir algumas coisas, e construir outras.
Um dos pontos que me perturbou foi o fato de Arno e Sara terem se encontrado e entrado em um casamento muito rápido, afinal, eles se conheceram muito novos e não se viam a muito tempo. Outra coisa que a princípio parece estranha é o fato de a autora ser italiana, e todas as experiências que tive com os autores italianos foram fortes e diferentes, uma vez que eles escrevem de uma maneira mais direta, forte, como um tapa no rosto. Não são sutis para apresentar certos fatos como a maioria dos americanos. Mas esse ponto depois de certo tempo acaba se tornando ainda melhor para o teor do livro. Já quanto ao final, primeiramente fiquei indignada, mas faz todo sentido e creio que não poderia ser melhor.

Sara é uma personagem um pouco irritante e não consegui ter muito amor por ela. Arno é um personagem que atrai, principalmente enquanto acompanhamos todo o seu drama de descobertas dos segredos da esposa, mas em certos momentos, quando é perceptível o fato de ele não ter dado a atenção necessária a Sara, pensando que tudo aquilo que ela tinha era suficiente ele causa um pouco de raiva.
O livro é narrado em primeira pessoa, por Arno, e preciso destacar que gostaria muito de saber em certos momentos como Sara se sentia. Dividido em 27 capítulos que achei bem curtos e se passa em certo tempo, cerca de um ano, porém voltando ocasionalmente ao passado pelas lembranças de Arno. A sinopse é algo que chama muito atenção do leitor e o título A acústica perfeita é descoberto no final o motivo, e ele se encaixa perfeitamente.

Essa história é sobre relacionamentos e toca cada um que lê, não só nos seus relacionamentos amorosos mas também em todos os tipos de relacionamentos que existem. Sobre sentirmos e ninguém nos ouvir, sobre querermos compreensão e recebermos apenas indiferença.
Indico para quem gosta de refletir com histórias. Permanecer com ela por noites a fio e tirar do livro lições para a sua própria vida.


7 comentários:

  1. Tamara!
    Tenho um pensamento comigo: é sempre bom nos colocarmos no lugar do outro. E o melhor remédio para resolver qualquer problema, é o diálogo em primeiro lugar.
    Gostei muito da premissa do livro, embora não tenha atingido sua expectativas.
    Gosto de livros que nos fazem refletir sobre nossa rotina diária em relação aos relacionamentos.
    “Lutar pelo amor é bom, mas alcançá-lo sem luta é melhor.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Rudy!
      Pois é, acho que na verdade não é que não alcançou minhas expectativas. Eu que queria um final específico. Mas nem sempre é assim na vida real e isso dá mais credibilidade ao livro.
      Essa citação do Shakespeare é muito boa. E real. Também gosto de livros que trazem reflexão.

      Excluir
  2. Parece ser um livro interessante, nunca tinha parado nem para ler sobre o que ele se tratava, agora depois de ler sua resenha fiquei interessada na leitura. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Dani.
      É um livro muito interessante mesmo. Se ler compartilhe a sua opinião.
      Beijos

      Excluir
  3. Oi, tudo bom?
    Gostei muito da resenha, ainda não tinha ouvido falar do livro, mas pelo visto ele é muito bom, se tratar de relacionamentos é um tanto complicado na minha opinião, pois são muitos sentimentos envolvidos, as vezes nos confundimos, mas é algo do ser humano né, gostei muito do enredo do livro, pelo visto ele vale muito a pena ser lido.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente o livro não me chamou atenção gosto quando os personagens me encantam e não quando eles são irritantes

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Acho que sempre que entramos com muito expectativa sobre um livro e raro os momentos que não nos decepcionamos, o livro parece ser bom gosto quando um livro nos faz pensar e refletir nunca li !!

    ResponderExcluir