Resenha || Amy e Matthew - Cammie McGovern



Editora: Galera Record
Páginas: 336

Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos.Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa.À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... exceto o que mais importa.
Primeiro vamos aos motivos que me fizeram querer ler esse livro. De cara me encantei pela capa, que não tem nada a ver com a história em si, mas que é linda! Depois foi meu grande interesse, consciente ou inconsciente, de ler livros que puxam para o drama, digamos que estou sofrendo muito com minhas leituras. Amy e Matthew, me surpreendeu, mas não da forma que eu estava esperando.

Amy nasceu com uma doença chamada Hemiplegia (joguei no google, essa doença compromete a fala e pode deixar parte do corpo paralisado), assim que nasceu os médicos disseram que ela teria uma vida vegetativa e seus pais, principalmente sua mãe, Nicole, iniciam uma luta para fazer com que ela além de ter uma vida ativa, seja a melhor em tudo. Acho que o grande problema central do que o livro trata é esse, e não o romance.

Com a necessidade de ajuda para atividades cotidianas (Amy anda com a ajuda de um andador e só consegue “fala” com a ajuda de um aparelho onde ela digita e o aparelho “fala” por ela), ela precisa sempre de um acompanhante, por muitos anos formam adultos que a ajudaram, mas com o intuito de conviver mais com outros adolescentes, Amy pede a mãe que outros alunos a ajudem. Por insistência de Amy, que ficou obcecada pela critica que Matthew fez a um de seus textos, Garota de Sorte. Ele não acreditou que mesmo com toda a adaptação, Amy fosse feliz como o texto retratava. (eu também não consegui acreditar nessa felicidade toda). Matthew acaba aceitando uma das vagas e uma grande amizade cresce entre os dois e quando se dão conta estão apaixonados, só que nenhum dos dois admite ou assume essa paixão.

Matthew é um garoto fechado, com poucos amigos (acho que nenhum na verdade), que sofre de TOC, mas sofre mesmo, ele acredita que se não lavar as mãos determinado número de vezes, algo muito ruim acontecerá. Nessa parte achei muito bom o apoio e ajuda que a Amy dá para ele, com a insistência dela, ele passa a buscar maneiras de superar e procura ajuda médica.

A convivência com outros adolescentes faz Amy questionar as decisões de sua mãe para com a sua vida e é ai que todos os problemas começam. Amy se torna uma pessoa egoísta passa a “usar” Matthew, e ele por ter certos problemas passa a se deixar se “usado” por ela. Em dado momento do livro ficou claro para mim que a Amy queria mostrar para a mãe que ela poderia sim fazer as próprias escolhas e tomar decisões importante sem precisar da ajuda dos pais.

Na minha opinião a história se perde a partir das decisões de Amy antes, durante e depois do baile de formatura, pois depois do baile, ela passa a ter que lidar com todas as decisões erradas que tomou, e posso dizer que formam muitas.

A leitura do livro foi bem rápida, li em um dia. Esse é um daqueles livros que faz você pensar que atitudes tomaria se estivesse no lugar dos personagens, eu por exemplo faria muito coisa diferente. Amy e Matthew, é um livro bom apesar dessa quebra por parte da personalidade da Amy.

Bjs

8 comentários:

  1. Marilia, tudo bom?
    Bem, eu gostei do livro em si, teve partes MUITO fofas e algumas bem "WHAAAAAAAAAAAAAAAT", mas ao todo, é bom.
    Eu achei as atitudes da Amy bem algo que uma adolescente faria pra assim quebrar a cara e aprender...
    Enfim, beijos!

    dreamdropdistance.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Marília. Gostei de sua indicação, eu não conhecia este livro e pelo jeito vou gostar bastante dele, já que faz um pouco o meu estilo. Ansiosa para poder ler. Ótima resenha e Obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Não gosto muito quando uma história se perde em algum momento.
    Mas vi muita gente falar super bem desse livro. Fiquei curiosa para ler. Parece mesmo ser bom.
    Bjss

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Marília,
    Essa capa é mega fofa. Imagino que a história seja excelente, afinal, você leu o livro super rápido. O que a Amy fez? Fiquei curiosa.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  5. Não tinha muito interesse no livro, mas fiquei curiosa por conta da doença e de como será desenvolvido isso.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Oi Marilia!!! Apesar da capa bonita eu não me empolguei com esse livro! Mas gostei muito da sua resenha e até me despertou um pouco de curiosidade e talvez eu venha a ler no futuro!!

    Bjssssssssss

    ResponderExcluir
  7. Oii Marília. Sabe que estão falando tanto do livro mas não me empolguei disto. Andam lançando bastante livros com estes temas de doenças e acho legal pelos exemplos, mas não me toca mais tanto sabe?

    Greice

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  8. Marília!
    Apesar de curiosa para ler o livro, tenho lido algumas resenhas que não são favoráveis e aí fico na dúvida...
    É que o romance é bem diferente dos que vemos por aí e então fico curiosa por saber como tudoo se desenrola.
    Um final de semana de amor e paz!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir