Resenha || Um Dia de Cada Vez - Faking Normal #1- Courtney C. Stevens



Suma de Letras, Edição 1ª, 2014
Alexi Littrell era uma adolescente normal até que, em uma noite de verão, sua vida é devastada. Envergonhada, a menina começa a se arranhar e a contar compulsivamente uma tentativa de fazer a dor física se sobrepor ao sofrimento que passou a esconder de todos. Ela só consegue sobreviver ao terceiro ano do ensino médio graças às letras de música que um desconhecido escreve em sua carteira. As canções parecem adivinhar o que o coração de Alexi está sentindo. Bodee Lennox nunca foi um adolescente normal, mas agora é o menino que teve a mãe assassinada pelo pai. Em seguida, ele vai morar com os Littrell, e Alexi acaba descobrindo que o Garoto Ki-Suco, o quieto e desajeitado menino de cabelos coloridos, pode ser um ótimo amigo. Em Um dia de cada vez, Alexi e Bodee, ao mesmo tempo em que fingem para o resto do mundo que está tudo bem, passam a apoiar um ao outro, tentando viver um dia de cada vez.

Quando iniciei essa leitura não sabia o que esperar e encontrei um mundo bastante real, que trata assuntos que muitas vezes fazem parte do nosso dia a dia sem que possamos perceber! 

 "Eu nunca pensei que a vida pudesse ser tão drasticamente
dividida, mas pode.E é. Só existe o depois. E o antes."


Alexi era uma menina como todas; alegre, bonita, popular.. até que um dia algo acontece e ela torna-se uma sombra de si  mesma, "fazendo as mesmas coisas costumeiras", mas sem estar presente realmente. Algo mudou Alexi e ela sente-se perdida em meio o seu próprio mundo tendo que conviver com uma situação que muitos não conseguiriam, assim como ela mesma não está indo muito bem, já que passou a se arranhar no pescoço, se esconder em seu armário e contar os espaços do aquecedor antes de dormir. Já não vem dormindo bem e o pior, se culpa pelo que aconteceu com ela.. Terá sido culpa realmente de Alexi que alguém de seu convívio, alguém em quem sempre confiou tenha abusado dela? O problema que martela na cabeça de Alexi é que ela não disse não, apenas ficou parada, chorando, como uma sombra de si mesma até que tudo tivesse terminado!

 "O closet é minha maldição e meu lugar de paz. Por pelo menos
uma hora todos os dias, eu me escondo lá. Encolhida e 
aninhada. Abraçada aos joelhos, enquanto forço minha mente a
não viver no modo louco de "antes e depois". Mas é inútil."

 
O que a ajuda seguir em frente e pensar que um dia possa estar curada do terror que viveu, é que no quarto tempo das aulas diárias, em sua carteira tem letras de músicas que são escritas para ela especificamente; ela troca letras de música com um completo desconhecido, que de certa forma parece entendê-la e consegue acalmá-la no turbilhão de emoções que passam em sua cabeça.


"Sozinho. Diante desta multidão. Sozinho, neste sonho de matar.
Quem sou eu neste silêncio visível? Será que alguém me ouve
gritar?."


Em dado momento ela acaba se aproximando de Boode, alguém que antes do ocorrido consigo mesma, talvez jamais tivesse notado. Boode é um jovem que viu sua mãe ser assassinada pelo próprio pai e possui seu próprio terror para enfrentar. Ambos acabam se aproximando e tornando-se amigos, um apoio um ao outro.. A família de Alexi acolhe Boode, já que a mãe de Alexi e Boode eram grandes amigas da igreja que frequentavam juntas.. 

"Antes desta semana, Bodee era o Garoto Ki-Suco. Agora, ele vai
ser o garoto cujo pai matou a mãe. Esse rótulo vai ser passado
de ouvido em ouvido sempre que Bodee andar pelo corredor. 
Antes era apenas fofoca maldosa, agora é por pena."

"Saber onde Bodee está não é da minha conta, mas de alguma
forma o silêncio que compartilhamos no banco nos conectou. E
eu fico me perguntando se ele está bem. Ou só fingindo estar."
 

A história é tocante, e muitas vezes eu gritava por dentro, aponta o dedo Alexi, diz o que fizeram com você! Mas entendo os sentimentos dela de achar, que por seu agressor ser alguém muito próximo e sempre ter sido um homem bom, ela acredita em seu íntimo, ou tenta ao menos, que foi só aquela vez.. E o pior de tudo é ver Alexi tendo que conviver com seu agressor diariamente, o que a destrói pouco a pouco.. Boode percebe isso, não sabe quem foi que a agrediu ou a história em si, até que ela mesma conte para ele.. Mas ele a apoia sem julgamentos e a ajuda a expor o agressor, pois seria impossível conviver com algo assim.. Algo que te faz definhar de dentro para fora! Que te come viva! 

"Alexi, entenda o nível de dor que ele estava para atacar você
desse jeito. Se você não perdoar, isso vai consumir você..
E eles não tirariam mais os olhos de mim. Estragando ainda mais 
minha vida. Eu não preciso de nada, e já o perdoei - bem, segui  em
frente - , então eu uso as unhas. Encaro a ventilação e conto.
E mantenho a boca fechada."
 

A história é muito bem escrita e descrita e a autora ao final escreve uma nota aos leitores dizendo que ela mesma passou por problemas parecidos e que teve ajuda e que está se curando.. E que quem passa por algo assim precisa de fato de ajuda, procurar apoio e tentar sobreviver um dia de cada vez!

Li a história em uma única sentada e espero que outros leitores aqui do Mix também possam ler, pois muitas vezes o perigo está mais próximo do que imaginamos, muitas outras aquela pessoa que está por perto, um amigo, um filho.. um primo, está passando por algo semelhante e precisa de apoio, de alguém que percebe que há algo errado, de alguém que estenda a mão e diga: "estou aqui com você, juntos vamos passar por isso".


"Mas hoje é melhor que ontem. E essa dor ainda é um buraco em mim,
mas é um buraco que está diminuindo."

20 comentários:

  1. Nossa já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais ansiosa pra conferi essa história que parece super emocionante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste tanto quanto eu gostei Milena

      Excluir
  2. Olá, Karini.

    Eu ia comprar esse livro na Black, mas esgotou rápido demais. Espero no ano que vem poder comprá-lo. A sua resenha me deixou muito animada com a leitura. Realmente não sabemos de onde o perigo possa vir. Quero conhecer a Alexi e o Boode.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio Fim de ano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu realmente adorei a leitura, espero que possa ler logo Paula

      Excluir
  3. Oi! Não tinha ideia do que se tratava o livro, percebi que ele parece ser muito real. Uma triste verdade que atormenta ainda muitas pessoas que se calam perante essa barbaridade. Acho que o livro trouxe um ambiente chocante, vamos vivenciar junto a ela o seu cotidiano tão próxima desse sujeito que se finge de bom. Me interessei muito por esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nadja, tudo bem?
      Então, me deu essa impressão de que a história tem certo fundo de verdade.
      Pela nota da autora, ela própria sofreu algum tipo de abuso (não entrou em detalhes) e seu desejo é que esse livro seja um carinho, um abraço e um incentivo para as pessoas que sofrem ou sofreram algum tipo de violência buscarem ajuda.

      Gosto de livros com essa temática, pois nos traz mais a realidade e nos faz pensar no que nos cerca, no mundo, nas pessoas e etc.

      Excluir
  4. Oie,
    Esse livro é impressionante, quando tive visto a capa nem imaginava que seria issi tudo. Mas depois que li a sinopse me apaixonei pelo livro, apesar de ser uma história um pouco triste.

    Beijos,
    Sarah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história tem seu lado triste sim e devastador, porém é uma história que mostra superação e como podemos viver um dia de cada vez e dar um passo a liberdade dos nossos medos e pesadelos que nos atormentam!

      Excluir
  5. Oi, tudo bom?
    Nossa que historia esse livro tem hein, só de ler a resenha, já percebi que é bem tensa, e tocante, confesso que antes eu não sentia nenhum interesse pelo livro, mas agora sim, tenho vontade de ler ele.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  6. O livro parece lindo. Quase acabei comprando ele alguns dias atrás. Fiquei bem curiosa com o mistério no início. O agressor parecia realmente próximo, talvez choque bastante. Realmente. Quando alguém não parece precisar de algo, na maioria das vezes precisam. Com as mortes ocorridas, o livro fica bem drama. Gostei do garoto Ki-suco. :)
    Abraços Karini,
    ThayQ.
    http://leituras-insanas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O garoto Ki-Suco é um tipo que todas nós sonhamos em ter.. ele parece estragado e perturbado, tanto quanto Alexi, mas ele tem uma força de espírito e presença impressionante!
      Todo mundo precisa de um amigo assim! Que te coloca para frente, te protege.. Até de si mesma!

      Excluir
  7. Oii :D

    Eu não tinha dado muito bola para o livro quando o vi pela primeira vez, mas confesso que sua resenha me deixou bem animada ..
    A história e bem sofredora, e eu mesma já estou apontando o dedo pra Alexi e falando pra ela tomar uma atitude, mas imagino que a dor que ela passa todos os dias por guardar isso deve ser torturante.
    Eu realmente gostei, e agora quero descobrir como vai terminar esse casal!
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vitória, eu pensava o tempo todo isso.. "acorda Alexi, faça algo"
      Mas pouco a pouco me coloquei no lugar dela e percebi os medos que implicavam ela relatar o que viveu.
      Ela queria ser normal, mesmo que não tivesse percebido de cara que isso era impossível, pois algo a tocou e a mudou para sempre..
      Ela se preocupava com as vidas ao seu redor que iriam mudar se ela relatasse o que sofreu, e também se culpou por ter ficado imóvel, não ter dito nada..
      E tem coisas do passado, de quando era criança, coisas que crianças não deveriam ver e outros a fizeram se calar, usando a chantagem de somos amigos, e etc..
      Se ler irá entender o que quero dizer! Se eu entrar em mais detalhes, talvez estrague a surpresa dos fatos e os motivos dos mesmos!

      Excluir
  8. Já era interessada nesse livro mas não sabia pelo que a personagem tinha passado. Agora que sei, minha vontade de ler esse livro é maior ainda, com certeza é um grande alerta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nathalia, mesmo eu tendo contado o que ela "passou", esse não é apenas o x da questão.. as coisas do passado de Alexi, seu dia a dia e relações que são interessantes para formar o enredo e personalidade dela.. a aproximação do garoto Ki-suco, seu sofrimento e os abusos que o próprio sofreu também são marcantes e crucial..
      Sabe, você pode ter vivido muitas coisas boas e tantas outras ruins.. mas isso não te define, o que te define é como você decide lidar com a situação!

      Leia o livro Nathalia e depois vem me falar o que achou. Pois realmente é o tipo de livro que gosto de debater e não conheço outras pessoas que o tenham lido ainda!

      Excluir
  9. Ja tinha visto esse livro outras vezes mas nunca lido a resenha Olhando pela capa eu nunca esperava uma historia assim me pareceu muito tocante o livro e uma historia de superação gostei muita da resenha !!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Karini!!! Fiquei muito curiosa sobre este livro. Estou me roendo pra saber o que fizeram com ela ou melhor quem fez, pois ja até imagino o que foi!!
    Mais pra minha lista infinita de leitura!!!kkkkkk

    Bjssssssssss

    ResponderExcluir
  11. https://www.facebook.com/pages/Um-dia-de-cada-vez/1654270721497759?notif_t=page_new_likes

    Curtam a página do livro no face e compartilhem ideias sobre o livro.

    ResponderExcluir
  12. https://www.facebook.com/pages/Um-dia-de-cada-vez/1654270721497759?notif_t=page_new_likes

    Curtam a página do livro no face e compartilhem ideias sobre o livro.

    ResponderExcluir