Resenha || Se só me restasse uma hora de vida - Roger-Pol Droit


Bertrand Brasil, Edição 01, 2014
Esse pensamento, tão urgente e profundo, surge em algum momento da vida de cada um de nós e coloca em perspectiva todas as nossas prioridades e problemas. Mas e se essa fosse mais do que uma simples suposição? E se tivéssemos, de fato, apenas mais uma hora? Roger-Pol Droit propõe neste livro um exercício radical, decisivo, que vale todas as lições de filosofia e sabedoria. De forma brilhante, o autor nos faz mergulhar em nossa própria consciência, para que, ao fim, possamos descobrir o que é essencial para nós. E se você também tivesse apenas um breve momento para fazer um balanço, lembrar-se, encontrar aquilo que mais importa? E se só restasse uma hora para esquecer as ilusões e, finalmente, viver?

"Se só me restasse uma hora de vida, apenas uma hora,
exatamente, inelutavelmente, o que eu faria?
que atos realizar? que pensar; sentir, querer?
que traços deixar?"


Se só me restasse uma hora de vida é um desses livros que fazem você refletir sobre toda a sua vida e sua história, nas coisas que deixou de fazer, nas coisas que fez e se arrependeu.. Eu realmente fiquei refletindo sobre isso. Sou dessas pessoas saudosas que fica lembrando-se do passado e de tudo que deixou de fazer e gostaria de ter feito.. Acho que se passasse por uma situação onde me restasse uma hora de vida ou algo assim, eu gostaria de passar essa hora da melhor forma possível! O difícil seria a despedida daqueles que eu amo, como meus filhos, e entes querido! 
Nesse livro o autor sugere formas e maneiras de isso acontecer, de se passar essa hora de vida, ou mesmo como lidar com essa situação. 
Sinceramente, um livro fantástico.. Uma escrita incrível! Eu recomendo!
 


"E se você também tivesse apenas um breve momento
para fazer um balanço, lembrar-se, encontrar aquilo
que mais importa? E se só restasse uma hora para 
esquecer as ilusões e, finalmente, viver?"




Como diz o autor, é necessário, deixar de lado o supérfluo e captar o essencial para que então possamos viver o momento que nos resta de maneira sábia e realmente plena; para que faça valer cada segundo, do contrário, seria mais uma hora de desperdício! Mas .. O engraçado é que, o autor mesmo diz que às vezes, o supérfluo pode ser o essencial! Ou seja, é necessário, ser realmente conhecedor de si e de suas necessidades.. Para que possa haver essa avaliação!
Em algum momento o autor diz que a maior dificuldade é a continuidade entre negação e desespero, entre obsessão e anulação, pois tudo oscila.. E eu não poderia concordar mais, pois mesmo lendo, me senti oscilando entre sentimentos, comparando e pensando, e sentindo tudo ao mesmo tempo, e realmente tomar um rumo entre tais sentimentos seria o mais difícil!

Bom, quem tiver oportunidade, essa com certeza é uma leitura interessante!






5 comentários:

  1. Lembra um pouco autoajuda, achei bem interessante o enredo, bem útil na nossa vida, para assim aprendermos a viver as coisas essenciais que a vida nos proporciona, uma temática bem interessante, e nos faz refletir bastante, afinal, nosso ultimo dia pode ser qualquer um.É uma obra bem interessante mesmo.
    Beijos Karini, ThaynáQ.

    ResponderExcluir
  2. Oi Karini. Acho essa capa e esse título sensacionais. Estava apaixonada e queria esse livro já na minha estante, mesmo sem saber quase nada dele. Me decepcionei um pouco ao ler a sua resenha, pois também fiquei com a sensação de que é autoajuda, e não gosto desse gênero. Que triste :( Talvez algum dia eu dê uma chance à obra, mas, por enquanto, perdi completamente a vontade de ler. Parabéns pela resenha! Beijos

    http://www.secretfantasybooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Confesso que me interessei pela capa do livro sem nem saber do que se tratava. Acho muito valido livros assim, da uma acordada na gente, só que me fazem ficar preocupada também, pensando na minha vida, refletindo, da uma angustia sabe? rs

    ResponderExcluir
  4. Karini!
    Uma hora seria muito pouco para fazer o que ainda tenho vontade, e olha que nem sou dessas saudosistas que vivem rememorando o passado, revendo o que fiz ou não. Gosto mesmo é de viver o presente e poder fazer mais coisas que me façam feliz!
    Gostaria muito de ler e presentear esse livro para minha irmã, ela anda precisando de uma chacoalhada na vida.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do tema do livro ainda não li nenhum livro parecido é legal quando o autor te faz pensar, também não conhecia Roger-Pol Droit mas vou ler esse livro pra te uma ideia melhor dele .....

    ResponderExcluir