Resenha || Sangue: vida, morte, destino - K.J. Wignall



Bertrand Brasil, Edição 1ª, 2014
"Blood" (Mercian Trilogy #1) — 1256. Will estava destinado a ser o Conde de Mércia, mas não viveu o bastante para herdar o título, já que foi acometido por uma estranha doença aos 16 anos de idade. Mesmo assim, apesar de sua morte – e de seu enterro –, ele não está nada morto. Ao longo das páginas, o leitor vai compreender um pouco sobre esta condição de Will. Descobrir que ele está existindo entre a vida e a morte. Ocasionalmente hiberna, sempre esperando que a morte lhe chame e, toda vez que desperta, enterrado no solo, tem uma breve lembrança do primeiro pânico que sentiu em 1349. Sangue apresenta como um de seus principais diferenciais o fato de ser mais macabro e sombrio do que as obras atuais do gênero. Para Wignall, o romantismo é importante, mas nunca deve se sobrepor ao enredo. Assim, ele elaborou cenas angustiantes, como as que o protagonista enfrenta sempre que desperta das hibernações, além de ambientes sinistros e escuros e personagens bem-construídos, perversos e sem escrúpulos.


"Se eu não tivesse ficado doente, teria me tornado... 
Não, não há razão para falar no que teria me tornado,
pois de fato fiquei doente e meu meio-irmão mais novo
herdou injustamente o condado, e agora ele e sua nobre 
linhagem, que sobreviveu vários séculos, foram reduzidos
ao pó e à extinção."


O ano era 1256 quando Will adoeceu antes de se tornar o Conde de Mércia; uma época em que mulheres eram queimadas em fogueiras acusadas de bruxaria e o caos reinava por conta de crenças que foram desacreditadas mais tarde! Will foi sepultado para despertar alguns anos mais tarde atordoados sem entender o que estava acontecendo de fato se deu conta da mordida em seu pulso, porém sem qualquer lembrança de como ocorreu, de quem o fez.. Tendo que aprender ao longo de séculos a sobreviver sozinho e entender suas novas habilidades. O que para muitos seria uma benção, não é bem assim. Já que com a eternidade também vem à solidão de ver todos àqueles que um dia amou irem embora.. Will tentou fazer uma companheira para si, para só sentir-se ainda mais culpado, pois ceifou a vida de uma jovem que realmente gostou muito. De início poderia ser até tenebroso conviver com a necessidade de ceifar a vida de alguém para sobreviver, mas para Will isso é como respirar, ele não precisa alimentar-se a todo instante, mas após um longo tempo hibernando ele precisa de sangue e para obtê-lo precisa drenar a vida de alguém. Ao longo de sua existência aprendeu que a melhor opção é fazer isso com aqueles de que ninguém sentirá falta.. Sem teto, e pessoas sem famílias ou vínculos, parece frio, eu sei, mas essa é a existência de Will. Seu mundo gira sempre da mesma forma.. Até gora, quando desperta e tudo parece acontecer de forma diferente. Ele acorda necessitando de sangue como sempre e acaba indo até um morador de rua estranho, que antes de morrer, mesmo devendo estar sobre a hipnose de Will ele revela uma profecia.. Will fica intrigado claro. Há um caderno com o nome dele escrito, há uma garota chamada Eloise e há fatos estranhos acontecendo pelas ruas da cidade e Will nunca viu nada assim acontecer antes e terá que desvendar o mistério. Parece que finalmente saberá quem o transformou em vampiro ou morto-vivo, como prefere ser chamado e qual o real objetivo de sua existência, já que tudo parece ter sido planejado ao seu redor.

A história é recheada de seres sobrenaturais e é muito descritiva. Senti falta da ação que geralmente vem com esse tipo de tema, até tem alguma, mas bem pouca.. O autor preocupou-se mais em introduzir o leitor no seu cenário do que dar emoção à coisa. O cenário é completamente sombrio, eu vou ser muito sincera, até agora não sei se gostei ou não do livro.. Preciso ler a continuação para ter certeza. Eu achei que começou muito bem e depois foram introduzidos seres estranhos à trama e situações desnecessárias, a meu ver! A ideia é muito boa, então acredita que ainda há esperanças para uma grande trilogia nos próximos volumes!


5 comentários:

  1. Espero que suas esperanças se concretizem, pois pelo que li na sua resenha, confesso que me desanimei um pouco.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bom?
    Eu ainda não conhecia o livro, e ele não me atraiu muito não, sei lá, não fiquei nem um pouco interessada na historia.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  3. Oi Karini. Já tinha visto esse livro mas não sabia do que se tratava. Achei interessante, parece ser uma história de vampiro mais "clássica" sem as frecuraiada de hoje em dia. Me interessei.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei mega curioso para ler o livro, já vi ele mais nunca prestei muita atenção... agora que li sua resenha (perfeita por sinal) fiquei louco para ter um!

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito da ideia central da trama mas acho que devia ser mais trabalhada pelo autor.Também não tenho uma opinião formada do livro mas creio que não vá ler a continuação pois esse não me deixou interessada o suficiente pra isso.

    ResponderExcluir