Resenha || A Evolução de Calpúrnia - Tate Jacqueline Kelly



Editora Única, Edição 01, 2014
Calpúrnia Virginia Tate tem 11 anos em 1899, quando pergunta o porquê de os gafanhotos amarelos em seu quintal serem tão maiores do que os verdes... Com uma pequena ajuda de seu notoriamente mal-humorado avô, um ávido naturalista, ela descobre que os gafanhotos verdes são mais fáceis de ser vistos contra a grama amarela e, por isso, são mortos antes que possam ficar maiores. Por gostar de explorar a natureza ao seu redor, Callie acaba criando um relacionamento próximo com seu avô enquanto enfrenta os desafios de viver com seis irmãos e se depara com as dificuldades de ser uma garota na virada do século. Em seu livro de estreia, Jacqueline Kelly habilmente traz Callie e sua família para a vida, capturando o crescimento de uma jovem com sensibilidade e humor.



A primeira coisa que chama a atenção em A Evolução de Calpúrnia Tate é a capa, eu achei linda e delicada, assim como a história que é intrínseca e singela ao mesmo tempo!

Calpúrnia, ou Callie, como prefere ser chamada mora com seus pais, seis irmãos, sendo três mais velhos e três mais novos e seu avô. Sua família é tranquila e aparentemente comum, a exceção de seu avô que se tranca em seu laboratório ou seria biblioteca? rs sempre buscando conhecimento em torno de ciências e afins.. O que soa um tanto quanto peculiar em uma família tão comum!
Callie nasceu em uma época em que as mulheres, não importando a idade já nascem com um propósito: aprender as tarefas do lar, saber se comportar diante das pessoas, ser submissa, boa esposa e tudo que engloba essa redoma onde mulher era vista apenas como "adereço", "empregada", entre outros; porém Callie, não consegue ser da forma como todas as meninas nascem destinadas a ser, ela tem sede por mais.. Ela é viva e destinada a grandes feitos e não apenas os afazeres simples domésticos e é a partir dessa ânsia de querer além, que surge o ímpeto de querer saber mais sobre o que o Capitão Tate (seu avô) tanto estuda em seu laboratório e as coisas começam a mudar em sua vida!

A relação entre avô e neta é simplesmente linda de se ver, pude pensar e repensar, na relação que tenho com os meus avós, ainda vivos, Graças a Deus! Só quem tem essa conexão entende o quanto um livro assim pode mexer com os nossos sentimentos, pois quando Callie demonstra curiosidade pelos feitos de seu avô eles se ligam ainda mais em um laço que vai além do parentesco, um laço que envolve amor e ciência.. Callie aprenderá coisas que jamais sonhou que pudessem existir e a forma como a autora fala sobre as teorias de Darwin não é maçante, e em momento algum desinteressante, pelo contrário deu um "Q" a mais a história.. no decorrer da leitura podemos nos deparar com momentos marcantes na história e coisas realmente interessantes. 

Não posso dizer que esta seja uma leitura surpreendente, mas é uma leitura relaxante e gostosa!

4 comentários:

  1. Oi, tudo bom?
    Eu tenho curiosidade em ler o livro, ele realmente parece ser gostoso de ser ler, já ficarei atenta para não criar muitas expectativas, pois ele me pareceu agora um livro só para descontrair um pouco, adorei a resenha.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  2. Oi Karini, eu ao contrario de você já não gostei muito da capa rs e não me interessei muito pela história também, parece ser bonita mas não me chamou a atenção.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas eu fiquei super ansioso para ler quando vi a capa, e mais ainda quando li sua resenha!
    Parece ser o tipo de livro que me faria perder uma madrugada com bom grado rsrs

    ResponderExcluir
  4. Quando vi os anúncios dos lançamentos da Editora acabei me interessando pelo livro mas foi só momentâneo e por grande influência da capa,agora lendo sua resenha vi que a história é mesmo bonita e merece ser lida,quem sabe eu não dê uma chance a ele.

    ResponderExcluir