Resenha: "Quem Teme A Morte" - Onye e A Profecia - Nnedi Okorafor


Geração, 2014, 1ª Ed.
"Numa terra devastada por uma hecatombe nuclear, uma jovem e misteriosa mulher com o incomum nome de Onyesonwu – que pode ser traduzido como Quem Teme a Morte – descobre que tem superpoderes e foi escolhida para salvar a humanidade. Este seria um romance distópico como qualquer outro se não transcorresse na África e sua autora não fosse a surpreendente Nnedi Okorafor, elogiada pelo prêmio Nobel nigeriano Woyle Soyinka. Fantasias, batalhas, tradições e alta tecnologia, sonhos, visões, discriminação racial e sexual, tudo se mistura numa narrativa tensa e poética que confere uma nova linguagem para os romances do gênero".








O livro fala de dois povos que vivem em constantes conflitos: os Nurus e os Okekes. Esses conflitos acabam gerando revoltas violentas. O livro é dividido em três partes: a primeira, chamada "Tornando-se"; a segunda parte "Estudante" e a terceira parte "guerreiro".

A história é narrada em primeira pessoa pela protagonista. Onyesonwu é uma Ewu. Ewu significa "nascido da dor", pois sua mãe foi estuprada e ela é um produto dessa violência. 
Cada parte do livro apresenta a longa jornada dessa Ewu. O descobrimento de sua origem, o treinamento dela e suas incríveis habilidades, a necessidade de se vingar em nome da mãe.
Mas existe uma esfera maior que é discutida no livro. As diferentes classes sociais, o papel da mulher nessa sociedade e os seus costumes patriarcais.

Mwita é um jovem rapaz que também é Ewu. A aproximação dos dois acaba se tornando inevitável, por diversos motivos. O primeiro, é claro, é o fato de serem semelhantes e ambos excluídos da sociedade. Porém, com o desenrolar da trama, observamos que Mwita também tem algumas características machistas, pois tem dificuldades em aceitar que Ewu possui mais habilidades do que ele.


O livro é recheado de aspectos místicos, onde personagens mudam de forma, conseguem entrar no mundo dos mortos e curar as pessoas. A história é extremamente rica e possuí uma linguagem própria, um mundo novo criado de maneira magistral. O conteúdo é denso e tem muitas descrições de violência contra as mulheres e também contra os mais frágeis. 


Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. Foram encontrados alguns errinhos de digitação, mas nada que interferisse com a leitura. A capa é muito bonita e combina com a trama.

"Esta noite você quer saber como me tornei o que sou. Quer saber como cheguei aqui... é uma longa história.. .Mas eu contarei a você.. contarei a você". (p. 10)

13 comentários:

  1. Pela sinopse a autora tem raízes africanas. A África só não é o maior bolsão de pobreza do mundo( a Ásia que é) pois lá as taxas de mortalidade infantil são bastantes altas. O livro em si parece ter uma história muito boa ("As diferentes classes sociais, o papel da mulher nessa sociedade e os seus costumes patriarcais.") com coisas interessantes é atuais. Mas a capa deixou a desejar, tá ela pode até "ter sentido" mas não me agradou.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante da trama.
    Deve ser uma história bem densa com descrições de violência contra as mulheres, as diferentes classes sociais e etc.
    Achei interessante a inserção do sobrenatural com personagens que mudam de forma, vão para o mundo dos mortos e curam pessoas.
    É livro único?
    Bom, espero ter a oportunidade de ler esse livro =)

    ResponderExcluir
  3. OI! Não me interessei pela história, ela parece ser boa e cheia de significados, mas não me agradou. Acho que se trata de uma distopia? Não sei ao certo! Nunca li uma. Tem coisas bastante interessante, como o lugar onde desenrola a trama, que é a Africa um lugar cheio de mágia e mistério.
    Bom, não foi dessa vez.

    ResponderExcluir
  4. Eu adoro o gênero, e esse livro foge um pouco daquele enredo que estamos acostumados, eu simplesmente amei o livro em si, tem um tema bem original, adoraria ler ♡♡♡

    ResponderExcluir
  5. Não gostei da premissa que o livro tem. Não curto muito esse da violencia entre povos e tal.
    Além de ter a capa muito muito muito feia. Sério gente, que capa horrorosa é essa?
    É um livro que não leria!

    ResponderExcluir
  6. O livro em si não chama a atenção e violencia de mulheres, precisa ter uma auora que trate o assunto com cuidado se não fica ruim.
    Não sei se vou chegar a ler, quem sabe. E a capa não é legal...a editora podia ter trabalhadoi mais nela, beijos.

    ResponderExcluir
  7. Dessa vez não fiquei muito interessada no livro. Talvez pelo tema, talvez por esse lado mais místico.
    Não curto o estilo, não mesmo.
    Mas admiro autores que conseguem criar um "novo universo". Isso é muito difícil e desafiador.
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Não gostei muito do livro, achei a história um pouco estranha e a ideia embaraçada. AA unica coisa que eu gostei foi a ideia de guerra entre povos, mas temo que a escritora tenha falhado nessa parte. Não é o estilo que gosto ler e achei a capa bastante estranha.

    ResponderExcluir
  9. Não gostei muito da sinopse não faz meu tipo.Acho que vou ficar perdida nesse livro querendo saber quem é quem.

    ResponderExcluir
  10. Concordo com vc quanto a diagramação e capa, foram bem feitas e bem trabalhadas. Porém, não gostei do livro. Achei que a autora se perdeu e, na parte que poderia melhorar, ela acabou piorando tudo.

    M&N | Desbrava(dores) de livros

    ResponderExcluir
  11. A capa é muito bonita!! Gosto muito de distopias e essa parece ser diferente, pois inclui um pouco de fantasia!!! Vou acrescentar na minha lista!!!

    Bjssssssssss

    ResponderExcluir
  12. Que assunto complicado de se escrever, é bem intenso...
    A leitura deve ser bem envolvente, com certeza. E a editora faz um trabalho ótimo com as capas né? Sempre lindas.
    Enfim, parece bacana, mas acabei não me interessando. =/

    ResponderExcluir
  13. Adoro esta capa e e já estava interessada quando li a sinopse. Agora com a leitura da resenha vi que é um livro que realmente vou querer ler.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir