Resenha || O Trem dos Órfãos - Christina Baker Kline


Planeta do Brasil, Edição 01, 2014

Quando Vivian Daly, uma senhora de 91 anos, decide se livrar de seus pertences antigos ela acaba recebendo a ajuda de Molly, uma adolescente órfã e rebelde, que está disposta a prestar serviços para não acabar no reformatório. Revivendo cada momento marcante de sua história, Vivian conta para Molly sobre sua família irlandesa pobre que foi de barco para Nova York em busca de uma nova vida e acabou morta em um incêndio. Sendo a única sobrevivente, ela foi levada por um trem com outras centenas de crianças que teriam seu destino decidido pela sorte. Seriam elas adotadas por famílias gentis e amáveis, ou teriam de encarar uma infância e adolescência de servidão e trabalho pesado? 



O Trem dos órfãos é desses livros que te pegam e te ganham, mas confesso que não é uma leitura que eu faria habitualmente, pois de inicialmente acreditei ser um livro como tantos outros e que por não ser do tipo que costumo ler não me agradaria tanto; o que acabou por tornar-se uma grata surpresa, por se tratar de um livro singular e muito, muito bom!

O livro é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Vivian, uma senhora de noventa e um anos que nos conta parte de sua infância até os dias atuais e também conheceremos a vida de Molly uma órfã que vive com uma família que não é nenhum primor. A vida de ambas se cruza quando ao roubar um livro em uma biblioteca Molly, para não ser levada ao reformatório aceita prestar serviços sociais na casa de Vivian. Pouco a pouco, enquanto Molly arruma o sótão de Vivian vai conhecendo sua vida e sendo guiada a um passado sombrio e sofrido, nada de bom jamais permanecia na vida de Vivian quando criança, tudo sempre parecia azedar de tal forma que era praticamente impossível não imaginar que algum dia teria um futuro bom, ou alguma alegria duradoura. Ali ambas acabam criando uma conexão através de suas histórias e experiências e o leitor se vê imerso em sentimentos diversos, sentindo junto aos personagens, sofrendo com eles e também se emocionando!

Não costumo gostar de livros com fatos verídicos, prefiro os totalmente fictícios, por isso a minha dúvida quanto a se o enredo me agradaria. Pois O Trem existiu verdadeiramente e foi criado justamente para transportar crianças para que pudessem de alguma forma, encontrar uma família, serem guiadas a um lar. Só que como nem tudo são flores, tais crianças não encontravam exatamente um lar caridoso e almas generosas.. Muitas delas eram simplesmente postas em situações de igual ou pior horror do que já tinham em suas vidas. Muitas acabavam sendo escravizadas e sofrendo maus tratos. Claro, que uma minoria conseguia de fato um lar com pessoas generosas. Mas o ideal do projeto em si acabou por transportar crianças para um horror diário ao invés de "salvá-las" da marginalidade e abandono.

Mesmo diante um passado sofrido Vivian conseguiu seguir em frente e Molly percebe, assim como nós, leitores que independente do pior que já tenhamos vivido, cabe a nós querer tirar o melhor de cada situação transformando nosso futuro, nosso eu.. e sendo quem queremos ser, e não aquilo que nos fizeram e que talvez pudesse nos "quebrar" em definitivo, tornando-nos incapazes, infelizes.. e etc.

Realmente só o que posso fazer é recomendar este livro para todos os leitores que não possuem medo de se emocionar e que acreditam que toda história esconde uma lição que pode nos ser proveitosa para a vida real!

6 comentários:

  1. Oi! Gostei da resenha, me deixou curiosa com relação ao enredo do livro. Sou louca por capas de livros, mas essa não me faria compra-lo, primeiro eu teria que ler as opiniões para depois colocar na balança se eu devo comprar ou não. Mas agora vou coloca-lo em minha lista, amo livros com fatos verídicos porque são sempre emocionantes.

    ResponderExcluir
  2. Sempre tive um certo receio com histórias com forte carga emocional.
    A vida já não é tão fácil,e alguns livros só me deixam prá baixo.
    Mas talvez,tramas assim nos façam aprender algo.
    Quem sabe eu leia?

    ResponderExcluir
  3. Adoro livros assim,apesar de realmente preferir ficção, mas as vezes é bom sair um pouco da zona de conforto né, eu adoraria ler esse livro ^-^

    ResponderExcluir
  4. Não estou muito no clima para leituras fortes no momento, mas quem sabe daqui algum tempo eu crie coragem e leia este livro que parece ser muito bom!!!

    Bjsssssssssss

    ResponderExcluir
  5. Como já tinha citado, esse era o único lançamento da Planeta que eu queria ler.
    E pela resenha e alguns outros comentários por aí, parece realmente que vale a pena.
    Não é meu tipo de leitura favorito, mas com certeza me chamou a atenção.

    ResponderExcluir
  6. Gostei da história, gosto de livros com retorno ao passado, acho interessante esse tipo de leitura, é uma capacidade incrivel que nem todos os escritores conseguem.

    ResponderExcluir