Resenha Nacional - Insensatez - Tânia Lopez



Patrícia Gomes era uma jornalista em busca do furo de reportagem que alavancaria sua carreira. Linda e destemida, vivia em uma cidade do interior dominada pelo tráfico de drogas e desafiava seu editor a romper o silêncio que cercava as atividades criminosas. A chegada do novo chefão de uma facção rival acirrou o conflito entre os bandidos e colocou a cidade em pé de guerra. Era a oportunidade que ela precisava para fazer a matéria que revelaria os detalhes sobre o crime organizado e a projetaria em sua profissão. O que ela não contava era ser capturada por Marco, o italiano que estava à frente da batalha. Implacável, taciturno, misterioso, indecifrável... Aquele homem representava tudo o que ela mais abominava. No entanto, emanava poder e sensualidade, e Patrícia viu-se entregue a seu magnetismo. Um inimigo, que lhe instigava sentimentos contraditórios e a levaria à beira da insensatez. 

O livro apresenta a história de uma jornalista de 25 anos que ao investigar por conta própria a chegada do novo chefe do crime na cidade acaba sendo pega em flagrante e mantida em cativeiro na residência do italiano Marco.
A história é contada em terceira pessoa e acompanhamos o dia de cativeiro da protagonista. 

Quase que imediatamente Patricia se vê encantada por Marco que tenta a qualquer custo não ter nenhum tipo de ligação emocional com a mocinha. Para quem já leu algumas resenhas aqui do Mix, sabe que usamos a expressão de "amor miojo" para aqueles romances que acontecem depressa demais. Foi o que aconteceu com Patricia. Em questão de dias ela afirma que ama Marco e fica mais preocupada em conhecê-lo melhor do que fugir. Existe também o aspecto emocional da situação, que como leigo não tenho propriedades para discutir de maneira afirmativa, mas uma vítima em cativeiro, que foi separada do único amigo, isolada de sua realidade (não tem contato com o mundo exterior, apenas com Marco e com a empregada da casa), pode não estar na sua melhor competência mental.

A trama fala de um amor que surgiu de forma rápida e de maneira inesperada. A história ainda conta com uma ex-namorada do Marco que ainda é apaixonado por ele e o pai de Patricia, um homem extremamente protetor
O livro tem diversas reviravoltas e o leitor precisa chegar até o final para descobrir quem são os verdadeiros mocinhos e os bandidos do livro. A capa do livro é muito bonita e chama a atenção.


Síndrome de Estocolmo (Stockholmssyndromet em sueco) é um estado psicológico particular desenvolvido por algumas pessoas que são vítimas de sequestro. A síndrome se desenvolve a partir de tentativas da vítima de se identificar com seu raptor ou de conquistar a simpatia do sequestrador. (Fonte: Aqui)

12 comentários:

  1. Mesmo parecendo clichê. gostei do que li na resenha. Sei que na vida real, realmente amar alguém de um dia pro outro é difícil de engolir. Mas na ficção tudo é possível. E estou disposta a me aventurar nessas páginas. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Que capa interessante! A história não gostei muito, mas por curiosidade vou querer ler esse livro.

    ResponderExcluir
  3. Não gostei muito da história pois é meio clichê, mas ainda assim fiquei com vontade de ler o livro...
    Amei a resenha! Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da capa do livro!!! A historia parece ser legal, vou acrescentar na minha lista!! Já fico imaginando um italiano lindo maravilhoso e todo poderoso!!!Uiiiiiii

    Bjssssssssssssss

    ResponderExcluir
  5. Amor Miojo é bom... Mas você achou durante a leitura que a síndrome de Estocolmo se enquadra no caso?
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  6. Até achei a capa bonitinha, mas a sinopse não me agradou. Romances miojos me irritam.. rsrs (adorei essa expressão)!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. A capa é bem legal até, mas o enredo do livro não me chamou a atenção.

    ResponderExcluir
  8. Não me chamou muito a atenção =/
    Como falei, estou bem seletiva com o gênero, escolhendo só aqueles que me chamam muito a atenção.
    E este não foi um deles =/

    ResponderExcluir
  9. A capa é interessante, e pelo fato de ser nacional achei legal o livro. Mas, não é o gênero que eu gosto (sabe quando tudo parece falso de mais?), infelizmente acho que não leria =/

    ResponderExcluir
  10. Um tanto apelativo, eu imagino. Forçar certos tipos de emoções durante a leitura precisa ter limites, ser dosado da maneira correta. Sei que estou julgando sem nem saber, mas não me conquistou.

    ResponderExcluir
  11. Oi, essa é a primeira vez que vejo falar desse livro, ele parece ser bom, fiquei interessada, e sem contar que eu adoro nacionais, esse já vai para a minha lista com toda certeza.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  12. Gosto de ler livros de autores nacionais.
    Achei a capa tão romântica...
    E quanto a história , na ficção tudo é permitido. Até um amor rapidinho.

    ResponderExcluir