Resenha: A invenção das asas - Sue Monk Kidd



Paralela, Edição 01, 2014
Em sua terceira obra, Sue Monk Kidd, cujo primeiro livro ficou por mais de cem semanas na lista de mais vendidos do New York Times, conta a história de duas mulheres do século XIX que enfrentam preconceitos da sociedade em busca da liberdade. Sue Monk Kidd apresenta uma obra-prima de esperança, ousadia e busca pela liberdade. Inspirado pela figura histórica de Sarah Grimke, o romance começa no 11º aniversário da menina, quando é presenteada com uma escrava: Hetty “Encrenca” Grimke, que tem apenas dez anos. Acompanhamos a jornada das duas ao longo dos 35 anos seguintes. Ambas desejam uma vida própria e juntas questionam as regras da sociedade em que vivem.



Uma história emocionante e que toca o leitor de maneira profunda!
Sue Monk escreve com a alma e sua leitura permeia na mente do leitor mesmo muito tempo após ter terminado a leitura! Essa é uma dessas leituras inesquecíveis!
O livro foi oferecido pela Editora para que eu resenhasse e tão logo me foi oferecido eu aceitei, pois já havia me apaixonado pela capa e sua sinopse havia me deixado intrigada. Essa foi uma dessas escolhas em que o livro te escolhe; pois é exatamente assim que eu me sinto, como se o livro tivesse me escolhido, ao invés do contrário!

Em A invenção de suas asas leremos a respeito de escravidão, preconceito, sentimentos, força, fé.. A história é intercalada entre Sarah e Encrenca (uma escrava) divididas pelas classes sociais, porém conectadas por suas crenças e pelo destino.

Encrenca é dessas personagens puramente fortes, que já enfrentou muito e ainda enfrenta. Se mostra ao mesmo tempo que engraçada completamente sarcástica. Alguns podem estar se perguntando que nome é esse.. é um nome que melhor lhe define e que lhe foi dado, porém seu nome verdadeiro é Hetty.. Mas como eu disse, Encrenca, lhe cai muito melhor, assim como poderão perceber ao ler a história!

Sarah é igualmente uma mulher forte, porém que nos é apresentada como frágil em alguns pontos e até como alguém que não se encaixa. Filha de um aristocrata ela não é comum a sua época, tendo pensamentos e visões revolucionárias para uma mulher de sua classe social principalmente!

Em seu aniversário de onze anos Sarah ganha de presente de sua mãe Encrenca como dama de companhia, uma escrava de apenas dez anos. Se não fosse tão real, também não seria tão ridícula a forma como Encrenca é ofertada com uma fita envolta de si para representar bem seu papel de "objeto" ao invés de ser humano! Pois assim eram tratados os escravos! Confesso que isso me chocou e enojou muito! Saber que nessa época as pessoas eram tratadas assim de acordo com sua etnia!
A princípio Sarah se retrai e diz que não pode possuir outra pessoa, para ela isso não está certo, porém têm de se submeter as ordens que lhe são impostas.. Sarah não concorda com a escravidão, porém não vê muito que possa fazer em sua posição.. A atitude de Sarah me fez admirá-la e de cara já me rendi ao personagem! Mesmo em meio a todos que estavam presentes, ela tentou impor seus pensamentos a respeito do presente que lhe era ofertado, claro, chocando a todos inclusive à sua mãe que a faz desculpar-se posteriormente!

Com essa premissa somos direcionados por páginas recheadas por personagens fortes e decididos a não se conformarem com o que não acham correto, tendo duas personagens fortes desde a infâncias, com pensamentos firmes e personalidade! Sarah então, me surpreendeu muito questionando todo o modo de viver em uma época onde a mulher aristocrata era vista como um bibelô que deveria se enfeitar e ser uma boa esposa e comandar a criadagem! Ela queria muito mais.. sonhava em ser advogada, acabar com a escravidão e fazer do mundo em que vivia um lugar melhor inclusive para as pessoas com tom de pele diferenciado. Encrenca passou por situações inimagináveis aos nossos olhos e mesmo assim sempre demonstrou-se dotada de uma personalidade e caráter ímpar.. Dentre outras personagens que marcaram como Charlotte e Nina!

Sue Monk realmente despertou um misto de sentimentos em mim, que variou de raiva pela situação que eram imposta as pessoas cuja etnia as classificava como escravas, assim como a maneira como as mulheres eram vistas como alguém capaz apenas de "pilotar" uma casa e um marido e servirem de enfeites nas ocasiões sociais! Visto assim, percebemos o quanto "nós" mulheres estamos lutando ao longo de décadas para sermos vistas como iguais, capazes..  Sue nos faz pensar em tudo isso e muito mais! 
A narrativa do livro é um pouco lenta no início, mas a força dos personagens nos motiva e nos faz seguir por páginas de muita reflexão e admiração pela garra e pela força dessas mulheres em meio a sua época!


11 comentários:


  1. Não conhecia o livro, a premissa me parece muito interessante, e o livro chamou bastante minha intenção.
    Pretendo lê-lo com certeza.
    Bjss

    ResponderExcluir
  2. Apesar de ter achado a resenha boa e o livro interessante, eu normalmente passo longe de livro com temáticas mais humanas, prefiro fugir da realidade e do sofrimento mesmo...

    ResponderExcluir
  3. Oi Karini, acabei de ganhar o livro, mas não tive tempo de ler, apenas dei uma folheada básica nele. Mas ganhei um incentivo a mais com sua resenha.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. Oi Karini. Gostei da história, sempre leio sobre escravidão e sempre fico horrorizada, mas não enjoo de ler histórias assim.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá! Este livro está na minha lista de leitura, será um dos próximos.
    Muito bom o seu blog, parabéns!!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Gosto de protagonistas fortes, ainda mais os que lutam por um ideal!
    É a segunda resenha que leio desse livro essa semana e ambas apenas com elogios! Talvez o livro esteja me escolhendo para lê-lo. rsrsrs
    Capa linda! Fiquei curiosa. ;)

    ResponderExcluir
  7. Olá Karini, tudo bem?
    Não conhecia este livro,mas fiquei super animada ao ler sua resenha, um livro repleto de sentimentos que nos faz ficar intrigada com sua historia. Creio que livros assim sempre nos dão ótimos aprendizados!!Amei demais esta indicação e já inclui ele na lista de desejados!!
    Parabéns pela resenha!!
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia essa autora, mas agora estou muito interessada em conhecer sua escrita!!! Adoro livros de época e esse deve ser bem interessante, afinal trata de um tema polemico!!!
    Mais um pra minha lista!!!

    Bjssssssssssss

    ResponderExcluir
  9. Já disse que gosto de historias retratadas em épocas antigas, certo ? Logo, já gostei dessa. Também pelo fato de falar sobre a luta da mulher do século retrasado (que ainda vemos hoje em dia, infelizmente) por sua independência. Ao começar a ler a resenha, pensei que as duas mulheres eram duas amigas de mesma classe social ou duas mulheres distintas, que nem se conheciam. Me surpreendi ao saber que as duas eram respectivamente a "senhora" (por assim dizer) e sua escrava. Fiquei tipo "uau!" E, se o livro já me surpreendeu através da sinopse, imagina ele todo ?!
    A capa também é linda, assim como o título, que trás um quê de motivação por si só. Acho que combina com o enredo do livro.
    Ameei. Pretendo ler com certeza.

    ResponderExcluir
  10. Estou lendo esse livro, passei da metade e estou gostando muito..
    Claro, é uma leitura mais intensa... então requerer toda a atenção... mas para quem gosta de histórias mais envolventes, com temas de liberdade e essas coisas... recomendo. =)

    ResponderExcluir
  11. Ótimo texto de resenha. Meus parabéns! Amei a maneira que vc usou para se expressar, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura...a capa do livro é linda ela traz o universo como tema.
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=78725243

    ResponderExcluir