Resenha: "O herói discreto" - Mario Vargas Llosa



Alfaguara (Suma de Letras)

"O herói discreto é um romance clássico de Vargas Llosa, que entrelaça, com maestria, histórias de crimes e intrigas, amores e reviravoltas. Felícito Yanaqué é o dono de uma empresa de transportes em Piura, no norte peruano. Um dia, antes de ir ao trabalho, se surpreende ao encontrar uma carta anônima, presa à porta de sua casa. Sua família e sua empresa serão protegidas, diz o texto, mediante um pagamento mensal. Como assinatura, uma sinistra aranha, atrás da qual se escondem os chantagistas. Mas ele é um homem que aprendeu com o pai a não se curvar a nada, e fará o possível para combater esse perigo invisível. A partir de então, mergulha numa rede de ameaças que irá colocar em risco não só seu trabalho, mas as pessoas que ama. Em paralelo, em Lima, Ismael Carrera, viúvo septuagenário dono de uma companhia de seguros, decide mudar completamente o rumo de sua vida. Sabendo que os filhos gananciosos querem apenas seu dinheiro, ele se casa secretamente com uma mulher bem mais jovem, que trabalhou como empregada na casa da família. Seus filhos, inconformados, farão de tudo para destruir a vida do pai. Felícito e Ismael terão de lutar, mas não estão sozinhos. Em O herói discreto, de maneira brilhante, Mario Vargas Llosa traz à cena alguns de seus mais cativantes personagens — o sargento Lituma, além de don Rigoberto, Lucrecia e o jovem Fonchito — para tomarem parte nessa luta".


"O herói discreto" alterna duas histórias completamente diferentes. Na primeira delas temos como protagonista Felícito Yanaqué, 55 anos, dono da empresa de transportes Narihualá em Piura, no Peru. Sua vida segue uma certa rotina até o momento em que um envelope azul é encontrado na porta de sua casa, exigindo uma quantia de dinheiro para proteção do negociante. A partir desse momento, o leitor começa a formar o quadro geral da vida de Felícito: sua espoa Gertrudes e seus dois filhos Miguel e Tiburcio, Mabel, sua amante com um histórico promíscuo e as figuras/caricaturas da lei, o sargento Lituma e o capitão Silva.

"- Eu não disse isso - interrompeu o sargento, 
com moderação. - Só disse que nesta vida 
tudo tem o seu preço. E o preço do progresso é esse". 
 (p. 13)


Na segunda história, Ismael Carrera casa-se com sua empregada doméstica Armida, que é 40 anos mais nova do que ele, o que irrita profundamente seus filhos interesseiros, os gêmeos Miki e Escovinha. Ismael conta com a ajuda de Rigoberto, seu empregado e amigo de 62 anos, a sua esposa Lucrecia e o filho do casal Fonchito. 
As duas histórias discutem problemas da sociedade como traições, ganância, egocentrismo e impunidade mas também trazem um toque sobrenatural, seja através dos "pressentimentos" de uma determinada personagem ou as visões de outro. 
Uma ótima trama que discute o comportamento humano, com um enredo conciso e coeso.Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho.


"- Não é pelo dinheiro, Adelaida - disse ele, com firmeza. 
- Um homem não pode se deixar pisar por ninguém 
nesta vida. A questão é essa, comadre". 
(p. 21)

18 comentários:

  1. Oi Carol. A história é muito legal, ainda não conhecia o livro. Gosto muito de ler histórias que se passam fora dos EUA ou do Brasil, pra variar um pouco. E sobre o Peru, nunca li nada.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cristiane. Eu também gosto de ler livros com cenários diferentes para ir conhecendo um pouco das culturas.
      Bjkas

      Excluir
  2. Infelizmente esse livro não me interessou, o que é uma pena, mas nem a sinopse nem sua resenha ma alegraram de forma nenhuma. Fica pra próxima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena Ieda. Quem sabe a próxima resenha não desperta o seu interesse?
      Bjkas

      Excluir
  3. Não consegui gostar logo de cara do livro,ele simplesmente não me atraiu :c

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena Jayh. Quem sabe a próxima resenha não desperta o seu interesse?
      Bjkas

      Excluir
  4. Oi Carol, gostei da trama, mas vamos combinar que estes nomes não ajudam muito. Também não gostei da capa.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rose, tudo bem?
      Eu achei interessante a escolha do título apesar de ter soado estranha rs.
      Bjkas

      Excluir
  5. O livro não conseguiu despertar meu interesse! Me parece aqueles livros antigos que a escola colocava como leitura obrigatória. =/
    Por outro lado, o autor ainda tem outros livros que me parecem mais interessantes, como 'Travessuras da Menina Má'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena Amanda. Quem sabe a próxima resenha não desperta o seu interesse?
      Bjkas

      Excluir
  6. Não me empolguei com esse livro, então por enquanto não vou ler, quem sabe no futuro!!

    Bjssssssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena Marcilene. Quem sabe a próxima resenha não desperta o seu interesse? Apesar de que sua listinha de leituras já está quilométrica né? rs
      Bjkas

      Excluir
  7. Olá Carol, não conhecia este livro e ainda não tive oportunidade de conferir nada do autor,mas achei bastante interessante sua resenha sobre o livro, claro que não seria uma leitura que estou acostumada, mas achei uma ótima indicação de leitura.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michelli, tudo bem?
      É uma leitura diferente mesmo, pois é mais focado nas pessoas e não em acontecimentos mirabolantes. Apesar de diferente, tem seu próprio charme ;)
      Bjkas

      Excluir
  8. É bem diferente do que eu costumo ler. E o local também : Peru! Nunca li nada relacionado. Pode ser interessante..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andrea, realmente é uma leitura diferente.
      Bjkas

      Excluir
  9. Não conhecia o livro, mas parece diferente...
    Mas apesar de ser interessante, não me interessou no momento. Mas nossa.... como você lê nacionais. Parabéns =) Acho isso muito bonito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karolyne, tudo bem?
      Eu realmente gosto de nacionais. Esse ano eu já tive a oportunidade de ler quase 30 livros nacionais e pretendo dobrar a quantidade até o final do ano (dedos cruzados rs).
      Bjkas

      Excluir