Resenha: "O Bater de Suas Asas" - A Mão Esquerda de Deus #3 - Paul Hoffman


Suma de Letras, 2013, Ed. 
O cenário da trilogia iniciada com 'A Mão Esquerda de Deus' é desolador. Habitado por meninos que foram levados para lá muito novos e geralmente contra a sua vontade, o Santuário dos Redentores é uma mistura de prisão, monastério e campo de treinamento militar. Lá, milhares de garotos são submetidos a uma sádica preparação para lutar contra hereges que vivem nas redondezas. A intenção dos lordes opressores, os monges que protegem o lugar, é fortalecer os internos tanto física quanto emocionalmente, preparando-os para uma monstruosa guerra entre o bem e o mal. Entre os jovens está Thomas Cale. Não se sabe ao certo se ele tem 14 ou 15 anos ou como foi parar ali. O que se sabe é que ele tem uma capacidade incomum de matar pessoas e organizar estratégias de combate. E que o seu treinamento militar brutal tinha um único propósito: destruir o maior erro de Deus, a humanidade. Desde que descobriu esta verdade, Cale é assombrado pelo homem que o transformou em anjo da morte: o redentor Bosco. Arrogante e inocente, generoso e impiedoso; o garoto é um paradoxo, temido e reverenciado por seus criadores. Sua força já foi usada para derrubar a civilização mais poderosa do mundo, mas agora está fraco. Sua alma está morrendo.

O último livro da trilogia "A mão esquerda de Deus" não decepcionou aos fãs. O autor conseguiu encontrar um "equilíbrio" entre os dois primeiros livros e finalizou a série de forma coesa. Alguns até mesmo podem considerar perfeito.

Essa trilogia não agrada a todos os leitores, pois retrata de um modo muito "real" a crueldade presente na natureza humana. Além disso, ao analisarmos a trilogia como um todo, percebemos que o autor tem uma escrita pesada, cheia de detalhes que requerem a atenção constante do leitor, podendo confundir ou mesclar uma ou outra situação durante a leitura.

Thomas Cale é o exemplo perfeito disso. Desde o primeiro livro ele realiza atos horríveis, e ao mesmo tempo em que choca o leitor, ele consegue nos comover, pois observamos todo o percurso de Cale, suas dificuldades, suas dores e até mesmo suas incertezas. O autor conseguiu de modo genial fazer com que o leitor se afeiçoe por alguém tão imperfeito e problemático.

Os seus amigos também vão conquistando o leitor pelo modo que reagem as situações, o modo como se mostram sábios, leais e verdadeiros diante de tantos eventos selvagens.
Nesse último livro iremos conhecer um Cale mais fragilizado, mas não menos inteligente e sarcástico. O leitor observa de perto isso em seus diálogos com a irmã Wray.
Kleist é um personagem que comove o leitor, devido as suas perdas no segundo livro. Infelizmente ele ficou um pouco "apagado" nesse encerramento.
A escrita do autor ao mesmo tempo agrada e irrita. Em alguns momentos, como por exemplo, no início do livro, a leitura ficou muito arrastada, com uma linguagem formal e enfadonha. Ao avançarmos na leitura, há uma mudança nesse ritmo que faz com que a leitura se torne viciante.

O foco para o desfecho da trilogia está nos jogos de poder. Existe um detalhamento das estratégias e das manipulações e é claro que Cale acaba se tornando um alvo. O autor cumpriu o que prometeu. O desfecho foi inteligente e satisfatório.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa combina com as anteriores e traz um ar sombrio.
Para os fãs do gênero e o do autor é uma leitura recomendada.


" - Sabe, nunca ouvi você dizer nenhuma idiotice antes. Está realmente me dizendo que posso parar? Nem se eu quisesse. Ninguém vai me deixar em paz, ninguém vai deixar que eu me recolha a algum lugar com bolos e garotas, em paz e sossego". (p. 383)


4 comentários:

  1. Gostei muito de ler os outros dois livros da série. E estava doida pra saber como seria esse. Agora lendo a sua resenha e já tendo noção do que vou encontrar quando ler, não vou ter tanta decepção. Ele pode ser ou parecer arrastado em certos pontos mas assim mesmo acho que continua sendo uma das melhores séries que já li. Ansiosa pra ler este e por fim ao meu martírio. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Não li os volumes anteriores, mas tenho interesse na série inteira. As resenhas que li até hoje me confirmaram este interesse.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Eu venho adiando ler essa trilogia já faz algum tempo, sempre que resolvo comprar aparece algum outro livro da minha lista em promoção e acaba deixando eles de lado mas agora vou dar um basta nessa demora!! kkk Sempre ouço falar muito bem dessa série e preciso comprovar isso!!

    Bjssssssssssss

    ResponderExcluir
  4. Eu já achava interessante e tinha um interesse por essa trilogia, mas agora com a sua resenha não vejo a hora de começar a ler.Sempre bom saber que o final de uma trilogia não decepcionante.

    ResponderExcluir