Resenha: Dividir e Conquistar / Infinity Ring - Livro 02 - Carrie Ryan



Depois de garantirem que Colombo descobrisse a América e que a Revolução Francesa fosse um sucesso, Dak, Riq e Sera viajam com o Anel do Infinito para tentar corrigir mais uma falha histórica e salvar a humanidade. O cenário agora é a Paris medieval, e centenas de navios tripulados por guerreiros vikings estão cercando a região, prontos para exigir que a população se renda. Sem saber ao certo que caminho tomar, os três jovens acabam causando uma guerra entre os parisienses e os nórdicos invasores, e se preparam para defender a cidade. Mas a situação se complica quando Dak é capturado e forçado a lutar junto ao exército adversário. Em meio a chuvas de flechas, jatos de óleo quente e ataques de catapultas, os três viajantes só conseguirão sair vivos - e continuar sua missão de restituir a ordem do mundo - se encontrarem um aliado entre os soldados inimigos mais ferozes da história. 
Editora: Seguinte
Ano: 2013
Edição: 1
Páginas: 216
Nota: 5


Para aqueles que ainda não leram o primeiro livro podem ler essa resenha sem medo de ler spoilers do livro anterior.

Logo no Inicio do livro confesso que fiquei um pouco confusa, havia algo estranho entre o fim do livro anterior e o começo desse então fui ler a sinopse e a ficha caiu; entre um livro e o outro há acontecimentos que se passam entre o 1º e o 2º livro que são apenas mencionados nessa sequência. Para alguns (como eu mesma) o início do livro pode passar a sensação de que tem algo faltando, como se estivéssemos lendo a sequência errada, mais essa é só uma sensação inicial, com passar da leitura isso fica de lado.
A história, do início ao fim, é repleta de ação com “pitadas” de humor e até um pouco de romance. Não há uma página que não tenha algo emocionante acontecendo.
    

      “Sera observou maravilhada o primeiro bombardeamento de pedras. Tantos projéteis preencheram o ar que era quase impossível ver o céu. Foi só quando Bill a arrancou da janela da torre e se debruçou sobre ela que Sera realmente entendeu o que estava prestes a acontecer.”


Fiquei aliviada porque o livro não sofreu que os leitores chamam de “A maldição do segundo livro”, que é quando o autor se perde na continuação e não consegue conduzir a história, pelo contrário eu acredito que ele superou o anterior. Com surpresas e reviravoltas inesperadas o autor deu mais profundidade tanto na trama quanto nas emoções dos próprios personagens.

Na minha opinião Dak foi o astro desse livro, além de um ótimo alívio cômico nos momentos de tensão.

Se fosse para definir Sera em uma palavra eu diria: Irreal
É irreal uma menina tão nova ser tão madura e ter um nível de inteligência tão elevado. Não digo que é impossível, mais a Sera é muito perfeita, não tem atos e nem pensamentos infantis, não tem nem um pouquinho de imaturidade. Se o autor tivesse dado uma idade mais elevada, com 14 ou 15 anos acho que ficaria mais aceitável.

Riq continua uma incógnita, sabe-se um pouco mais sobre ele, mais não o suficiente para ficarmos satisfeitos.

     “Dak tentou chamar o mínimo de atenção possível para si mesmo, o que não era muito fácil quando todos os olhares do recinto estavam voltados para ele.”    
      
O Livro é escrito em terceira pessoa sendo que os capítulos alternam a visão do Dak e da Sera (Eu queria que o autor mostrasse a visão do Riq também).

E falando em autor, eu fiz uma pesquisa e descobri que cada livro da série será escrito por um autor diferente. Eu acho isso uma coisa boa, pois onde um autor falhou o outro talvez não falhe, além disso podemos ver a série por abordagens diferentes e ficamos com a expectativa de qual rumo o próximo autor vai dar a série.
Outra coisa que descobri   é que cada livro continua como um jogo na internet, agora está explicado os fatos que foram mencionados no começo do livro. Eu joguei o primeiro jogo e para ser franca achei bem bobinho.
A Escrita desse autor, na minha opinião, foi melhor que a do anterior. Detalhou melhor o ambiente e explorou mais as emoções dos personagens, e até incluiu algumas cenas mais fortes, tornando a trama mais “madura”.

O Terceiro livro está previsto para sair (de acordo com o que vi no site da editora) nesse mês de Janeiro.
Espero que o próximo livro seja tão bom –ou quem sabe melhor- que seu antecessor.

   “A missão inteira tinha saído dos trilhos, e cada movimento deles só piorava tudo ainda mais. Ela temia só de imaginar o impacto de suas ações que já poderia ser sentida no futuro.”

4 comentários:

  1. A história parece ser realmente interessante e emocionante. Não li o primeiro livro ainda, mais deu pra sentir o quanto a história é boa. Esse negócio de viajar no tempo e presenciar acontecimentos do passado e futuro sempre foi do meu interesse. Acho que passei a amar depois que assisti ao filme de Júlio Verne; Viajem no tempo. Bom demais.

    ResponderExcluir
  2. Uma série que me interessa, mas que não devo começar a ler por enquanto.
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
  3. Apesar de não acompanhar esta série, achei demais sua resenha...Pois fiquem bem curiosa em relação a cada livro ser escrita por um autor diferente...Mas como comentei anteriormente tenho algumas séries que tenho que finalizar..e por enquanto não irei começar esta!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito das capas dessa série e já estava na minha lista agora acho que vou antecipar a leitura!!! Gostei muito da resenha. Parabens!!!

    Bjssssssssssssss

    ResponderExcluir