Resenha || Outras Palavras para o Amor - Lorraine Zago Rosenthal



Galera Record, 2013, Edição 1ª
Anos 1980. Enquanto o mundo se encolhe com o medo da Aids e as tensões da Guerra Fria, Ari Mitchell tem outras preocupações além do vírus que pululam nos bocais dos telefones públicos do Brooklin. Como ser ofuscada por Summer, a amiga rica e bonita, que estuda numa prestigiosa escola particular em Manhattan. Ou a paixonite pelo cunhado bombeiro. Ou os sonhos de sua mãe castradora. Mas uma herança está prestes a mudar a vida de Ari. Com a morte de um tio, a sensível aluna nota A ganha um visto de entrada, mesmo a contragosto, para o mundo dos privilegiados. Nova aluna da Hollister Prep, ela precisa se adaptar a uma sofisticada realidade. E a outras amizades. Logo, o jeito calma e discreto de Ari atrai a atenção de Leah, uma jovem em luto pelo namorado. Summer não está acostumada ao segundo lugar. Ainda mais quando a amiga aparentemente sem graça atrai a atenção de Blake, um estudante de direito de excelente família. E elas se afastam. Ao mesmo tempo, a irmã de Ari, Evelyn, decepção para os pais depois de abandonar o ensino médio grávida, sofre de depressão pós-parto numa época em que o termo ainda não existia. E desconta em Ari. Dividida entre o antigo e o novo, o primeiro amor e as expectativas da família, ela precisa encontrar seu próprio caminho. Um caminho que vai levá-la a uma viagem de autoconhecimento, dor e redenção. Uma prova de que a força para alcançar seus sonhos está dentro de cada um.

“Outras Palavras para o Amor” é o livro de estreia de Lorraine e traz em seu enredo a história de Ari uma garota comum com algumas preocupações: ser ofuscada por Summer, a amiga rica e bonita, sua paixonite pelo cunhado bombeiro ou os sonhos de sua mãe castradora. Mas sua vida muda após o falecimento do seu tio e o recebimento de uma herança; a sensível garota com talentos para pintura ganha mesmo a contragosto uma entrada para o mundo dos privilegiados. Como aluna nova da sofisticada da Hollister Prep, Ari começar atrair atenção de algumas pessoas, deixando sua melhor amiga Summer em segundo plano, algo com o que não está acostumada, levando ao afastamento das duas.

Mas não se iludam, esse é um dos menores problemas da nossa garota: Sua irmã Evelyn, decepção para os pais depois de abandonar o ensino médio grávida, sofre de depressão pós-parto e está grávida do seu segundo filho e desconta sua decepções e frustações em Ari.
Dividida entre o antigo e o novo, o primeiro amor e as expectativas da família, ela precisa encontrar o próprio caminho e fazer suas descobertas.

O livro trata de crescimento e amadurecimento, uma viagem de autoconhecimento, dor e redenção, a maneira como Ary passa por essa transição foi descrita de forma sútil e sábia, é quando descobrimos que tipo de pessoa nos tornaremos. Ari divide conosco seus sonhos, anseios, medos, decepções e frustações. E é uma delicia viajar por suas dúvidas e certezas.

Lorraine foi intensa em seu enredo, não só traça uma história equilibrada em romance e realidade, como também nos fez voltar ao tempo e revivermos as dúvidas e dilemas que nos eram questionados, um romance ideal para quem está passando por esta fase ou para quem já passou e quer revivê-la.

Portanto recomendo a leitura, um romance realista sobre as confusões e as descobertas, uma prova de que a força para alcançar seus sonhos está dentro de cada um.

Boa Leitura.

5 comentários:

  1. Adorei a resenha, me deu muita vontade de ler o livro! fiquei curiosa pra saber se o cunhado dela tbm queria ela ou se so ela tinha esse desejo sobre ele... espero q nao tenha rolado nada entre os dois, pois nao suporto traiçao entre irmas :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha flor, mas pode ficar sossegada que nada rola entre ela e o cunhado, é só uma paixonite platônica.

      Excluir
  2. Gostei, realmente conseguiu me vender a leitura do livro. ^^
    Só não curti muito a parte dela ser afim do cunhado, traição me irrita. -_-

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, flor! Vale muito a pena a leitura, quanto ao cunhado, é só uma paixonite platônica.

      Excluir
  3. Oi Pat!!! Feliz ano novo!!! Não conhecia o livro, mas como sempre voce me deixou curiosa para ler!!!kkkkk Mais um pra minha lista interminavel!!!

    Bjsssssssssssss

    ResponderExcluir