Resenha: "O Lorde Supremo" - Trudi Canavan



Na cidade de Imardin, onde aqueles que têm magia têm poder, uma jovem garota de rua, adotada pelo Clã dos Magos, se encontra no centro de uma terrível trama que pode destruir o mundo todo. Sonea aprendeu muito no Clã, e os outros aprendizes agora a tratam com um respeito relutante.
No entanto, ela não pode esquecer o que viu na sala subterrânea do Lorde Supremo, ou seu aviso de que o antigo inimigo do reino está crescendo em poder novamente. Conforme Sonea evolui no aprendizado, começa a duvidar da palavra do mestre de seu clã. Poderia a verdade ser tão aterrorizante quanto Akkarin afirma? Ou ele está tentando enganá-la para que Sonea o ajude em algum terrível esquema sombrio?

Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Edição: 1
Páginas: 624
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4

O último livro da Trilogia do Mago Negro é surpreendente. Para os leitores que acompanham a saga do mago negro desde o primeiro livro compreendem que existem alguns conceitos sobre determinados personagens da série. A autora simplesmente joga para o alto tudo o que conhecemos, e vendo a situação do ponto de vista de Akkarin, vamos descobrir como ele se envolveu com a magia proibida. Mas para aqueles leitores ávidos por ação, Trudi Canavan não decepcionou, colocando no último livro da série a batalha mais decisiva de todos os tempos. Batalha essa que irá forjar alianças entre inimigos, ultrapassar as barreiras sociais e mostrar  locais ainda não explorados com tantos detalhes nos outros livros. 

O leitor percebe não apenas o amadurecimento dos personagens, mas também da escrita da autora. Se no primeiro livro, a linguagem apresentava vários trechos escritos errados propositalmente, e no segundo uma ausência total desses diálogos, no último livro, a autora inseriu a linguagem popular quando necessário, sem forçar essa característica em determinados personagens.
Os personagens considerados secundários nos livros anteriores, como Cery, Dorrien e Dannyl, ganham destaque, equilibrando a trama, mostrando também o desenvolvimento de suas tramas pessoais.
Achei o desfecho da trama coerente, conciso, e apesar de não concordar completamente com o final, não posso dizer que não era o esperado.
Novos personagens vão ter seu passado e presente analisados, explicando um pouco mais sobre o passado de Akkarin. Romances não esperados vão acontecer, mas a autora conseguiu desenvolver os relacionamentos sem empregar clichês, o que os tornou ainda mais interessantes e até mesmo chocantes.

A autora consegue surpreender o leitor saindo do lugar comum e quebrando qualquer lógica que seria empregada. O final do livro deixa o leitor com uma sensação agridoce, satisfeito pelo final proposto, mas ao mesmo tempo triste pela série ter chegado ao fim.
Quanto a revisão, diagramação e layout, a editora está de parabéns pelo trabalho.


2 comentários:

  1. Que estranho, meu comentário não aparece lá em cima, só na contagem de 'Mais Antigo' =**

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carol! Dei uma sumidinha do blog porque fui passear com a família no final de semana, e ontem teve comemoração ao professor na minha cidade (sim, sou pedagoga), e nem pude aparecer. Mas, cá estou eu novamente! Tenho curiosidade em ler essa trilogia, primeiro porque: as capas são lindas. Segundo: A premissa é super interessante. E terceiro: Sua resenha me deixou super, super curiosa! Fiquei feliz em saber que a autora quebra a previsibilidade e traz algo novo, que nos faz viajar. Finais de livros sempre nos deixam com essa sensação melancólica e nostálgica, né? Mas o importante é que puderam ser extraídas mensagens e momentos bons durante a leitura. Espero poder conferir logo essa história. Beijocas!

    ResponderExcluir