Resenha: As virgens suicidas - Jeffrey Eugenides


Num típico subúrbio dos Estados Unidos nos anos 1970, cinco irmãs adolescentes se matam em sequência e sem motivo plausível. A tragédia, ocorrida no seio de uma família que, em oposição aos efeitos já perceptíveis da revolução sexual, vive sob severas restrições morais e religiosas, é narrada pela voz coletiva e fascinada de um grupo de garotos da vizinhança. O coro lírico que então se forma ajuda a dar um tom sui generis a esta fábula da inocência perdida.


As virgens suicidas narra à história das irmãs Lisbon. Cecília é a mais nova das irmãs e a primeira a cometer suicídio, não se sabe os motivos que a levaram a cometer esse ato e isso choca e intriga as pessoas ao seu redor. Ela simplesmente pula do segundo andar de um prédio durante uma festa.

A história das irmãs vai sendo contada de forma cativante que faz o leitor se aproximar ainda mais dos personagens.
Mesmo sabendo o desfecho do livro, já que está no título, o leitor não deixa de se sentir curioso pelo que vem a seguir, ou nesse caso, o que antecede os suicídios.

O tema abordado apesar de forte é muito bem descrito pelo autor, que pontua tudo de forma suave e instigante!

Apesar de não saber quem de fato narra à história, a impressão que tive, é que ela foi narrada pelos cinco meninos que moravam próximo as irmãs Lisbon e interagiram com ela antes dos suicídios. O intrigante é que cada um deles sentiu-se apaixonado por uma das meninas na época em que conviviam. 
O leitor mergulha nas lembranças desses jovens (hoje adultos) que contam os fatos que marcaram e também, porém de uma forma tocante e emocionada, já que eles estavam envolvidos emocionalmente com as irmãs.

Várias questões além do suicídio são tratadas, já que temos as relações familiares, romance, religião. Mistério a cerca dos suicídios. O autor, com maestria consegue em poucas páginas, criar um clima envolvente e tocante, ao mesmo tempo em que fala de algo que poderia causar repulsa em alguns leitores!

Eu senti falta de saber mais a respeito das personagens, achei que o autor pincelou apenas, nos deixando muitas margens de interpretação e eu particularmente prefiro quando o autor traça todo o personagem sem deixar brechas. Mas isso de forma alguma tornou a leitura desinteressante. Pelo contrário, fiquei ainda mais curiosa!


   


Título: As Virgens Suicidas
Subtítulo:
Edição: 1
ISBN: 9788535922196
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2013
Páginas: 232 
Nota:4

4 comentários:

  1. Olá, Karini! Acho a sinopse desse livro super envolvente, além do mais, o tema é extremamente delicado (são poucos autores que conseguem lidar com delicadeza, e fiquei contente por este conseguir fazer isto); gosto muito de histórias que tratam de distúrbios psicológicos, e de assuntos que nos fazem refletir acerca de nossa existência. Considero suicídio algo doloroso não apenas para aquele que cogita tirar sua própria vida, mas também para todos aqueles que estão ao seu redor. Ler a respeito, nos faz enxergar com outros olhos. Pelo o que imagino, essa é uma história comovente; e eu mal vejo a hora de poder lê-la. A Companhia das Letras fez um belo trabalho com a capa; acho que representa bem o que o autor deve tentar transmitir. Beijocas.

    ResponderExcluir
  2. Li ele faz alguns anos, lembro que as poucas páginas me estressaram um poucos rs é que assim como você eu senti falta de mais aprofundamento, mais nuances dos personagens eu queria ver. Porém, eu percebi que a falta de informação foi meio que proposital, as meninas eram vistas sob a óticas dos meninos e eles não davam atenção para vários assuntos hahaha. Assisti o filme faz poucas semanas e gostei das atuações das garotas que fizeram as Lisbon. Realmente "As Virgens Suicidas" se torna interessante justamente pelas suas particularidades, vale a pena ler.


    Beijos,
    Jhey
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir
  3. Mais um livro que eu ainda não conhecia. Já anotei a dica.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. Olá Karini,
    eu tenho curiosidade com relação a esse livro porque ele tem uma temática diferente, é diferente dos demais, é original! Ele trata de temas bem delicados também e essa edição da Companhia das letras é linda!!! Também não gosto muito quando deixam pontas soltas para colocarmos nossa imaginação em prática, fico curiosa com o que o autor realmente quis dizer e isso me deixa aflita, rsrs. Mas já conhecia o livro e está na minha lista de desejados há um tempinho.
    Beijos.

    ResponderExcluir