Resenha: "Cinder" - Série Crônicas Lunares - Livro 01 - Marissa Meyer

Sinopse:
"Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica. Primeiro volume da série As Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído".

Editora: Rocco 
Ano: 2013 
Páginas: 448 
Tradutor: Maria Beatriz Branquinho da Costa 
Avaliação: 4 


Minha opinião - Eu estava fuçando no skoob esses dias, e a skoober Desirée Gusson, resumiu perfeitamente esse livro: é um "conto de fadas ciborgue". Ao terminar a leitura, o leitor realmente vê algumas semelhanças com a história da Cinderela: uma madrasta má, e duas meias-irmãs (onde uma é bem malvada com a Cinder). Nesse mundo criado pela Marissa Meyer, os ciborgues não são considerados exatamente normais, sendo tratados mais como propriedades. Pelo menos esse é o caso de Cinder. Adotada quando criança, e com o pai (Garan) adotivo falecido, Cinder se vê "prisioneira" de sua madrasta (Adri), que a coloca para trabalhar como mecânica, porém não lhe dá nenhum dinheiro. 
Nesse mundo, as pessoas são acometidas por uma doença grave e mortal, a letumose:


"A doença aparecera em centenas de comunidades aparentemente desconexas em todo o mundo. Centenas de milhares de pessoas haviam adoecido, sofrido e morrido". (p.33)

Não bastasse a doença, o planeta ainda tem discórdia com os lunares, uma raça originada na lua, que quer dominar a Terra e é governado pela tirana rainha Levana:


"Os lunares eram uma sociedade que evoluíra de uma colônia terrestre na lua séculos atrás, mas não eram mais humanos. Dizia-se que podiam modificar o cérebro de uma pessoa - fazer você ver, sentir e fazer coisas que não devia. O poder anormal deles os tornara uma raça violenta e gananciosa, e a rainha Levana era a pior deles". (p. 51)


Como a sinopse explica, Peony, a meia-irmã de Cinder, é acometida de letumose, e Adri como uma perfeita madrasta má, "doa" Cinder para que participe voluntariamente como cobaia na tentativa de descobrirem a cura para a doença. É nesse momento, que Cinder encontra o Dr. Dimitri Erland, um médico idoso que terá um papel fundamental na vida de Cinder.

Kai é o filho do soberano, que está aprendendo logo cedo as concessões necessárias para se tornar um ótimo líder. É um personagem carismático, simpático e que tenta tratar a todos da mesma maneira, cordialmente (e de acordo com os suspiros femininos, é um gatinho).
Cinder é uma personagem que eu estou torcendo para que desenvolva confiança nos próximos livros. Apesar de ser considerada menos humana, graças as suas partes mecânicas, é a personagem que mais demonstra humanidade em seus atos e sentimentos.
Com uma trama inovadora, a autora me conquistou e me deixou curiosa pela continuação.
Em relação a diagramação, layout e revisão a editora está de parabéns. Da escolha da fonte aos detalhes iniciais nos capítulos, tudo enriqueceu a trama. A capa está totalmente de acordo com a história e apesar de diferente, é muito bonita.
Espero que tenham gostado da resenha!

Beijos

5 comentários:

  1. Estou tão curiosa para ler esse livro!!!!
    Ouvi falar muito bem dele! E confesso que estou bem doidinha por essa coisa de contos de criança com distopia e ciborgues. kkkkk

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Preciso ler esse livro!!!!
    A sinopse, me deixou muito curiosa, parece ser ótimo.
    "conto de fadas ciborgue'', acho que não tem como ser melhor

    ResponderExcluir
  3. De fato a capa ficou bem diferente e linda demais! O fato de vc amar a história e querer a continuação só me anima cada vez mais!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu gostei muito da resenha!!!
    Um conto de fadas ciborgue me deixou muito curiosa!!!

    ResponderExcluir
  5. As palavras "misto de conto de fadas com ficção distópica" na sinopse já me conquistaram de primeira *--* rs'

    É que basta juntar contos de fada, com minha paixão mais recente por distopias... fiquei super curiosa pela leitura, porque achei a história - mesmo tendo traços da cinderela - uma escrita inovadora e acho que é do que estou precisando =]

    ~> Beijusss...;*

    ResponderExcluir