Resenha: Sol em minha noite – Faah Bastos


ISBN:9788565588317
Título:Sol em minha noite
Editora:Modo
Autora: Faah Bastos
Ano: 2012
Páginas:364
Avaliação: 5 S2


Após a morte do pai em um acidente, Helena, de 17 anos, se vê abalada e incapaz de seguir adiante, a relação com sua mãe e irmã, cada vez mais se distancia, criando uma barreira entre elas. Entre as obrigações escolares, encontra um refúgio na cabana ao lado de um riacho, que frequentava com seu pai quando era pequena, e por influência da psicóloga do colégio, começa a escrever cartas contando as suas dores, seus medos e aflições, e resolve deixá-las em um dos cômodos da cabana. Mas para sua surpresa, misteriosamente as cartas desaparecem e no lugar é deixado um bilhete escrito às pressas informando que ela passara a ter um correspondente, é quando inicia a sua relação com Orfeu, o rapaz que assina as cartas. O tempo passa, mas o sentimento de vazio continua a dominar os pensamentos de Helena, que quase morre afogada, mas é salva por um misterioso rapaz, Rafael, de 19 anos, que se mudara pouco tempo para Santa Rosa, em busca do seu passado. Helena acredita que Rafael se tornou seu anjo, o sol que estava disposto a brilhar em sua noite, preservando a escuridão nela, mas encontrando beleza na ausência de luz. Contudo, Daniel, seu melhor amigo com quem ela teve um relacionamento de poucos beijos, mostra-se contrário a paixão que nasce entre Rafael e Helena, demonstrando que o repúdio pelo jovem rapaz vai além do seu interesse por Helena, que se sente perdida entre os dois e ainda as cartas de Orfeu. Nesse cenário, Helena descobrirá que a linha que separa Rafael e Daniel, na verdade os une de uma forma violenta, ao passo em que reflete sobre seu comportamento, percebendo que não poderia continuar alimentando o egoísmo em achar que somente ela era capaz de sentir a perda de um pai, e advém lutar para salvar a relação com sua mãe, encontrando na dor um laço que ligará toda uma família. “Sol em minha Noite” se apresenta como um romance digno de lágrimas, sorrisos e reflexões, com doses torrenciais de poesia, mesclando amor, morte, recomeço dentro de cada coração; unindo o dia e a noite em um só existir.


Helena é uma adolescente que vive no limite do sofrimento após o falecimento do pai. Ela não vê mais motivos para viver, tudo parece ter perdido o sentido e isso a deixa em um sofrimento exacerbado. Sua mente está em estado de caos e não sabe o que é sonho ou realidade. Só percebe o que se passa depois de algum tempo, tentando encontrar conexões entre a realidade e o estado torpe de sua mente. Quando se da conta dos acontecimentos, percebe que quase tirou a própria vida, ao atirar-se em um rio.

Ela recorda-se de um “anjo salvador”, mas não tem certeza que era sonho ou realidade, até que essa pessoa vai até sua casa. Como ainda está muito mal, a única coisa que consegue desse “anjo” é a voz. Aquilo a deixa em um estado maior de confusão e inquietação.

A volta para a escola não é fácil e ela se sente muito insegura, apesar do apoio dos amigos Daniel, Emilie e Pedro. As pessoas a observam o tempo inteiro e questionam o que realmente ocorreu. Só quem sabe que ela se atirou no rio é seu “anjo” e ela não sabe quem ele é, apesar de procurar pela voz.

Quando Rafael aparece, parece um milagre. Ele é lindo, educado, carinhoso e super preocupado com ela. Helena não entende como uma pessoa como Rafael, que tinha tudo para ser popular e conseguir qualquer garota, pudesse se aproximar justamente dela. O seu sofrimento é tanto, que só enxergar isso. Ela fica alheia a sua beleza e inteligência. Mas milagrosamente Rafa parece querer estar perto dela, protegendo-a, cuidando e confortando nesse momento tão delicado.

Mas Helena agora se vê em uma situação muito difícil. Ela tem uma estima muito grande pelo amigo Daniel, que é apaixonado por ela e com quem já ficou algumas vezes. Ele e Rafael não se suportam e a disputam abertamente. Rafa adora provocar o amigo. Se isso já não fosse ruim, ainda existe Orfeu, seu correspondente e confidente, por quem sente um amor quase espiritual.

Agora a nossa protagonista está não só sofrendo muito pela perda do pai, mas também dividida e confusa nesse conflito adolescente. Ela está completamente apaixonada por Rafael, que é seu “anjo”, mas a relação dele com Daniel é tensa e acaba afastando-a dos amigos. Ela percebe as provocações e algo nessa rivalidade que não consegue compreender. Fora isso ainda sofre por não saber como responder a Orfeu, a quem ama; mas é um amor diferente. Orfeu foi o seu porto seguro no momento mais complicado da vida e se corresponder com ele a ajudou de certa forma. Mas lidar com os sentimentos por Rafael e Orfeu, além das crises de Daniel, está além de suas forças.

A trama central acaba girando em torno desse “quadrilátero” amoroso. A cabeça de Helena é um caos e ela só sofre. Tudo é muito complicado e a escrita da autora só faz o leitor sofrer muito com a personagem. Para complicar existe a dúvida, pois Rafael é um lindo e fofo, mas Daniel também é um bonzinho. Em determinado momento me vi querendo tomar partido dos dois. Fiquei como um peru bêbado correndo de um lado para o outro. Orfeu só complicou ainda mais meus sentimentos e deixou a trama mais interessante. Porque em determinado momento ele passou a ser o “X” da questão. Saber a identidade de Orfeu deixou a trama mais excitante e quando descobrir... Eu comecei a dançar e gritar como louca no meu quarto. Foi uma cena realmente tenebrosa, mas estava tão... Tão exercitada que não consegui conter os gritos e a dancinha da vitória. Ainda bem que meu marido estava dormindo, caso contrários me chamaria de louca... Amo desvendar os mistérios.

Tenho que destacar a amizade Emile e Helena. Sua amiga é daquelas que guardamos para a vida toda e está sempre apoiando, quando necessita, e dizendo algo duro se for necessário. Ela sabe como a relação com Daniel está tensa, mas Helena é sua prioridade número um.
Emile é um pouco confusa e volúvel. Ela sente-se atraída por Pedro, mas não da o braço a torcer. Anda sempre querendo caras mais velhos e experientes. Mesmo com esse lado doidinho, é uma super amiga.  A relação dela com Rafa chega ser hilária, trocando apelidos bem “carinhosos”. rsrs

Outra coisa que tenho que destacar é a escrita intensa da autora. Ela usa de muitas metáforas e paradoxos para expressar os sentimentos da protagonista. A escrita, algumas vezes, é quase poética. Eu tive que ficar muita atenta em alguns momentos para distinguir o que era sonho, realidade ou delírio de Helena. Essa escrita intensa me fez derramar RIOS de lágrimas. Quase sequei a menina dos meus olhos. Chorei de soluçar no final do livro. Fui dormir magoada e trabalhei dois dias chorosa, por causa dele. Eu sofri tanto, mas tanto... É difícil de explicar. Só uma pessoa sentimental, assim como eu, pode entender como se sofre desse jeito com um livro.

O que gostei muito foi da relação de Helena com Rafa. Ele é MUITO fofo. Rafa é apaixonante,  mesmo quando irrita. Nossa, eu me derretia com ele. Suspirei muito e apesar de gosta de Daniel, acabei tomando meu partido de tão apaixonada que fiquei. Acho que chorei mais por ele do que por Helena. Fofo demais! Já disse que amo livros fofos, então me perdoem a empolgação, mas queria muito Rafa para mim, mesmo com todos os defeitos e o jeito de Bad Boy marrento. LINDUUU!!

O livro é muito dramático e leva o leitor ao extremo dos sentimentos. Helena, muitas às vezes, foi até chata e me levou as lágrimas com ela. Se você gosta desse tipo de leitura, ele está SUPER recomendado. Tenho certeza que não vai se arrepender de embarcar nessa. Para ele eu dou 5 estrelinhas.

Bjs no core.

Em novembro teremos o sorteio de um kit lindo contendo livro + brindes cedidos pela autora! Fiquem atentos!

9 comentários:

  1. Bom dia Gláucia, tudo bem?
    Quero muito ler o livro da Faah Bastos, desde quando eu conheci a história dele. A capa, sinceramente, é apaixonante... fica impossível não se encantar com ele.
    Amei a sua resenha, que só aumentou a minha curiosidade rs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu fiquei maravilhada ao ler a resenha. Obrigada por ter sentido a intensidade que Helena carrega. A dor nem sempre é manifestada como uma carga extra, no caso dela, torna-se parte de quem ela realmente se tornou, uma noite. Fiquei muito emocionada com palavras tão lindas.

    ResponderExcluir
  3. Me pareceu um bom livro, gostei da trama, acho que gosto desse tipo de história, vou aguardar ansiosa o sorteio, rsrs
    Rafa
    Blog Melody
    http://www.sutileprovocante.com/

    ResponderExcluir
  4. Ei??? Já estou quase chorando só com sua resenha. Esse é meu tipo de livro, choro rios, mares, oceanos de lágrimas. Linda resenha amei MUITO MESMO.

    ResponderExcluir
  5. O livro é emocionante demais. O leitor fica com o coração na mão. No final eu chorava tanto, que soluçava. kkkk

    ResponderExcluir
  6. Espero que tenha sorte com o sorteio. O livro é emocionante demais. Vale realmente a pena

    ResponderExcluir
  7. Carol, a capa reflete exatamente o espirito do livro. Ele é emocionante até o fim e o quadrilátero amoroso fica emocionante. Em um momento do livro cheguei a fazer a dancinha da vitória. kkk em outros chorei com um bebê. Tenho certeza que irá amar.


    bks no core

    ResponderExcluir
  8. Os sentimentos de Helena e toda a sua dor foi expressada de forma muito palpável. Gostei demais do livro, sobre tudo do final dele. Nem preciso dizer que tive vontade de te bater por me fazer chorar tanto. kkkk

    ResponderExcluir
  9. Glaucia, sei exatamente como se sentiu, afinal também me senti assim, defendi o Rafa, chorei com a relação dos dois, no final do livro (terminei ontem a noite) não consegui controlar minhas lágrimas, até fiquei com dor de cabeça de tanto que chorei, e assim que terminei, mandei uma mensagem pra Faah, simplesmente lindo demais!!!!!!!

    ResponderExcluir