Resenha: A Miquelina e o Crumélio - Mundo Cinzento - Rafael Vidal


Sinopse:



Quando Crumélio – amigo imaginário da Miquelina – sumiu, o mundo dela desabou. Pior para Cordélia que, para realizar seus sonhos de mini-celebridade, tinha a missão de ajudar a garota a fazer amigos. Ai, ai... como se criar no Gabola um pouco de amor-próprio já não fosse complicado o bastante... O jeito agora era encontrar o desaparecido, numa jornada cheia de perigos e criaturas apavorantes, em que, imaginária mesmo, só a idéia que cada um fazia de si!

ISBN:9788563672568
Livro:A Miquelina e o Crumélio - Mundo Cinzento
Autor (a):Rafael Vidal
Editora:Rai Editora
Revisão:Juliana F. da Costa
Ilustrações:Rafael Vidal
Ano: 2011
Edição:1
Páginas:144
Avaliação: 5 S2




"Os adultos dizem que o mundo é enorme e que na vida
não dá para ter certeza de nada. Eu não concordo. Pois,
aconteça o que acontecer, o mundo vai ser sempre mágico
e cheio de surpresas, porque sempre terei comigo o meu 
melhor amigo. O meu Crumélio. 
Miquelina e Crumélio: dois amigos indeparáveis."
(pág.10) 


 
Rafael Vidal autor de A Miquelina e o Crumélio conquistou não só meu filho de dez anos, como eu mesma e até minha pequena filha de apenas 3 anos de idade, para quem adoro ler histórias. Seu livro apesar de voltado para o público infantil conseguiu entrar para os meus favoritos.

Vamos conhecer alguns dos principais personagens da história:

Miquelina > uma menininha que acredita em um amigo imaginário e vista como uma jovenzinha com problemas por este motivo.
 
Crumélio > amigo imaginário de Miquelina

Gabola > menino muito inteligente e melhor amigo de Miquelina

Cordélia > garota que tem sonhos de se tornar uma celebridade, um tanto quanto convencida e que fica incumbida de auxiliar Miquelina a se "misturar" aos amigos reais.

Miquelina é muito inocente apesar de seus dez anos e engraçada; ela conversa a todo instante com seu amigo Crumélio e as pessoas a sua volta não entendem o que se passa com ela.
Mique frequenta uma psicóloga em um esforço de seus pais para que ela seja normal, mas o que é normal para quem está ao seu redor, não é a realidade de Miquelina. Mesmo assim, sua mãe está muito preocupada com sua condição.


"Tudo perfeito. Até que o telefone tocou na sala 
da diretora Alamanda. Era a mãe da Miquelina, 
querendo ajuda para resolver o problema da filha.

- Blá blá blá amigo imaginário, blá blá blá esquizofrenia,
blá blá blá remédio tarja preta diluído no suco.
Daí, blá blá blá sentimento de perda, blá blá blá socialização e
blá blá blá, pelo amor de Deus.

E era isso. A menina precisava de amigos."
(pág.15) 


"Irritante, pensou ela..
Parecia regra: sempre tinha que ter um cupim
que não conseguia achar seu lugar no formigueiro..
Mas aquilo era tudo muito aborrecido. Tanta coisa 
importante, eventos internacionais e torneios esportivos,
e ela tinha que perder tempo se preocupando com um par
de esquesitos."
(pensamento da diretora Alamanda após ligação
da mãe de Miquelina - pág.15)



A diretora da escola, Alamanda é uma mulher meio que cruél em seus pensamentos.. Na verdade a psicóloga também, parece que os adultos se enchem com os problemas das crianças como se fossem absurdos e tivessem mais o que fazer. Na verdade, é exatamente assim que pensam essas duas personagens!


"Por trás dos óculos da Doutora:
 - Pobrezinha. Maluquinha, maluquinha! Mas o que seria
de mim se não fossem essas criancinhas egoístas
que deixam suas famílias mais esfareladas que paçocas
no fund da bolsa?"
  (pensamento da Dra. Schadenfreude 
após consultar Miquelina - pág.12)


"Puxa, foi só uma risadinha.
-  Desculpe. É que eu e o Crumélio...
- E QUANTAS VEZES PRECISO DIZER:
NÃO EXISTE DROGA NENHUMA DE CRUMÉLIO"
(diálogo entre Miquelina e a Doutora após Miquelina rir por 
ter apostado com Crumélio quem conseguiria encarar
a Doutora por mais tempos sem rir) 



Gabriel (Gabola) é um menino de onze anos e vive escrevendo em seu blog como em um diário, pois acredita que ninguém lê seu blog mesmo, então o usa para relatar seus dias. Assim como Miquelina, Gabola é um menino que não se importa em ter amigos.. Ele vive cercado por suas invenções.


"Péssimas notícias. Péssimas!
Minha mãe falou que eu estou fedido e com bafo.
Lógico. Troquei o sabonete pela calculadora e a 
escova de dente pela chave de fenda. Isso por dois dias." 


Cordélia é uma figura, aliás.. Todos os personagens o são.. Ela tem sonhos ambiciosos e em sua lista de pendências, constam: "ganhar o Oscar, ser Miss Universo, ganhar Prêmio Nobel entre outros".

Cordélia acredita que em breve estará realizando suas pendências e que muitas pessoas irão idolatrá-la e segui-la. Ela não é nada humilde e se acha a pessoa mais importante do mundo. rs

Como ela é encarregada da missão de fazer Miquelina e Gabola se socializarem com as demais crianças, mesmo irritada com tal tarefa.. Cordélia acredita que se for possível o milagre de ajudar esses dois "esquisitos" poderá iniciar um cessar fogo com o pé nas costas e ganhar o Nobel da Paz. kkkkkkkkkkk
 
A aventura desse trio tem inicio com o desaparecimento de Crumélio após a tentativa de Miquelina e Cordélia ajudarem Gabola com uma de suas invenções (Gabola vive criando invenções científicas).
Na busca por encontrar Crumélio esse trio se mete em várias situações inusitadas e divertidas.

Rafael Vidal escreve de forma simples, pois se trata de um livro infantil e o intuito é que as crianças possam compreender facilmente o enredo e que possam até mesmo se identificar em uma ou outra situação; como a de não ser uma criança tão sociável como a maioria ou até mesmo de possuir um amigo imaginário, entre outras questões.

Com uma leitura leve e divertida pude palpar através dos personagens nada comuns o valor da amizade e sentir a emoção e sinceridade dos personagens com os fatos narrados.

O livro é recheado de surpresas engraçadas e muita aventura onde realidade e imaginação se misturam e realmente se confundem nos transportando para um mundo onde as coisas são vistas de acordo com cada olhar atendo que há ao redor e com sentimento pessoal que vai de cada um.

A Miquelina e o Crumélio possui ilustrações muito bem feitas que dão um colorido especial à obra, fora isso toda a diagramação está caprichada tornando a leitura ainda mais atraente aos olhos do leitor. A narrativa sofre mudanças que ficaram muito bem empregadas nessa história. Ora por parte de Miquelina, ora pelas escritas de Gabola em seu blog, ora pela visão da convencida e sonhadora Cordélia..


O livro como um todo é lindo! Fiquei verdadeiramente encantada com a história. 

Um livro para se ler em família e se dar boas risadas ao lado de nossos filhos e com uma abordagem simples e diferente onde torna fácil conversar algumas questões do cotidiano com nossos pequenos.

Não pensem que o livro só pode ser lido por uma "mãe" ou "pai", o livro pode e deve ser lido por qualquer pessoa que se identifique com fantasia, aventuras e uma pequena dose de realidade!

Essa história contará ainda com mais um livro e aqui em casa estamos ansiosos pela continuação!


Redes Sociais:


8 comentários:

  1. Bom dia Karini, tudo bem?
    Nossa, vou começar falando do visual do livro: simplesmente maravilhoso! As ilustrações me deixaram deslumbradas. Adorei a história, acho ótimo quando os autores retratam o mundo infantil, como infantil mesmo: com amigos imaginários e a inocência em questionar tudo e todos do ponto de vista da criança. Adorei a resenha, e tenho certeza de que leria o livro e me apaixonaria por ele, mesmo sendo voltado para o público infantil!
    Parabéns pela resenha e sucesso ao autor!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que lindo esse livro!
    Vou comprar para minha filha.

    ResponderExcluir
  3. Adorei!
    Parece ser bem suave e divertido. Algumas vezes é bom fugir da rotina de livros pesados e pegar algo assim.
    As ilustrações estão muito bonitas e o livro foi muito caprichado!

    ResponderExcluir
  4. Fiquei curiosa. Vou dar de presente para minha afilhada e ler com ela.

    ResponderExcluir
  5. Um ótimo presente para os bisnetos!

    ResponderExcluir