Resenha || Codinome Cassandra - Meg Cabot



No segundo volume da série Desaparecidos, Jess Mastriani parece ter se livrado de seus poderes paranormais. Desde que foi atingida por um raio, ela consegue prever onde crianças desaparecidas estão localizadas. Agora, tudo o que ela quer é passar umas férias tranquilas trabalhando como monitora em um acampamento para crianças musicistas no meio do nada, sem ter que encontrar o paradeiro de ninguém (ao menos não oficialmente) ou agentes do FBI para despistar. Mas, quando se trata de Jess, nada é tão simples.

Editora: Galera Record
Ano: 2012
Edição: 1

Páginas: 286
Avaliação: 4/5

Em “Codinome Cassandra” nossa “Garota do Raio” perdeu sua habilidade psíquica de encontrar crianças desaparecidas, pelo menos é o que ela gostaria que a imprensa e o governo acreditassem. Mas nossa heroína não vai conseguir atingir seu objetivo, especialmente quando ela resolve trabalhar em um acampamento de verão musical para crianças. No entanto as coisas mudam quando o pai de uma criança desaparecida aparece implorando para Jess encontrar a sua filha. E é claro que nossa garota não sabe dizer não a um pai desesperado. Porém, para toda ação há uma reação e Jess tem novamente em sua cola os agentes federais, assim como um padrasto malandro que a deseja morta.

O livro é viciante e hilário. A sua narrativa continua em primeira pessoa, o que torna mais fácil a compreensão das características de cada personagem e dos locais onde é ambientada a história. Em certo momento tive a impressão de estar presente no Lago Wawasee. O enredo irreverente, dinâmico e cheio de ação, perfeito para o leitor se deleitar em uma leitura relaxante. Meg continua acertando em seus personagens secundários, um exemplo disso é Shane, o típico garotinho mimado que implica com tudo e com todos mas, que em determinado ponto da estória acaba cativando o leitor.

Você deve pensar: a Meg continua escrevendo comédia, romance e mocinhas revoltadas com tudo e com todos, a combinação exata para ser um livro previsível e chato. Pois é, mas aí que o leitor é surpreendido. A forma como a trama se desenrola e as reviravoltas que o enredo tem deixa qualquer previsibilidade fora desse contexto.

“Codinome Cassandra” é uma leitura que eu recomendo. Meg mais uma vez nos surpreende e nos deixa com um gosto de quero mais e preciso de mais; uma leitura para relaxar, dar muitas gargalhadas e mudar seus conceitos em algumas situações. 

Boa leitura e até a próxima!

Leia também:

2 comentários:

  1. Bom dia Patrícia, tudo bem?
    Essa série eu estou conseguindo acompanhar (finalmente uma!!!) e devo dizer que adoro a Jess... só fiquei triste porque não rolou nada romântico no livro rs... E olha que não é por falta de vontade dela rs..
    Comparando com o primeiro livro, achei o Codinome Cassandra mais parado.... eu prefiro o primeiro, mas já estou torcendo pelo próximo!!!
    Parabéns pela resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Hummm! Muito interessante Patricia, a resenha ficou ótima!

    ResponderExcluir