Resenha: Caçadores de Sombras – Daniel Blythe

ISBN: 9788528615951
Autor: Daniel Blythe
Título: Caçadores de Sombras
Editora: Bertrand Brasil
Edição: 1
Ano: 2012
Páginas: 252
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Cultura
Avaliação: 3/5



Sinopse: Há três semanas, Miranda May se mudou de Londres para Firecroft Bay com a família e, desde então, não consegue dormir direito. Suas noites são sempre invadidas pelo mesmo sonho, onde uma imagem desconhecida toma forma na escuridão. Sem compreender seu significado, Miranda decide chamá-la exatamente assim: a Forma. Nessa cidadezinha litorânea sem qualquer agitação – apenas um traço no mapa, a definição completa do tédio – é nos sonhos que algo verdadeiramente emocionante acontece. O quarteto sabe que precisa de Miranda. E ela, por sua vez, tem a estranha sensação de que Cal e seus amigos têm as respostas para as muitas dúvidas que estão tirando seu sono. Liderados pela srta. Bellini, os quatro formam uma espécie de equipe de investigação de eventos paranormais, que vão muito além de fantasmas e fenômenos da natureza aparentemente inexplicáveis. Assim como Miranda, todos eles conhecem, mas pouco sabem sobre a Forma e, juntos, tentam decifrá-la. Mas à medida que essas sombras desconexas, antes restritas aos sonhos, evoluem e começam a invadir a vida de Miranda a ponto de não ser mais possível saber quando ela está dormindo ou acordada, fica cada vez mais urgente lutar contra essa força do mal. Envolvida em um novo mundo de suspense, conspirações e tendo que lidar com a descoberta de seus próprios poderes paranormais, o primeiro passo de Miranda será encontrar a Forma em meio à escuridão.



Miranda Keira May  é uma menina de quase treze anos, que após a perda do pai se muda com a mãe e o irmão para uma pequena cidade litorânea da Inglaterra chamada Firecroft Bay.

Nessa nova vida, em uma nova casa e uma nova cidade, começa a ver coisas estranhas. Ela é uma sensitiva que vê sombras estranhas, que chama de A Forma, sente pressentimento o tempo inteiro ameaçando-a. Sempre teve esses sentimentos, mas nessa cidade a coisa fica mais real e assustadora.

Logo no primeiro dia de aula, Miranda tem mais um pressentimento no ônibus escolar e uma coisa esquisita acontece, congelando o ônibus praticamente inteiro. É nesse momento que ela conhece um grupo de alunos que lhe causam suspeita - Josh, Call, Ollie e Lyssa - deixando-a intrigada e curiosa. Miranda continua sendo assolada por pressentimentos e visões de sombras, que mesmo em sonhos a deixam incomodada, como se fosse um aviso de que algo grande estava para acontecer.

Na sua nova vida escolar conhece Jade, uma menina com temperamento um pouco rebelde e arredia, mas que aparentemente tem o mesmo grupo musical. As duas se tornam boas amigas, tornando a adaptação de Miranda no grupo escolar um pouco mais fácil. Contudo ela continua com as impressões, e percebe os olhares daquele grupo que conheceu no ônibus. É avisada por Jade para ficar longe, mas sua curiosidade começa a aguçar, fazendo-a prestar um pouco mais de atenção do que é necessário. E por causa da curiosidade, e da intuição, Miranda acaba caindo em uma armadilha e seguindo um dos jovens, Ollie, após roubar o celular e vasculhar suas mensagens. 

Em um hotel abandonado, caindo aos pedaços e com uma aparência fantasmagórica, que Miranda encontra o grupo e para a sua surpresa sua professora, Sra Bellini. Lá ela descobre que eles são uma espécie da “caça fantasmas”, buscando fenômenos sobrenaturais, e malignos, com a ajuda da tecnologia avançada e os talentos dos membros (intuição, sensibilidade, coragem, inteligência e conhecimento hacker). Ela é convidada a participar do grupo, após um interrogatório e testes que fazem para medir o seu nível de sensibilidade. 

Em um primeiro momento, assustada e um pouco contrariada por ser manipulada, Miranda reage e foge do local. Porém mais uma vez é salva por sua intuição e convencida pelo charmoso Josh de que é especial,  devendo fazer parte daquele pequeno grupo de elite. Então aceita o convite à passa a ser parte dos caçadores de seres sobrenaturais, para buscar os seres que estão causando fenômenos sobrenaturais naquela cidade.

Bem, não posso contar mais sobre o livro, porque acabarei soltando mais do que deveria sobre ele. Apenas deixarei as minhas impressões sobre a estória a partir daqui.

Esse é mais um livro infanto-juvenil, que tem seguido a mesma linha de suspense, laçado pela Bertrand. É um pouco diferente dos últimos que li, porque não tem aquele mistério de bebês trocados. Contudo a linha é parecida, no meu conceito, trazendo uma história que aborda o sobrenatural; com toque especial de suspense, quase chegando ao terror, mas que não convence.

A escrita do autor é muito boa, mesmo assim o livro não conseguiu passar absoluto realismo. Em certos momentos eu achei as cenas um pouco forçadas, já em outros achei que foram fracas demais. Alguns fatos não convenceram e senti como se houvessem fios soltos na trama.

Eu não sei exatamente como explicar, mas faltou um pouco do medo causado pelo realismo, como nos filmes de Alfred Hitchcock. Talvez o fato da protagonista e das personagens serem crianças tentando salvar o mundo do sobrenatural. O mais velho, Josh, tem apenas quinze anos; e a mais nova, Lyssa, é muito bebezinha. Também por serem conduzidos por uma professora, que não foi muito convincente e que me fez pensar sobre tanta tecnologia, investimento e conhecimento sobre o sobrenatural. O que posso dizer é que faltou algo para realmente conseguir me encantar com o livro.

O fato bem positivo sobre ele é que o final é surpreendente. O autor conseguiu me enganar por uma ou duas vezes, e me surpreendeu com a revelação sobre o ser chamado Animus. Realmente gostei dele não ter sido tão obvio, como achei que seria durante a leitura.Também tenho que destacar é que a leitura é bem rápida, fácil e não é chata. Para aqueles que devoram livros, no máximo dois dias conseguirão terminá-lo. Mesmo assim me faltou fascínio pela obra. 

Eu realmente recomendo a leitura, porque acho que cada um deve ter sua própria conclusão. De repente o que me faltou de medo e encanto, pode não acontecer com outros leitores. Então realmente acho que o livro deva ser apreciado.

bjs no core
Glau

13 comentários:

  1. Oi Gláucia, tudo bem? Ao ler a sua resenha, a primeira coisa que eu estranhei foi ver uma protagonista tão jovem com um tema tão denso... Mesmo assim, achei a história bem interessante (acho muito legal quando mexem com o paranormal rs). Gláucia, parabéns pela resenha, é sempre bom ver o lado positivo dos livros, é claro, mas também ler sobre os pontos não tão positivos nos preparam para evitar uma grande decepção durante a leitura!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Mesmo sabendo dos pontos negativos essa capa me chama. Desejo o livro desde que li sobre os lançamentos da Bertrand.
    A resenha está sincera e admiro muito isso nos blogueiros que são verdadeiros!

    ResponderExcluir
  3. Ju eu procuro ser sincera sempre. Acho que temos essa responsabildiade. Quando gosto do livro, da para perceber na resenha a paixão que passo. O livro é bom, mas ele não passa o medo que deveria. Não sei realmente o que faltou, mas algo na narrativa não o deixão tão atraente.

    bjs no core

    ResponderExcluir
  4. Talvez as protagonistas jovens tenham sido um ponto negativo. Porque você que todas são bem inteligentes, mas algumas coisas não condizem. Também acho que a narrativa não passou o medo que deveria. O que realmente me surpreendeu foi o final. Achei que seria obvio e não foi.

    bjs no core

    ResponderExcluir
  5. Esse livro me interessou, a capa está muito convidativa e fiquei curiosa pela idade dos protagonistas!

    ResponderExcluir
  6. Esse também parece um livro para todas as idades e me interessei por ele.
    Vou pedir a minha mãe para comprar!

    ResponderExcluir
  7. Tô super afim!
    Adorei a sinopse.
    o livro parece interessante em se tratando de protagonistas tão jovens!

    ResponderExcluir
  8. Estou desejando esse livro faz tempo. Desde que li a sinopse em inglês.
    Não sabia que seria publicado pela Bertrand.

    ResponderExcluir
  9. Gostei do tema, e parece ser interessante!
    Fico imaginando decisões tomadas por crianças. Afinal são criança não é mesmo?
    É interessante, porque mesmo que na ficção retrata coisas que acontecem na realidade onde crianças tem responsabilidades que não deveriam ter, onde deveriam apenas ser crianças e brincar e etc.
    Acho que estou filosofando, estou em um dia estranho!

    ResponderExcluir
  10. Adoro sobrenatural!
    Que capa é essa?
    Apesar dos pontos negativos gostei!

    ResponderExcluir
  11. Que capa linda, nem parece que os protagonistas são crianças com uma capa dessa! Parece algo mais macabro!
    Lembra um pouco de leve aquela história Gone!

    ResponderExcluir
  12. Como todos, vou concordar. A capa é linda!
    Adorei o tema!

    ResponderExcluir
  13. Acho que o intuito não era por medo com a história quando a autora escreveu. Talvez fosse apenas criar uma história com um ar de suspense, mistério.
    Livros com finais surpreendentes me atraem muito.

    ResponderExcluir