Resenha: O substituto – Brenna Yovanoff


Livro: O substituto
Autor(a): Brenna Yovanoff
Editora: Bertrand Brasil 
Ano: 2012
Edição: 1
Páginas: 333
Avaliação: 3/5  



Mackie não é um de nós. Ele vive na pequena cidade de Gentry, mas vem de um mundo de túneis e águas escuras e lamacentas, um mundo de garotas-cadáver governado por uma pequena princesa tatuada. Ele é um Substituto — deixado no berço de um bebê humano há dezesseis anos. Agora, devido a uma alergia fatal a ferro, sangue e solo consagrado, Mackie está morrendo aos poucos no mundo dos homens.

Mackie daria qualquer coisa para viver entre nós. Tudo o que ele deseja é tocar baixo e descobrir mais sobre uma garota estranhamente fascinante chamada Tate. Mas quando a irmãzinha de Tate desaparece, Mackie é irreversivelmente arrastado para o submundo de Gentry, conhecido como Caos.


A cidade de Gentry possui pessoas estranhas e com comportamento hipócrita. Na verdade existe um segredo, que se tornou um tabu, e as pessoas preferem fingir que nada acontece.


De sete em sete anos, crianças, praticamente bebês, morrem. Não é o estranho o fato de morrerem, sim de não serem seus verdadeiros filhos e não fazerem nada. Simplesmente aceitam esse fato e evitam tocar no assunto.  Por um bom tempo foi uma cidade próspera, que teve seu auge, mas o momento atual é de decadência.


Esse era o código da cidade –

não se falava sobre isso, não se faziam perguntas.

Tate, porém tinha me perguntado mesmo assim.

Ela tivera a coragem de dizer o que todos pensavam.

Pag. 54


O protagonista da nossa estória chama-se Mackie Doyle, que vivi na cidade de Gentry. E um adolescente introspectivo, taciturno, tem alergia a ferro, metal e se sente mal com o cheiro de sangue. Ele vive tentando não chamar a atenção das pessoas, fingindo-se de normal. Porém se sente cada dia mais fraco e doente. Na verdade  ele tem um segredo. Um segredo que pode mudar a percepção das pessoas sobre si e precisa esconder a todo custo... Mackie é um “substituto”.


Por causa do mal estar, Mackie acaba sendo arrastado para o seu “verdadeiro” mundo e descobrindo algumas coisas sobre “eles”. Porém a verdade sobre sua origem e seu estado físico é mais complicada do que poderia imaginar. Para completar esse quadro, ele descobre que uma menina que morreu, irmã de Tate, também foi trocada e será sacrificada em poucos dias. Ele, que está cada vez mais próximo dela, sentindo o que poderia chamar de paixão; tem dificuldade para mentir sobre a sua irmã. O mundo de Mackie vira, literalmente, de cabeça para baixo.

Seu pai, um pastor conservador, tem um comportamento que poderia chamar de neurótico. Ele passa todo o tempo tentando controlar as situações e obrigar Mackie a se fingir de normal, para que as pessoas não descubram o que ele é, e isso não arruíne a reputação da família. É uma pessoa tão esquisita, que às vezes chega a ser terrorista com o “próprio filho”.


- Vocês dois, por favor. Essa família

 tem uma posição de destaque

nessa comunidade, e precisamos tomar

cuidado com a imagem que projetamos.


Emma bateu a porta da geladeira com força.


- Que imagem? Não estávamos

fazendo nada para constranger você.

Ela passou aqui para que pudéssemos

fazer a experiência com as sementes.


- Bom, aqui não é o local ideal

para uma reunião de estudos.

Vocês  não podiam ter

se encontrado na biblioteca?

Pag. 34


Sua mãe se mostra um tanto quanto alheia as coisas na maior parte do livro. Mas em determinado momento, percebe-se que ela tem muitos segredos e sabe mais do que deixa a entender. É o tipo de personagem que o leitor não aposta muito. Contudo, se quer meu conselho, preste bem atenção para entender todo esse drama.



- Eles sempre voltam.

É apenas uma questão de tempo.

Eles nos observam e esperam e,

então, quando baixamos a aguarda,

vêm e tomam tudo.


- Pare de chamá-la de “eles”.

Ela é uma pessoa.


Minha mãe continuou com

o mesmo tom fatídico.


- Eu sabia que eles levariam meu

filho se lhe desse chance.

Pag 180 e 181


A irmã de Mackie, Emma, sente um amor incondicional por ele e faz tudo em pró do seu bem estar. A primeira vista temos a impressão que ela tenta se desfazer do irmão, mas com o decorrer da leitura percebemos que ela é a principal responsável por ele estar vivo. É do tipo de personagem que cativa o leitor com o desenvolvimento da estória.

Queria abraçá-la e dizer

que tudo era muito melhor

do que ela acreditava ser.

As coisas eram apenas

tão estranha que ela

não conseguia ver.


- Emma... – Minha garganta

se apertou, e tive de

começar de novo. – Emma,

não foi a mamãe que

me fez assim.

Quem me manteve vivo

esse tempo todo... Foi você.

Pag. 127.



Tenho que falar sobre os amigos de Mackie, que apesar de não serem os protagonistas da trama e desenvolverem papeis secundários, foram fundamentais para todo o desenrolar dela: Roswell, Tate, Danny e Drew.

Roswell  é o melhor amigo, que sabe que as coisas não estão bem, mas respeita os seus limites. Não é do tipo de pessoa fofoqueira e curiosa, que acaba se metendo na vida das outras. Sempre dá um jeito de ajudar Mackie, mas não força para saber o que realmente está acontecendo.   Sabe respeitar os limites, é paciente, tolerante e leal. Gostei muito dele e de como ele se portou nas situações mais complicadas. Como dizem por ai, “é pau para toda obra”.

- Acho que as pessoas são complicadas
e que todo mundo tem sua cota de segredos.

Concordei com um meneio de cabeça
E imaginei por que ele não estava
tentando forçar a conversa.
Por que não fazia perguntas.
Eu queria que ele me fizesse dizer
as coisas que eu não conseguia colocar
em palavras a menos
que não pudesse evitar.
Se Roswell me fizesse as
perguntas certas,
Eu teria que contar.
No entanto, ele ficou calado.
Pag 135

Sabem aqueles gêmeos Weasley de Harry Potter? Assim são os gêmeos  Danny e Drew. Inventores, engraçados, divertidos, adoradores de músicas, perspicazes e criadores de confusões. Apesar de não terem muito evidência no livro, vocês verão que quando as coisas ficarem feia para Mackie, eles se mostrarão grandes amigos.

Os gêmeos não ficaram muito animados
por serem arrastados para a chuva
no meio da noite, e menos animados com a idéia
de se desfazerem do Pânico Vermelho,
mas apareceram no cemitério
em menos de quinze minutos.

Pag 285


Agora chegou a vez de falar da minha personagem favorita. Tate é do tipo de pessoa franca, cara de pau, sem papas na língua, que não leva desaforo para casa, dificilmente demonstra fraqueza e quando é chamada para a briga, bate de frente. Tate é toda “porra louca” e adorei as passagens dela. Ela adora uma briga!!! Seu lema é: “Posso apanhar, mas vou da muita porrada”. Ela vive um momento delicado demais. Sua irmã morreu e todos estranham por não estar morrendo de sofrimento. Só que Tate sabe que a “coisa”  que morreu não era sua irmã e não é hipócrita para sofrer por “aquilo”. Bem lá no fundo ela sabe que existe um segredo e que os hipócritas da cidade preferem não comentar. Então sai em busca de respostas e atormenta a vida de Mackie. Porém as coisas acabam ficando diferente entre os dois e surge um sentimento... Ternurinha. (adoro isso!).

Tate me encarou com os olhos esbugalhados,
sofridos e, pela primeira vez, cheios de lágrimas.
- Quer saber o que mai? Vá se fuder!
Pag 54

O nariz de Tate começou a sangrar,
sujando a frente da camiseta dela.
Por um segundo, ela não demonstrou
nenhuma reação. E, então, sorriu,
algo que, quando alguém está coberto de sangue,
é a coisa mais aterrorizante que pode fazer.
 O sangue escorria pelo queixo dela,
empapando a gola da camiseta.
Tirei as mãos do bolso e comecei a
atravessar o estacionamento. Em seguida,
quando, Tate derrubou Alice no chão, comecei a correr.
As pessoas se aproximavam,
formando um círculo. Alice estava no chão,
e Tate não parava de bater. O sangue
que pingava do queixo e escorria pelo pescoço
dela brilhava na frente da camisa.
Pag 219

Ela brandiu o pé de cabra de novo e,
dessa vez, acertou os dele.
Ele cambaleou, escorreu na lama
E na fuligem e caiu.
O sangue escorria de sua boca e queixo,
Pingando no chão, enquanto o pé de cabra
Fumegava na mão de Tate.
O Carrasco já estava perdendo o fôlego.
Ele se ajoelhou entre as lápides,
tremendo e tossindo.

Tate parou ao lado dele,
segurando o pé de cabra com as duas mãos.
ainda sorriam, parecendo selvagem e elétrica.
Ao nosso redor, a multidão estava em silêncio.
Pag 308.

Tive muitas percepções desse livro. Às vezes me sentia em um filme de terror, com criaturas estranhas e coisas bizarras acontecendo, e pessoas esquisitas. A autora conseguiu descrever muito bem as cenas e eu me imaginei totalmente na ação. Mas sabe quando você assiste a um filme de terror, e ao invés de medo tem vontade de rir? Pois é... Isso mesmo! Algumas partes foram tão bizarras que eu me senti assistindo um filme de “Terrir”. Não estou dizendo que foi ruim. Só que o livro que é capaz de fazer rir, ao invés de causar medo... tem algo faltando para completar a ação.

Achei  as criaturas bem bizarras. Algumas delas hilárias, para dizer a verdade. Quando tento imaginar o rostinho de cada uma, penso no filme “A noiva cadáver” e a coisa só piora. Queria falar delas na resenha, mas ai acabaria com todo o mistério do livro. Só lendo para ter uma noção.

O livro terminou e fiquei sem entender algumas coisas. A Kari, aqui do Mix, não me deixa mentir, já deu boas risadas comigo contando sobre ele. Terei que reler algumas partes, para ter certeza, porque muitas coisas não se encaixaram e terminei meio que “viajando na maionese”.

Também preciso dizer que o livro que recebi, de teste, veio cheio de erros de digitação. Muitos! Não sei como será a versão que sairá nas livrarias. Mas espero que tenha pelo menos mais três revisões.

Para quem gosta de um livro de mistério e cheia de coisas estranhas, essa é a leitura recomendada. Para ele dou três estrelinhas.

Espero que gostem!

Bjs no core



17 comentários:

  1. oi,
    ótima resenha.
    QUero muito ler esse livro, só é uma pena que todas as resenhas q tenho lido as pessoas cometam que não é tão bom assim. Mesmo assim vou tentar e dar uma chance ao livro. talvez eu goste.

    estou te seguindo, segue o meu tambem
    http://lostgirlygirl.blogspot.com.br/

    @lostgirlygirl

    bjos

    ResponderExcluir
  2. O livro não é ruim. Só que invés de medo, ele da vontade de rir. Só isso que achei estranho. Mas a leitura até que é interessante.

    bjs no core

    ResponderExcluir
  3. Confesso que estou muito curiosa com esse livro. As discussões que tivemos enquanto vc lia esse livro me deixaram intrigada.
    Quando meu tempo permitir quero ler.

    ResponderExcluir
  4. Hum... Gosteei nao! =/
    Axeei mto enrrolado, meio fundamentos os mistérios..
    Sei lá, a mim, pareceu dakeles filmes de terror q não tem sentido sakas?
    A função é apenas aterrorizar.. Maas tem qm goste..

    Vlw a informação.^^

    Bjinhos,.

    ResponderExcluir
  5. Pela capa parecia algo beeem macabro (haha, adoro!) e não sei se é isso que encontrarei no livro.
    Pergunta: Tem explicação p capa?

    ResponderExcluir
  6. Olha, ele é enrolado sim. Eu fiquei confusa até o final do livro, para dizer a verdade. Se você me pedir para definir as criaturas, a coisa complica ainda mais. O bom é que me diverti com as coisas bizarras dele. kkk

    bjs no core

    ResponderExcluir
  7. Kari, amore, o livro é tudo o que te falei. Quero muito que leia para depois discutirmos. Ai, quem sabe, possa elucidar algumas coisas que ainda continuaram nubladas para mim.

    bjs no core

    ResponderExcluir
  8. Tem explicação sim! Parece que as coisas tem alergia ao ferro, então a mãe do Mackie colocava umas coisas estranhas perto do berço para afastar os monstrinhos. kkkk Bem bizarro a coisa. Mas a coisa acaba ficando até engraçada. kkkk

    bjs no core

    ResponderExcluir
  9. Esse livro não faz muito o meu estilo não e pela sua resenha acredito que não iria gostar.
    Por enquanto não pretendo ler.

    bjs
    Tais
    http://www.leitorafashion.com.br

    ResponderExcluir
  10. Amora, assim que der vou ler sim. Aí vamos debater as bizarrices!

    ResponderExcluir
  11. Gostei da capa desse livro e também gostei da sinopse.
    Gosto do filme A Noiva cadáver.
    Já que o livro está com tanto erro tomara sim que eles revisem antes do lançamento.
    Bjins. ^^

    ResponderExcluir
  12. Olha é para quem gosta. Eu gostei do livro, apesar de algumas coisas bem bizarras ele me divertiu.

    bjs no core

    ResponderExcluir
  13. Como disse recebi a versão de prova, mas quando vc recebe a versão quase finalizada cheia de erros é bem chato. Espero que eles façam mais correções antes de enviares as lojas. Eu sempre gosto de colocar isso, para depois não dizerem que passamos por cima dos erros.
    bjs no core

    ResponderExcluir
  14. Oi Glaucia, minha personagem preferida tbm é a Tate, adorei ela, mto determinada e maluquinha. Não consegui gostar do Mackie, ele ñ me entrou...rsrsrs

    A sensação que eu tive foi a q não consegui aceitar mto bem os substitutos...sei lá, mto tosco... ahhh se virasse filme ctz q tinha q ser feito pelo tim burton...rsrs

    bjs
    Dana
    www.feedyourhead.com.br

    ResponderExcluir
  15. Espera. Já posso rir? kkkkkkkkkkk
    Eu não consigo pensar quão esquisito devem ser esses substitutos. Seres bizarros. E como a colega abaixo disse se virasse filme, Tim Burton na cabeça. kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  16. Acho que esse livro deve ser bem estranho heim!
    Sei não!

    ResponderExcluir
  17. Gostei da proposta deve ser bem diferente esse livro, por este motivo fiquei interessada.

    ResponderExcluir