Tagarelar do Mix - Entrevista: Hermes M. Lourenço



Olá queridos leitores! Hoje temos para vocês uma coluna que aproximará, vocês leitores, dos nossos autores nacionais, a fim de levar até vocês obras tão interessantes quanto os estrangeiros que lemos diariamente. Assim, damos a oportunidade aos novos autores nacionais, como também reforçaremos o trabalho daqueles que estão trilhando esse caminho há algum tempo.

Todos sabemos que é muito difícil ver sua obra publicada aqui no Brasil, devido aos custos e a falta de investimento nessa área. Mas reconheço que isso tem mudado; muitas Editoras estão dando essa oportunidade aos novos autores de literatura diversificadas, seja romance, fantasia, sobrenatural e etc. Uma dessas Editoras é a Dracaena; que vem investindo pesado nos novos autores nacionais, tornando o sonho deles realidade e nos presenteando com ótimas obras!

O nosso convidado de hoje é o Hermes M Lourenço autor do livro Faces de um Anjo; conheçam o Hermes e seu bebê! rsrs







Hermes M. Lourenço



Conheçam o livro Faces de um Anjo:




Leticia Lorn, uma renomada física é chamada por um genial professor do Instituto de Tecnologia para encontrar respostas em uma pesquisa secreta: A possibilidade de viajar no tempo, através de uma esfera de origem obscura, encontrada em Luxor - Vale dos Reis. Enquanto envolve-se com a pesquisa, misteriosamente surge Samael, um psicopata que inicia uma verdadeira caça as bruxas, cometendo assassinatos brutais com traços da Santa Inquisição de forma a incriminar a brilhante pesquisadora e roubar a esfera, podendo assim interferir no espaço-tempo e até mesmo na história da humanidade. De forma equilibrada o autor nos leva a um mundo mesclado de magia e suspense, desafiando o leitor ao exercício das deduções, fazendo-o mergulhar em uma nova realidade. Uma leitura capaz de envolvê-lo do início ao fim, que o conduzirá a um final surpreendente e instigante. A chave é acreditar.


Entrevista com Hermes M Lourenço:

 
1)  Gostaria de saber como surgiu a idéia de Faces de um anjo?

Sempre quis escrever um livro que retratasse a possibilidade da viagem no tempo. Já havia feito o esboço do livro e para colocar um pouco de ação no plot da estória, achei interessante criar o Samael – que por sinal foi o personagem que mais deu trabalho para construir o perfil psicológico.
Então tinha em mãos uma trama ótima e a criação deste antagonista foi o que me permitiu enriquecer a estória de forma imensurável.

2)  Por que o nome Faces de um anjo? Pelo que li na sinopse a estória não retrata bem um anjo, apesar de haver algo de sobrenatural?

Bem o nome Faces de um Anjo foi dado após ter concluído o livro. Fiquei algumas horas com meu cunhado Robson trabalhando sobre um brainstorm. Foi então que surgiu o nome Faces de um Anjo que se encaixou perfeitamente com a estória.
Neste livro não exploro o sobrenatural, pelo contrario, exploro sutilmente a mistura de ação, suspense, ficção e misticismo. O titulo está diretamente relacionado com Samael – quem ler compreenderá. rs



3) Qual o motivo da escolha de uma personagem feminina? Acha que Letícia Lorn conseguiu cumprir bem o papel e o desenvolvimento esperado?

Letícia Lorn é a protagonista da estória. Ela reúne todas as qualidades com  Inteligência, beleza, sutileza, porém propositalmente ainda inocente para a realidade, apesar de ela ser doutora em física quântica e carregar o segredo de pertencer a um antigo coven de bruxas.
Durante meus esboços, foi um desafio criar uma protagonista do sexo feminino e transmitir essas emoções ao leitor. Porém a grande surpresa vem no final, que de fato é capaz de mudar a vida de qualquer pessoa.

4) Por que decidiu criar o cenário em São Carlos, cidade do interior de São Paulo? Muitos autores escolheriam um país estrangeiro. Acho que foi original a escolha do local. Algum motivo particular?

São Carlos é uma cidade que carrego um carinho muito especial, pois morei por 5 anos nesta cidade cursando o segundo grau.
Já explorei em outros livros cenários de outros países, mas penso que o Brasil tem ótimos cenários – até paradisíacos.
Achei a capa feita pelo César fantástica, pois ela traz a imagem de fundo a cidade de São Carlos e esta cidade encaixou-se perfeitamente para o desenvolvimento da trama, pois as cidades vizinhas contribuíram para dar veracidade à estória. 

5)  Essa coisa de bruxaria e viagem no tempo foi complicada para você desenvolver na trama? Isso já era uma idéia natural quando fez o rascunho da estória ou a coisa toda aconteceu com o desenvolvimento dela? Veja bem, eu não li a obra, mas me parece bem interessante uma viagem no tempo e algo místico. Confesso que você me deixou curiosa e após ler as resenhas fiquei com uma vontade louca de ler o livro. Fale-nos um pouco do desenvolvimento desse projeto.

Não sei o que acontece comigo. Quando eu sento diante do laptop, as ideias começam a fervilhar em minha mente. Sempre acabo modificando drasticamente o esboço e no final até eu me surpreendo com o que fui capaz de criar. É incrível e de verdade... Amo isso! rs


6)    Como é para você ser comparado a Dan Brown? Esse autor é cheio de facetas e os livros dele são complexos e inteligentes. Eu realmente gosto muito como Brown desenvolve as suas tramas e sempre me surpreendo. Ao ler essa comparação, minha curiosidade só aumentou. Como você se sente em relação a isso?

Considero uma honra ser comparado a Dan Brown, mas esse não é meu intento. Admiro as obras do Mr. Brown e considero-o um gênio da escrita, mas cada escritor tem um estilo peculiar que o caracteriza.
Meus livros carregam a ação, suspense, misticismo aliadas a ficção que definem o escritor Hermes Lourenço. Talvez o que exista de semelhante em meus livros com as obras do Dan Brown seja a ação e a capacidade de entreter o leitor do início ao fim, bem como de fazê-lo vivenciar uma montanha russa de emoções durante a leitura.



7) Mudando o foco das perguntas, gostaria de saber como foi publicar esse livro? Sabemos como é difícil ser autor no Brasil. As editoras investem muito nos autores estrangeiros e deixam os nossos talentos de lado. Para conseguir uma publicação é preciso muita ralação. Como foi para você? Conseguiu de primeira ou teve muitas portas fechadas? Teve algum patrocínio? Como tudo ocorreu?

Publicar um livro não é fácil, pois editoras são empresas e como empresas visam o lucro. Poucas decidem apostar no autor nacional e preferem publicar autores estrangeiros obtendo um número maior de vendas. Já publiquei em várias editoras, mas a editora Dracaena; em especial o editor/Publisher Léo Kades, foi quem acreditou no meu trabalho. Ele é uma pessoa fantástica e durante todo o processo para transformar Faces de um Anjo em um livro ele esteve presente e mesmo após o livro publicado mantemos contato. Desse trabalho nasceu uma grande amizade.
Eu e o Léo pensamos de forma semelhante, pois queremos oferecer ao leitor um livro de suprema qualidade e conteúdo.



8) Esse é o seu primeiro trabalho? Ou já publicou outras obras? Caso tenha publicado, fale-nos um pouco delas.

Faces de um Anjo é meu quinto livro. Já tenho outros livros publicados, porém se esgotaram. Tenho em mente reeditá-los futuramente.
Sou autor dos livros:

·         Medicina e Parapsicologia – Uma União Fundamental
·         Porto Calvário
·         Contos para refletir
·         O Enigma do Fogo Sagrado
·         Faces de um Anjo.


9)  Está trabalhando em novo projeto? Tem algo em mente para lançamento futuro?

Estou concluindo um novo livro – faltam apenas nove capítulos.
Acredito que até o final de abril, inicio de maio estarei enviando-o para a Dracaena.
Posso lhes garantir que tem muita novidade a caminho.


10)  Fale-nos um pouco sobre você. Nós do Mix gostaríamos de saber um pouco da sua biografia, seus autores preferidos e o tipo de leitura preferida, suas paixões e interesses.

Sou uma pessoa simples, trabalho muito e me desdobro em mil para conseguir escrever.
Nasci na cidade de Itapeva, vivi grande parte de minha infância na cidade de Brotas SP. Sou formado em medicina, e atualmente moro em Belo Horizonte – MG.
Sou apaixonado por livros. Meus autores favoritos vão desde Machado de Assis à Dan Brown; Ruben Alves à Sir Arthur Conan Doyle, Jô Soares à Mary Shelley. Também carrego um carinho muito especial pelos autores do Selo Brasileiro.
Minhas paixões: minha família, medicina, livros de ficção, magia e ilusionismo, xadrez, um bom vinho e é claro: Ser escritor!
Acredito que meu maior interesse é estar cada vez mais próximo de meus leitores e proporcionar a eles livros cada vez melhores.
Aproveito também para agradecer pela entrevista.
Um forte abraço a todos!


Termino essa entrevista com um video que o Hermes nos enviou:





Acompanhe o autor nas redes sociais:


Blog

Book Trailer:


Espero que tenham gostado da entrevista que a Glaucia Santos e Eu, Karini Couto realizamos e em breve traremos novas entrevistas para vocês!

16 comentários:

  1. Que bacana conhecer mais um autor brasileiro. Gostei mto da entrevista e fiquei com muita vontade de ler o livro.
    Parabéns ao autor por ter conseguido publicar mais um livro e que ele tenha cada vez mais sucesso!
    E parabéns pela entrevista!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Achei muito boa a entrevista. É bom conhecer novos escritores, ainda mais brasileiros. O livro parece ser interessantíssimo e com certeza vai entrar para minha lista de livros que lerei.

    ResponderExcluir
  3. Muito legal esse post. é bom conhecer os autores! Achei super legal essa entrevista e como foi todo o processo de criação do livro!!

    Bjoos

    ResponderExcluir
  4. Acho super válida a ideia de divulgar os autores nacionais, até porque toda divulgação é essencial. Não conhecia Hermes M. Lourenço nem sua obra, mas Faces de um anjo tem todos os ingredientes de que gosto numa história. É uma excelente indicação de leitura.

    ResponderExcluir
  5. Ótima entrevista.Como o autor mesmo disse no Brasil é extremamente difícil ser publicado. Para isso se o escritor quiser tem de ter uma conta bancaria recheada. A maioria - infelizmente - das editoras cobram e cobram caro.Que legal conhecer uma pouco mais sobre o autor e suas obras. Já ouvi falar muito deste seu ultimo trabalho. Sou apaixonada por nossa literatura e claro que vou adquirir o livro. Parabéns ao autor e a você. Já disse que seu blog é lindo?Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Marcia, a nossa ideia é ter uma entrevista toda semana, para divulgar os autores. Fazemos a nossa parte, contribuindo nas divulgações e ao mesmo tempo conhecemos os autores.
    Bem bacana a ideia da Kari.

    Obrigada por comentar

    bjs no core

    ResponderExcluir
  7. Olha, pelo que li sobre o livro ele é ótimo. Estou louca para receber logo o livro da editora. Quero muito ler e ver se é bom como Dawn Brown.

    Obrigada por comentar.

    bjs no core

    ResponderExcluir
  8. Kari tem ótimas ideias e temos trabalhado bastante nisso. Estamos fazendo o possível para divulgar editoras menos conhecidas e autores. Acho que estamos ajudando e aprendendo também, porque esse pais tem uma infinidade de talentos.

    Obrigada por comentar.

    bjs no core

    ResponderExcluir
  9. Lu, o livro realmente é interessante. Pelo pouco que li, já to morrendo de curiosidade e torcendo para e editora nos enviar rapidinho.

    Obrigada por comentar.

    bjs no core

    ResponderExcluir
  10. Rose, tem muita gente boa nesse pais, mas que não têm espaço. Geralmente só aparecem os autores estrangeiros e os nacionais já conhecidos. Por isso estamos abrindo esse espaço.

    Obrigada por comentar

    bjs no core

    ResponderExcluir
  11. Parabéns Karini, por esse trabalho maravilhoso! Se nós fizermos um trabalho de divulgação, esses escritores brasileiros serão reconhecido e o povo brasileiro é quem ganha com uma boa leitura.Tenho visto muitos leitores compararem os livros do Hermes com a linha de escrita de Dan Brown, mas de que adianta poucos saberem disso se os seus livros são desconhecidos? Cabe a nós fazer com que Hermes seja conhecido não só no Brasil,mas no mundo inteiro.
    Inêz de Oliveira

    ResponderExcluir
  12. Concordo Inêz. O povo brasileiro peca muito quando valoriza demais os autores estrangeiros, chegando a esquecer ou deixar de lado os nacionais.
    Cadê o espiríto patriota? Vamos curtir a literatura estrangeira.. mas nos lembrar.. que assim como o próprio Hermes diz em seu video.. a literatura nacional não morreu com Drummond ou outros grandes autores.. que temos novos autores no mercado trazendo diversas propostas.. tem autor para todos os gostos.. para leituras mais rebuscadas.. para leituras mais leves.. fantástica, policial e por aí vai! Basta dar uma chance!

    #ficadica

    ResponderExcluir
  13. Nossa esse livro me chamou muita atenção. Quero ler resenha dele aqui no Mix e estou afim dele.
    O Hermes aparenta ser um cara muito inteligente; principalmente pelo tipo de história que ele desenvolveu.
    Espero que o Mix possa estar compartilhando esta leitura conosco.

    ResponderExcluir
  14. Moço interessante e com uma inteligência que parece peculiar.
    Li a resenha do livro e o Hermes surpreendeu se não me engano a Glaucia com sua astucia.

    ResponderExcluir