Resenha : Tamanho 42 Não é Gorda - Meg Cabot

ISBN: 9788501075338
Livro: Tamanho 42 Não é Gorda
Autor: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Edição: 1
Ano: 2006
Páginas: 416
Onde Comprar: Cultura | Saraiva | Submarino
Avaliação:4


Heather Wells está no fundo do poço: perdeu seu namorado, nenhuma gravadora se interessa por suas músicas, ganhou peso e só entra em roupas tamanho 42, o pai está atrás das grades e a mãe fugiu para Buenos Aires com suas economias - e seu agente! Mas, aos poucos, as coisas parecem que vão se ajustar. Ela consegue um novo emprego como inspetora em uma faculdade de Nova York e está feliz com seu novo manequim. Mesmo sem o glamour e glória dos dias de ídolo teen, tudo parece ter melhorado. Ou será que ela está enganada?
De uma hora para outra, uma estudante morre misteriosamente no poço do elevador do campus. Os policiais e a diretoria estão prontos para declarar a morte como acidente, mas Heather conhece os adolescentes, e meninas não brincam com elevadores. Ainda que ninguém esteja muito interessado em ouvir suas suposições - mesmo depois que outras estudantes aparecem mortas de maneiras igualmente corriqueiras e sutilmente sinistras -, Heather decide entrar numa enlouquecida caçada para descobrir a verdade.
À primeira vista, a vida de detetive pode parecer uma irresistível aventura, com altas doses de adrenalina, mas a realidade é potencialmente perigosa. Alguns riscos podem ser fatais e nada é capaz de irritar mais um assassino do que uma ex-estrela pop corpulenta enfiando o nariz onde não é chamada...

Essa é minha primeira leitura da Meg acreditam? Pois é! Eu não aguentava mais todo mundo comentando sobre os livros da Meg Cabot e resolvi dar uma chance a essa autora, apesar de eu ter um tombo pela leitura fantástica, sobrenatural e policial, não custa mudar os ares de vez enquanto e não é que valeu a pena!

O livro é uma mistura muito bem criada de romance, suspense e comédia; isso mesmo, parece muita informação,  mas a Meg soube desenvolver  bem a trama que nos traz Heather Wells uma cantora pop que fazia muito sucesso até resolver mudar seu repertório e as coisas começarem a dar errado. Heather é traída por seu noivo e seu empresário foge com sua mãe e todo seu dinheiro; ela perde seu contrato e literalmente se vê sem nada daquilo que tinha antes; indo morar na casa de seu ex-cunhado. Com tudo, ela arrumou um emprego em um alojamento estudantil, onde uma garota aparece morta e ela percebe que foi assassinato e não um acidente como a polícia decretou; após uma segunda morte ela resolve por conta desvendar o que está acontecendo de fato.



- Mas eu não canto mais.
- Por quê? - ela quer saber.
- Humm - eu respondo. - É uma história um pouco longa.
Basicamente eu fiquei sem contrato com a gravadora...
- Porque você ficou gorda? - a Sra. Allington pergunta.
E é então, preciso reconhecer, que eu deixo de ter pena dela.
(pág.31- diálogo entre Heather e a Sra Allington)


Heather, você saia com Jordan Cartwright? - ela grita.
- Você pegou Tania Trace fazendo um boquete ele? - Brad
parece tão feliz como se tivessem jogado uma nota de cem
dólares no colo dele.
- Hmm - eu digo. Não tenho muita escolha. Eles podem ir
procurar no google. - É. Mas já faz muito tempo.
Então eu peço licença par air pegar um refrigerante, na esperança
de que a combinação de cafeína e adoçantes artificiais possa 
diminuir a  minha vontade de provocar mais uma morte
entre a população estudantil do prédio.
(pág.46 e 47)

O livro é bem leve e divertido, com doses de suspense na medida certa. Simplesmente adorei essa leitura. As letras das músicas que a Heather cantava são ridículas, que bom que ela resolveu parar de cantar aquilo, mesmo que isso tenha custado sua carreira pop. Ela agora se vê em busca de um novo caminho, onde pretende cursar uma faculdade; nossa protagonista é simplesmente hilária em sua forma de se expressar e vive fugindo daqueles que tem a sensação de a conhecerem de algum lugar; e de outros que perguntam se ela deixou de ser uma cantora pop de sucesso devido a ter engordado e vestir o tamanho 42. Heather insiste em dizer que tamanho 42 não é gorda; é a média que as americanas usam e muitas delas têm namorados e são felizes, segundo Heather rs.
Tamanho 42 não é gorda é um chik-lit muito gostoso de ler; pela simplicidade na escrita a Meg conseguiu me prender e me fazer curtir cada página lida. 
Ansiosa pelo próximo que devo começar a leitura em breve!

8 comentários:

  1. Vou pegar esse livro emprestado, pois escutei maravilhas dele..
    Fiquei interessada; diferente de você já li Meg Cabot e gosto muito do jeito que ela escreve, as leituras são leve e fluem com uma facilidade incríel!

    ResponderExcluir
  2. Kari, amore, você me deixou curiosa quanto ao livro. Já vou marcar na minha lista de desejado.
    Obrigada por essa resenha maravilhosa.
    bjus noc core

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente, sempre quando via esse livro pensava que era sobre uma mulher que não aceitava seu peso e sofria um drama por isso. Mas acho que me enganei né, rsrs
    Sabe, você me deixou com vontade de ler agora, pela sua resenha parece ser um livro bem descontraído com uma história bem singular.
    Parabéns pela resenha =D

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nada da autora. Com essa capa e título, achei que fosse um auto-ajuda do universo teen! Mas parece divertido, hein? Quero ler!

    ResponderExcluir
  5. Oie, Karini.

    Não curto chick-lit, acho que nunca li nada do gênero. Mas essa Meg Cabot é tão falada que fico curiosa pra conhecer os livros dela!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Adoro os livro da Meg Cabot são incríveis principalmente a serie a mediadora eh uma das melhores series que tem quem tiver a oportunidade leia . eu tbm gostei muito desse livro quando li. já tem um tempinho mais valeu apena

    ResponderExcluir
  7. bom... nunca li nada de meg cabot. confesso que dificilmente leria, é chick-lit e isso já me afasta um pouco. mas assim como você sempre dou uma chance a novas leituras, afinal são novos horizontes. sua resenha me fez ter um olhar um pouco diferente e quem sabe eu não possa acabar com este meu preconceito tolo né? valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  8. A estória parece ser muito boa; envolve mistério, romance, suspense e comédia.. fiquei curiosa.
    Adoro livros que tenham um bom mistério e uma pitada de humor, então sei que certamente me identificaria muito com essa história!

    ResponderExcluir