Resenha: O Palácio de Inverno – John Boye

ISBN:  9788535917109
Livro: O palácio de inverno
Autor(a):  John Boyne
Editora: Companhia das letras
Ano: 2010
Edição: 1
Páginas: 456
Onde Comprar: Cultura Saraiva | Submarino
Avaliação: 4/5

Pode-se fugir da história? Será possível viver no anonimato após uma existência de fausto e glória? A vida comum é assim tão diferente da vida pública? Geórgui Jachmenev passou a vida inteira se debatendo com essas questões, e agora, prestes a perder o grande amor de sua vida, tenta encontrar uma resposta para elas ao refletir sobre seu percurso num século XX que sempre lhe pareceu longo demais. Seus feitos começaram cedo: aos dezesseis anos, em ação impulsiva e atabalhoada, o rapaz impediu um atentado contra a vida de ninguém menos que o grão-duque Nicolau Nicolaievitch, irmão do czar Nicolau II, que, agradecido, nomeou Geórgui o guarda-costas oficial de seu filho Alexei, destinado a ser o próximo czar. Uma reviravolta impressionante, que o levou da taiga russa para o fausto dos palácios moscovitas, cenário que, apesar da amplidão e luxo de seus imensos corredores, iria se revelar bem mais inóspito que os frios grotões de sua vida anterior. A dura experiência com esse mundo gélido de intrigas palacianas, às quais sempre era jogado contra sua vontade, e de grandes tensões e responsabilidade só foi apaziguada com a chegada do primeiro amor, Zoia. Mas os tempos eram agitados, e a história deixou pouco espaço para idílios: quando a Revolução Bolchevique tomou de assalto o país, e isolou toda a família do czar numa casa de campo nos arredores de Ekaterinburg, mais uma vez Geórgui teve de agir rápido a fim de salvar a si e a Zoia. A vida com ela lhe custaria pátria, família e prestígio, e ele jamais se arrependeu disso - mas e para Zoia, o que teria custado? Numa narrativa fascinante, em que presente e passado vão convergindo em capítulos alternados, da Inglaterra dos anos Thatcher para a época dos czares russos, e dos anos difíceis da Segunda Guerra Mundial para o turbilhão da Revolução Bolchevique, acompanhamos Geórgui em meio a acontecimentos históricos decisivos que acabam por se revelar mero pano de fundo para uma história de amor que esconde um grande mistério, talvez maior mesmo que a própria história.
Primeiramente devo dizer que esse foi o primeiro livro que li desse autor e gostei a construção da estória, bem como das suas personagens. No início, devo confessar, achei o livro chato e tive certa dificuldade em prosseguir na leitura. No seu decorrer, no entanto, comecei a gostar da construção das personalidades e da forma como o autor expõe os sentimentos do protagonista. O final, tirando as últimas revelações, foi um tanto quanto óbvio, devo dizer. Contudo já era esperado o desfecho para ele.

O autor nos faz navegar na estória, passando por momentos importantes, como guerras e revoluções, iniciando a trajetória do protagonista Geórgui Danielovitch Jachmenev ainda nos seus primeiros anos de vida. Podemos ver claramente uma relação pouco afetuosa e nada amigável, se é que podemos considerar assim, com o seu pai Daniel Vladavitch, um homem amargurado, cruel e que deixa qualquer pessoa sentindo desesperança pela própria vida.

Logo no primeiro capítulo a falta de afeto dos pais é clara, a forma como Geórgui é depreciado e mal visto tanto pela família, quanto pelas pessoas em geral do povoado de Cáchin chega a fazer o leitor sentir um pouco irritado. Uma espécie de “patinho feio”, baixinho, gordinho, sem beleza aparente e com cabelos loiros cacheados, que dão feição afeminada; e irritavam o pai.

A narrativa da vida miserável, sem perspectivas e sem amor não me fez sentir pena do protagonista pela sua vida. Talvez pelo fato dele não odiar, tanto quanto deveria, aquela miséria toda e não conhecer um mundo mais digno. Senti sim pena de sua irmã mais velha, Ássia, que era uma verdadeira sonhadora e almejava algo melhor. Essa primeira parte foi uma leitura pesada, a meu ver, e fez com que me colocasse no lugar da protagonista para me sentir como uma pessoa daquela época... Não gostei muito da sensação que tive. A desigualdade social que havia ali, assim como a frieza das pessoas, faz-me sentir um nó na garganta.

O autor fez uma intercalação entre o passado e o futuro. Algo que me deixou mais aliviada, porque apesar de uma vida difícil, nos anos de meninice e juventude, pelo menos sabemos que as coisas até se saíram bem para ele. E que o restante de sua existência não foi tão ruim, como poderia ter sido. Isso fez meu coração mais esperançoso com o resto da leitura. E pude ver como foi com a vida com sua amada esposa Zoia, apesar de não tão perfeita... Apenas tranqüila.

A estória de Geórgui tem uma grande reviravolta, quando salva a vida do grão duque Nicolau Nicolaievich, fazendo com que receba nomeação para o cargo de guarda-costas do filho de Czar, Alexei. Aqui a estória tem outro foco e apesar do remorso, pela vida de seu amigo Colec, morto após tentar assassinar o grão duque, e da estranheza por todo o luxo e grandiosidade do palácio, ele agarra a chance de sua vida. O protagonista vive em uma fase onde existe um mundo de intrigas, obrigações, falsidades, jogo de poder, muita tensão e uma grandiosa responsabilidade. No meio desse novo universo, Geórgui vive o seu primeiro amor, as primeiras sensações e a glória de estar apaixonado. Mas nem tudo são flores, porque explode a revolução Bolchevique e ele precisa agir rápido, mais uma vez, para novamente mudar o rumo da sua própria estória.

Na sua vida atual podemos assistir, de coração ferido pela sua angústia, os últimos momentos de vida da sua esposa Zoia, os relatos de seu amor pela leitura, relatos da última viagem que fizeram a Rússia, a dor pela perda da única filha, o amor pelo neto Michael e o orgulho pelo caráter exemplar, respeito e amor aos avos. 

Existe uma óbvia percepção da força e do caráter de Zoia, uma mulher fria, um pouco calada e forte, que em alguns momentos me deram a sensação de frigidez. Só consegui entender seus motivos e sentimentos no final do livro.

Tudo foi caracterizado com uma narrativa espetacular, que expressa cada sentimento de uma forma surpreendente e que deixa o leitor, muitas vezes, emocionado. Devo dizer que o autor é maravilhoso e sua escrita, além de atraente, é detalhista; para não dizer perfeccionista. Um verdadeiro mestre, que além de nos proporcionar um drama fascinante, nos ofereceu uma viagem pela história. Não é o tipo de histórico que gosto. Assumidamente prefiro os “Romances de mulherzinha”, mas esse livro me surpreendeu pela intensidade da narrativa.

Espero que gostem!

Bjus no core



10 comentários:

  1. Esse livro parece ser muito interessante, vou ler sim! Gosto desse tipo de livro, quem conta algo da história de algum país. E às vezes é bom sair dos romances de mulherzinha e pegar um livro desse para variar, né?

    Bjos
    entreumlivroeoutro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. È um livro um pouco diferente do que costumamos a ler. Não é tão romântico e meloso. Mais chegado ao drama. Só que o autor escreve de forma maravilhosa. Acho que só isso já vale a leitura. Eu realmente gostei do livro. E pelo que vi no Skoob é muito desejado.
    Vale a pena comprar e ler.
    bjs no core

    ResponderExcluir
  3. Achei a capa muito legal e a história também parece ser bem interessante! Sem falar que parece ser bem embasado historicamente! Vou anotar a dica.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Ele é muito bem amarrado e navega literalmente pela história. O autor escreve muito bem e sabe como narrar o passado e o futuro, sem deixar nenhum tipo de confusão. Eu realmente gostei muito e pela quantidade de usuários que desejam o livro, ele realmente é maravilhoso.
    bjs no core

    ResponderExcluir
  5. Fiquei animada com esse livro.
    Eu tenho ele faz um tempinho mais ainda não li.
    Pretendo pegar esse fim de semana.

    ResponderExcluir
  6. Adorei essa resenha e vou comprar o livro amanhã mesmo! Eu amo os históricos e esse parece ser o histórico!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, fiquei assim ó \o/ eu preciso desse livro.
    Eu juro que achei que fosse ler um monte de spoiler, mas a resenha foi muito bem escrita, aguçando a curiosidade sem contar demais!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Eu li esse livro após ver a capa em uma livraria e gostei muito. Você conseguiu transmitir perfeitamente bem o que o livro passa!

    ResponderExcluir
  9. Adorei a resenha.
    O livro parece ser interessante.

    ResponderExcluir
  10. Opa, quero esse livro imediatamente!

    ResponderExcluir