Resenha - O Vale dos Anjos - Leandro Schulai

Sinopse: A morte tem o poder de separar o amor?
Para muitas pessoas, a frase "até que a morte os separe" é a afirmação de que morrer é o fim de tudo, inclusive para o amor. Mas se fizessemos essa pergunta para o grego Dimitris Saloustros a opinião será bem diferente. Com uma morte precoce e uma promessa feita à sua amada o rapaz parte em busca do desconhecido Vale dos Anjos, local onde se encontram as maravilhas do Paraíso e o medo e apreensão das oito prisões, em busca de cumprir o seu feito.
Auxiliado pelo anjo-guia-de-enterro, Obelisco, cujo humor o ajuda nos momentos difíceis, pela cupido Anne cuja beleza é incomparável e treinado pelo misterioso mestre Ramirez; Dimitris parte em uma jornada recheada de grandes belezas, pessoas marcantes e mistérios complexos que o farão perceber que nada é por acaso e que sua estadia nesse misterioso lugar já era aguardada a muito tempo...

Este é um daqueles livros em que a sinopse é completa, quer dizer, não há muito o que complementar, sem dar spoiler. Dimitris é uma pessoa muito determinada, de personalidade forte que não mede palavras em dizer o que pensa, acontece uma fatalidade realmente inexplicável e após o julgamento é determinado ao Paraíso. A ideia de Paraíso abordada pelo autor é pra mim inovadora, as batalhas são o ponto alto da narrativa, passei boa parte do livro visualizando os animes que assisti quando mais jovem (-ô saudade!), pois a estória tem exatamente essas características, sabe, aquela pitada de sobrenatural das lutas, o fato do protagonista não se entregar, enfim, revivi esse tempo, e gostei muito.

Infelizmente a estória é um pouco previsível, às vezes é exatamente o que você achava que ia ser... O romance de início não convence o leitor, mas o autor se supera, e mostra momentos comoventes. A amizade também é muito bem representada e é um ponto forte. Os personagens não seguem a própria personalidade e muitas vezes há uma confusão quanto aos termos e palavras (gírias) usados por eles, deixe-me ser mais clara, uma pessoa da década, sei lá, de 70 nunca terminaria uma frase com "tá legal!".

Há momentos em que a inexperiência escritor chega a ser evidente, por exemplo, o excesso do uso de conjunções em um mesmo parágrafo, uma delas é a "pois", que em determinados pontos chega a ser maçante.

Curiosidade: O livro é sobre anjos, ok, mas os anjos da estória não têm asas, eu me questiono quanto à capa, que por sinal é muito bonita.

Por fim, O vale dos Anjos é narrado em terceira pessoa é de leitura simples e direta, você sente como se o autor estivesse lhe contando a estória. Já o final, nos deixa com muita vontade de “atacar” a continuação.



Informações:
Livro: O Vale dos Anjos
Autor(a): Leandro Schulai
Editora: Novo Século
Onde comprar: Submarino e Livraria Cultura.

Avaliação


0 comentários:

Deixe seu comentário